• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma
lavarlouçasSe você foge dos serviços domésticos, está na hora de mudar de ideia. De acordo com uma pesquisa do Centro Médico da Universidade Rush, nos Estados Unidos, lavar a louça, cozinhar e limpar a casa podem ajudar a reduzir o risco de desenvolver Alzheimer, mesmo em pessoas com mais de 80 anos. Os dados são do jornal Daily Mail.


Os cientistas pediram a 716 voluntários, com idade média de 82 anos, que usassem um dispositivo que monitora atividades do dia a dia. Os participantes também foram submetidos a testes cognitivos para avaliar a memória e a capacidade de pensar.


Após cerca de três anos, 71 pessoas foram diagnosticadas com a doença. O levantamento constatou que os menos ativos eram duas vezes mais propensos à demência em comparação com os mais ativos.


"Esses dados fornecem apoio aos esforços para incentivar todos os tipos de atividade física, mesmo em adultos muito velhos, que não são capazes de participar de um exercício formal, mas podem ainda se beneficiar de um estilo de vida mais ativo", disse o pesquisador Aron Buchman.



Terra

Em audiência pública no Senado Federal nesta quinta-feira, 19, o secretário de Atenção à Saúde, Helvécio Magalhães, apresentou as políticas públicas do Ministério da Saúde que garantem atendimento adequado e humanizado às mulheres vítimas de violências.

 

“As ações de combate à violência devem ser compartilhadas com políticas integradas. A capilaridade do Sistema Único de Saúde (SUS), por meio, principalmente, das 38 mil equipes de Saúde da Família e os mais de 40 mil centros de atenção básica e primária presente em todo território nacional, permitem a aproximação e interação da população com os diversos serviços ofertados”, destacou Magalhães durante a 10ª Reunião da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito.

 

As ações de combate à violência contra as mulheres, no âmbito da saúde, incluem o treinamento dos profissionais em toda rede pública de saúde, a ampliação dos serviços sentinelas de notificação de violência e dos serviços que prestam assistência às mulheres em situação de violência e abortamento legal. Hoje são 552 serviços de atendimento às mulheres em situação de violência sexual e doméstica, além de 65 serviços de abortamento legal.

 

O secretário também propôs a discussão para que os laudos feitos nos serviços de referência, credenciados pelo Ministério da Saúde, para atendimento às mulheres vítimas de violência sexual, possam ser utilizados como prova pericial, para que as mulheres não tenham que se submeter a novo laudo no Instituto Médico Legal (IML).


 “Isso pode ser um avanço, uma modernização, uma proteção e uma humanização do atendimento à mulher vítima de violência. Nossa proposta é que a CPMI inclua isso no seu relatório e que agilize a tramitação dessa mudança”, explica Magalhães. Grupo de trabalho com representantes da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e dos ministérios da Saúde e da Justiça discute o tema.

 

Representantes dos ministérios da Justiça e Educação também participaram da audiência e durante o debate foi reforçada a necessidade das ações interssetoriais, por meio de iniciativas conjuntas. A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, criada no ano passado, tem a missão de investigar a situação da violência contra a mulher no Brasil.

 

portalsaúde

A implantação da 1ª Mesa Estadual de Negociação Permanente do Sistema Único de Saúde (SUS) do Piauí deverá ocorrer até o final desse semestre. Foi o que garantiu a secretária Lilian Martins e a secretária executiva da Mesa Nacional do Ministério da Saúde, Eliana Pontes de Mendonça, que esteve em Teresina nesta quinta-feira, 19, realizando palestra sobre o assunto no Conselho Estadual de Saúde (CES/PI).

A palestra contou com a presença diretor do Facime, José Adail Fonseca, de representantes do conselho, sindicatos, além de membros de entidades ligadas a área da saúde pública.

 

Criada em 1993, em Brasília, para mediar conflitos nas relações de trabalho dos profissionais da Saúde, a Mesa Nacional de Negociação do SUS foi extinta em 1995. No ano de 2003, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva transformou em programa a Mesa de Negociação Permanente do SUS. “Hoje, já implantamos em todo o Brasil mais de 50 mesas de negociação estadual e municipal”, destacou a representante do Ministério da Saúde Eliana Pontes.

 

“A mesa foi criada para negociar conflitos de gestão e problemas relacionados às dificuldades no andamento dos serviços públicos, procurando com isso atender analisar as reivindicações e chegar ao bom termo entre as partes”, complementou Eliana.

 

A secretária Lilian Martins salientou que a instalação da mesa no Piauí será mais uma conquista para entendimentos com entidades, já que sua administração tem se mostrado disposta a dialogar incansavelmente e melhorar a situação desses profissionais.

 

“Estamos a cada dia buscando melhores condições de trabalho aos nossos profissionais, prova disso é que o Plano de Cargos, Carreira e Vencimento da Saúde do Estado, fruto de intensa e exaustiva discussão será implantado agora no próximo mês de maio e com o reforço da Mesa de Negociação os gestores, trabalhadores e a população só tendem a ganhar”, disse.

 

“Existe a mesa da Saúde e a mesa do SUS, o que nós vamos trabalhar é a tentativa de instalação de uma mesa do SUS, que tem por objetivo propor e acompanhar assuntos que podem ser discutidos em conjunto, além de democratizar as decisões na área de saúde”, explicou Lilian Martins. No Brasil, entre estados e municípios, existem 62 mesas de negociação do SUS.

 

Pioneirismo– Eliana Pontes ressaltou que o Piauí é um estado pioneiro em políticas públicas para a juventude, deficientes físicos, mulheres e está correndo na frente nesta relação com os trabalhadores da Saúde. “A mesa não ficará a um tipo de negociação e sim a todos os conflitos do SUS. Deverá ter compromissos com a Saúde”, ressaltou a representante do MS.

 

Funcionamento - A implantação da 1ª Mesa Municipal de Negociação Permanente do Sistema Único de Saúde (SUS) se transformará em projeto de Lei e será criado um regimento para estabelecer o funcionamento da mesa, que será composta por gestores e representantes de entidades sindicais.

 

Sesapi

nutrientesNo meio da tarde surge aquela vontade de comer um brigadeiro, ou de repente você imagina um pedaço suculento de carne vermelha, coberta com molho e queijo. Pensamento de gordinho? Talvez não.


A falta de determinados nutrientes no organismo pode ser sinalizada pela vontade de comer determinados alimentos, para se obter o equilíbrio nutricional, explicou a professora do curso de Nutrição do Centro Universitário Senac, Tatiane de Oliveira.


"Sempre que fazemos algum tipo de dieta restritiva, ou ficamos muito tempo sem comer, acabamos exagerando quando presentes em um local com grande disponibilidade de alimentos, como uma pizzaria ou churrascaria", exemplificou a professora. A nutricionista Roberta Silva esclareceu que estes sinais acontecem quando a pessoa não tem uma alimentação balanceada e deixa faltar alguns grupos alimentares.


Longos períodos sem se alimentar, excesso de atividade física, dieta pobre em vitaminas e minerais, hipoglicemia e outros fatores podem causar a deficiência em nutrientes. Uma observação das nutricionistas é a vontade de comer chocolate durante a TPM. "As mulheres sofrem alterações hormonais, como a queda da serotonina, hormônio relacionado ao bem estar. O chocolate pode elevar os níveis deste hormônio, pois contém triptofano que é o precursor na produção de serotonina em nosso organismo", justificou Tatiane.


Para evitar abusar no doce, devorar um sanduíche hipercalórico ou exagerar em um rodízio de pizza, basta estar com o organismo balanceado, de acordo com Roberta. "É preciso consumir alimentos de todos os grupos, Com o tempo, a pessoa para de sentir vontade de comer doces e comidas gordurosas, ela se acostuma a uma alimentação saudável", disse Roberta. Legumes, verduras, cereais, carboidratos, vitaminas, minerais e proteínas não podem faltar.


A professora de Nutrição da faculdade Anhembi Morumbi, Fernanda Correa, disse que os alimentos "fast" costumam ter menos vitaminas e nutrientes e mais gordura. "Observo que as pessoas ingerem poucos alimentos fontes de cálcio, muita fonte de lipídios, gordura e carboidratos. O mais comum são dietas hipercalóricas", afirmou. Segundo a professora, a pessoa fica obesa, mas pode ter anemia, deficiência de ferro e outros nutrientes.


Veja a seguir qual substância está faltando no organismo, de acordo com a vontade de comer certos alimentos.


Chocolate na TPM: De acordo com a nutricionista Roberta Silva, a vontade de comer chocolate pode ter relação com uma queda de serotonina, por conta das alterações hormonais. O chocolate é fonte de triptofano, que estimula a produção da substância do bem estar. "Nessa situação, as pessoas podem optar por um chocolate meio amargo com pelo menos 50% de cacau, pois além de conter o triptofano, possui outros benefícios", sugeriu a professora Tatiane.
 

Doces em geral: Pode ser deficiência de triptofano no organismo, que desencadeia ansiedade, depressão e irritação. "Além disso, estudos relatam que períodos longos em jejum induzem uma maior produção de um hormônio chamado grelina e este induz o indivíduo a procurar alimentos de maior densidade energética", disse Tatiane. Segundo ela, a queda de glicose também faz o indivíduo buscar os doces, pois eles têm uma rápida absorção e conseguem aumentar a glicose sanguínea em um curto espaço de tempo. A sugestão é compensar a carência de triptofano com cereais, frutas, verduras e carnes magras. Sorvetes de fruta ou mousse também são opções, disse Roberta.


Comida: Após preencher várias refeições com lanchinhos, surge aquela vontade de comer comida "de verdade": arroz, feijão, salada e uma carne. "Pode ser sinal de que o corpo está sentindo falta de pratos mais elaborados", disse Roberta. De acordo com Tatiane, os lanches, na maioria das vezes, são à base de carboidratos simples. "Têm rápida digestão e, principalmente devido ao baixo conteúdo de fibras, induz a fome mais precocemente. Indiretamente acontece a procura por uma refeição completa", explicou Tatiane.


Pizza: A vontade de comer pizzas e massas pode estar relacionada com redução de glicose séria, disse Tatiane. Outro problema pode ser a queda no triptofano e consequência deficiência de serotonina e desequilíbrios nos níveis de insulina. Para não ganhar quilos extras devorando uma pizza inteira, reponha os nutrientes com pães integrais, biscoitos, arroz e cereais.


Queijo: O desejo por comer queijo ou alimentos recheados com ele, pode significar a falta de cálcio no organismo. De acordo com Roberta, um adulto precisa de 1200mg de cálcio por dia, que equivale a: um copo de leite desnatado, 1 fatia de queijo minas fresco, 200 ml de iogurte, quatro colheres de espinafre cozido e duas colheres de sopa de couve refogada.


Hambúrguer e fritas: "Nem sempre a vontade de comer determinado alimento está relacionada a uma deficiência, pode ser apenas uma vontade mais caracterizada com a gula, ou vontade emocional, do que com a fome fisiológica", disse Tatiane. O estresse e longos períodos sem se alimentar podem causar este desejo. A sugestão da professora é fazer de quatro a seis refeições diárias, para manter o organismo equilibrado.


Leite: A vontade de tomar leite pode estar relacionada à deficiência de cálcio, nutriente essencial para a formação dos ossos e dentes, segundo Tatiane. O consumo de leites e derivados de forma equilibrada ajuda a suprir a falta.


Tomate: De acordo com a nutricionista Roberta, sentir desejo em comer tomates, pode ser um sinal do cérebro de que está faltando potássio no organismo. A banana é uma fruta que auxilia na reposição da substância.
 

Frutas cítricas: "Pode significar a deficiência de vitamina C", disse Tatiane. As pessoas também costumam ingerir frutas ácidas após refeições pesadas, pois elas ajudam na digestão e são refrescantes, informou a professora Fernanda. De acordo com Roberta, o abacaxi tem bromelina, que ajuda na digestão da proteína, por isso é bastante consumido em churrascarias.
 
 

Café:A vontade de tomar café pode indicar a queda da dopamina, um neurotransmissor da motivação. A pessoa começa a ficar cansada e toma café, pois a cafeína ajuda a estimular o sistema nervoso central, disse a nutricionista Roberta.


Água: Desejo por tomar muita água, na maioria das vezes, é um sinal de desidratação, segundo Tatiane. O calor intenso, baixo consumo de líquidos ao longo do dia e o consumo de comidas salgadas podem causar a sede. "Uma pessoa que pratica exercícios intensos,perde sais minerais e água. Quando termina, precisa beber sucos, água e repositores. É o corpo sinalizando para repor o que perdeu nos exercícios", exemplificou Roberta. A sede exagerada por ser um sintoma de problema glicêmico. O ideal é consumir de 1,5 a 2 litros de água por dia.
 

Frutas em geral: "A vontade de comer frutas pode sinalizar a redução de diversas vitaminas e minerais no nosso organismo", disse Tatiane. Além da queda de carboidrato ou glicemia e até mesmo a desidratação, completou. O ideal é o consumo de quatro a cinco frutas variadas por dia, pois isso irá contribuir para a adequação da ingestão de vitaminas, minerais, água e fibras.
 

Carne vermelha: De acordo com Roberta, as carnes são fonte de ferro, quando uma pessoa faz dieta restritiva ao alimento, o cérebro pode pedir por esta substância e induzir o desejo pelo consumo de carne. A falta de ferro pode causar anemia.
 

Feijão: Feijão também é uma importante fonte de Ferro, portanto, a necessidade de consumo dos grãos pode sinalizar a deficiência do mineral, segundo Tatiane.
 

A professora de Nutrição, Fernanda Correa, afirmou que é necessário um exame de sangue ou exame de história dietética - que analisa o balanceamento alimentar do indivíduo - antes de diagnosticar a subnutrição. "Tomar suplementes sem indicação médica por causar intoxicação, cada substância em excesso tem um efeito colateral", concluiu.


 
Terra

Subcategorias