• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma
frutasEmbora muitas dietas limitem a quantidade de ingestão diária de frutas devido aos níveis de açúcar e carboidratos, as opções mais frescas são fontes de baixas-calorias, vitaminas e fibras. Para não errar no tamanho das porções, confira algumas dicas.


Sucos

Uma laranja média tem cerca de 62 calorias e 3,1 g de fibras. O suco talvez seja uma maneira fácil de ingerir vitaminas e minerais, mas há alto índice de calorias. Então, se você não abre mão de tomar um copo por dia, esqueça do açúcar.


Frutas secas

Passas, ameixas e damascos secos são ótimas fontes de fibras, porém, ao serem desidratadas, perdem muito líquido e retém açúcar. Por isso, é importante controlar as porções antes de ingerí-las.


Armadilhas

Não pense que a sobremesa feita com frutas é boa para quem está de dieta. Sempre desconfie de no preparo foi usado ingredientes como manteiga ou leite condensado. Nesse caso, prefira a fruta fresca.



Terra

dormindoUma pesquisa realizada nos Estados Unidos sugere que a qualidade do sono melhora com o avanço da idade, ao contrário do que se imaginava antes.
O estudo, do Centro para Sono e Neurobiologia Circadiana da Universidade de Pennsylvania, nos Estados Unidos, ouviu por telefone 150 mil adultos.
Segundo os depoimentos, a não ser por um período por volta dos 40 anos, a qualidade do sono aumenta com o passar do tempo. Os entrevistados na faixa dos 80 anos relataram a melhor qualidade de sono.

Michael Grandner, um dos cientistas que liderou a pesquisa, afirmou que a razão do estudo era levar as pessoas a repensarem o conceito sobre idade e baixa qualidade do sono.


'Estes resultados nos obrigam a repensar o que sabemos sobre sono entre pessoas mais velhas -- homens e mulheres', disse.

O pesquisador sugere que é possível que pessoas mais velhas estejam dormindo mal, mas elas simplesmente se sentem bem a respeito do próprio sono.

'Mesmo se o sono entre os americanos mais velhos é, na verdade, pior do que em adultos jovens, a sensação em relação a isto melhora com a idade. '

O estudo foi publicado na revista especializada 'Sleep'.

Equipamentos ou perguntas


Geralmente, universidades contam com equipamentos que podem avaliar a duração e o nível de perturbação do sono para estudos com voluntários. E os resultados obtidos com estes equipamentos nem sempre combinam com a opinião dos voluntários sobre a qualidade do sono.


A pesquisa da Universidade da Pennsylvania se concentrou em perguntas para pessoas selecionadas aleatoriamente. Além de perguntas sobre a qualidade do sono, os entrevistados também tiveram que responder sobre o estado geral de saúde, renda, nível educacional e raça.


Durante as entrevistas, os pesquisadores notaram que estar deprimido ou ter problemas de saúde são fatores ligados a um sono de baixa qualidade. No entanto, quando os cientistas ajustaram os resultados para compensar estes fatores, um padrão diferente surgiu.


As reclamações sobre sono ruim caíram à medida que a idade dos entrevistados avançava e o menor número de reclamações vinha de pessoas com mais de 70 anos.


A única exceção ocorreu entre pessoas na meia idade, quando foi registrada uma queda na qualidade do sono dos entrevistados.

Para Derk-Jan Dijk, professor de Sono e Fisiologia e diretor do Centro de Pesquisa do Sono de Surrey, na Grã-Bretanha, que não participou da pesquisa, o estudo americano é 'interessante'.

'Temos que nos afastar de todos aqueles mitos sobre envelhecimento. Muitas pessoas estão muito satisfeitas com o sono', disse.

No entanto, para o professor, perguntas subjetivas sobre sono podem resultar em respostas que dependem do humor do entrevistado.

'Se você está com raiva por não ter recebido um aumento de salário do seu chefe, por exemplo, sua percepção de qualidade do sono pode ser muito diferente de alguém que está satisfeito naquele momento', afirmou.




BBC

A Promotoria de Justiça de Floriano ajuizou ação civil pública de improbidade contra o Secretário de Saúde do Município, Maurício Bezerra da Silva que, segundo relatório expedido pelo Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (DENASUS), vem permitindo que alguns profissionais de saúde descumpram a carga horária determinada e acumulem cargos públicos indevidamente.

O Ministério Público mencionou três médicos. Um deles acumula sete cargos e deveria cumprir jornada semanal de 182 horas, embora uma semana equivalha a 168 horas.



A 3ª Promotoria de Justiça argumenta ainda que o secretário, além de se omitir propositadamente diante dessas irregularidades, está prejudicando a prestação dos serviços de saúde. "Durante todo o segundo semestre de 2011, recebemos reclamações da população informando a falta de medicamentos nos postos de saúde, inclusive remédios essenciais ao tratamento de hipertensão e diabetes. Ocorreu também a falta de material odontológico. Os dentistas se dirigiam aos postos de saúde apenas para cumprir horário, pois não tinham sequer anestésicos para efetuar uma extração de dente", declara o Promotor de Justiça Edmar Batista, responsável pela ação.



O Ministério Público requereu o afastamento do Secretário Municipal de Saúde com suspensão do exercício de suas funções enquanto tramitar o processo e a condenação dos médicos envolvidos, para que restituam ao patrimônio público a renda que obtiveram ilicitamente. Eles ainda estariam sujeitos a outras penalidades, como perda da função pública, pagamento de multa, suspensão de direitos políticos e proibição de contratar com o Poder Público.


Sobre as denúncias, o professor e sanitarista Mauricio após ser procurado pela reportagem do piauinoticias.com para questionar quanto as acusações, esclareceu o seguinte:


Do cumprimento da carga horária


-No que diz respeito ao descumprimento da carga horária detectada pela citada auditoria, esta não era do reconhecimento do requerido, pois em todos os postos de saúde é exigida a assinatura do livro de ponto. Os profissionais que descumprem  a carga horária sem justificativa legal são penalizados com o desconto em folha de pagamento de seus honorários. A coleta das assinaturas no citado livro de ponto é realizada diariamente por um servidor nível médio, que também a função de chefia da respectiva Unidade de Saúde
.


Ainda nos esclarecimentos do secretário ele cita:


Acumulo de cargos

-No pertinente acúmulo de vínculos dos médicos no serviço público, essa constatação não pode ser responsabilizada ao requerido. È cediço e de conhecimento uníssono  que, para acesso ao quadro de qualquer serviço público efetivo o interessado deverá apresentar, assinado do próprio punho, declaração de não acumulação de outros Cargos Públicos que impeçam seu ingresso no novo cargo. Essa exigência foi adotada pela Secretaria Municipal de Saúde, em cujas declarações os médicos citados declinaram não haver acúmulo de vínculo impeditivo ao acesso no cargo de médico oferecido pelo Municipio de Floriano-PI.


-Anda mesmo item acúmulo de cargo público, a quantidade de carga horária cadastrada no CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde), no momento da Auditoria realizada pelo DNASUS o cadastro dos profissionais citados estavam desatualizados, fato que responsabilizado ao servidor municipal respectivo, culminando com o seu afastamento do cargo. Hoje, respectivo cadastro já se encontra devidamente atualizado.



Essas informaçoes constam no documento que está sendo apresentado à justica pelo Sanitarista.



Fonte: MP/PI com informações do GP1

leiteMuito se fala do poder nutricional do leite de cabra. Mas você sabe dizer por que o leite de cabra é melhor do que o leite de vaca para a saúde?


Segundo nutricionistas, a quantidade de gorduras e de proteínas do leite de cabra é semelhante ao do leite de vaca. Porém, a diferença está na qualidade desses nutrientes.


O leite caprino é mais fácil do organismo digerir porque o tamanho das partículas de gordura dele é menor. Ele também não possui aglutinina, substância presente no leite de vaca que une as partículas gordurosas, formando um coalho mais difícil de digerir.


Pessoas que tem alergia ao leite de vaca têm uma tolerância melhor ao leite de cabra. Pois em sua gordura é encontrado duas vezes mais os ácidos capróico, caprílico e cáprico, indicados para pacientes que tem má absorção de alimentos originários do leite de vaca e nos distúrbios intestinais.


O leite de cabra também tem 20% menos colesterol do que o leite de vaca. O leite de cabra estimula a produção de insulina, o hormônio responsável pela entrada de açúcar dentro da célula. Ele também produz energia por causa da presença de substâncias bio-ativas, o IGF-1. Atualmente o mercado oferece grandes opções de leite de cabra em caixa, do integral ao desnatado.



Agencia Estado

Subcategorias