• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma
pilatesUm estudo da Universidade canadense de Western Ontario concluiu que pessoas que se exercitam em grupo conseguem mais benefícios da atividade física.


A pesquisa envolveu quase cinco mil pessoas. Segundo os pesquisadores, aquele que se exercita em grupo tem mais chances de se manter fiel à atividade física. O estímulo das músicas, da animação do grupo, seriam alguns dos motivos desse benefício.


O estudo chegou a conclusão que aqueles que se exercitam sozinhos em casa aderem menos ao programa daqueles que se movimentam em grupo, nas academias.


Os pesquisadores acreditam que pessoas que têm o mesmo objetivo de saúde quando se reúnem conseguem estimular os colegas.



Agência Estado

bebeO leite materno é excelente para a saúde. Além de aumentar o vínculo com a mãe, a amamentação também promove muitos benefícios à saúde da criança. Um estudo australiano garante que o leite materno produz outras vantagens, dentre elas o aumento da inteligência.


De acordo com os cientistas envolvidos na pesquisa, meninos que mamaram no peito até os seis meses de vida demonstraram um melhor desempenho no estudo.


Eles se apresentaram eficientes na leitura, matemática e grafia. Mais de mil crianças foram estudadas na pesquisa. E por que meninos ficam mais inteligentes com o leite materno?


Segundo os pesquisadores, possivelmente porque o leite compensa nos meninos os hormônios femininos que ajudam a proteger seu cérebro. O vínculo emocional entre mãe e filho também desenvolve o sistema cognitivo dos garotos.


Os nutrientes presentes no leite materno, como os ácidos graxos poli-insaturados, também seriam os responsáveis pelo desenvolvimento da inteligência dos meninos. Essa substância ajuda no crescimento de membranas celulares do cérebro e dos neurônios.



Agência Estado

 

alimentooEstima-se que neste ano cerca de 520 mil pessoas terão câncer no Brasil, sendo 257 mil em homens e 260 mil em mulheres, segundo dados do Inca (Instituto Nacional de Câncer). Uma boa alimentação – que passa longe de embutidos, bolachas, sal entre outros – e exercícios físicos regulares ajudam a prevenir a doença, segundo especialistas ouvidos pela reportagem.

 

A lista de alimentos considerados causadores da doença começa com os embutidos, como linguiça, salsicha, presunto, peito de peru. Segundo o nutricionista do Inca, Fábio Gomes, estes produtos contém conservantes que em contato com o sulco gástrico (produzido no estômago) são transformados em substâncias cancerígenas.

 

— O sal ou alimentos que possuam muito deste elemento, como o bacalhau, é prejudicial também. Ele provoca uma agressão no estômago que pode estimular as alterações nas células.

Além de evitar estes alimentos, Gomes afirma que o modo em que se preparam as carnes pode ser prejudicial à saúde. O ideal é que o peixe, o frango, a carne vermelha sejam preparadas no forno ou cozidas na panela.

 

— Quando submetidas a uma temperatura altíssima [chapa, grelhada ou frita], aparecerá um composto cancerígeno, que provocam mutação das células. Vai fazer um peixe, recomendo fazer uma moqueca, por exemplo.

 

Nos hábitos alimentares cotidianos, o nutricionista ainda conta que o ideal é evitar também produtos com muita concentração de quantidade de energia, como biscoitos, lanches, sanduíches, e bebidas açucaradas, como refrigerantes, sucos, mates.

 

Frutas, legumes, verduras e fibras são alimentos que ajudam a prevenir o câncer. Segundo Gomes, elas protegem as células de agressões que podem deixá-las doentes e desenvolver o câncer. Além disso, estes produtos possuem compostos que bloqueiam a chegada dos elementos cancerígena e, caso as células doentes se multipliquem, eles conseguem matar as defeituosas.

 

— O ideal é reduzir ao máximo ingerir alimentos pré-prontos e recorrer à alimentação mais fresca. Exercícios físicos ajudarão a prevenir ganho de peso e o equilíbrio hormonal, que evita o superestímulo de produção desenfreada de células.

 

Hábitos de vida

Apesar da evolução da medicina nos últimos anos, segundo a coordenadora de oncologia do Instituto do Câncer, Pilar Esteves Diz, a tendência é que a doença se torne a primeira causa de morte.

 

— Os tratamentos evoluíram muito, novas drogas etc. Mas é preciso que as pessoas mudem seus hábitos de vida. O câncer é uma doença de saúde pública.

 

Além de alimentação saudável, exames preventivos devem ser feitos periodicamente. De acordo com a médica, quanto antes a descoberta da doença, mais é possível de ser tratada e chegar à cura.

Alimentação saudável e exercícios previnem o cancer

Estima-se que neste ano cerca de 520 mil pessoas terão câncer no Brasil, sendo 257 mil em homens e 260 mil em mulheres, segundo dados do Inca (Instituto Nacional de Câncer). Uma boa alimentação – que passa longe de embutidos, bolachas, sal entre outros – e exercícios físicos regulares ajudam a prevenir a doença, segundo especialistas ouvidos pela reportagem.

 

A lista de alimentos considerados causadores da doença começa com os embutidos, como linguiça, salsicha, presunto, peito de peru. Segundo o nutricionista do Inca, Fábio Gomes, estes produtos contém conservantes que em contato com o sulco gástrico (produzido no estômago) são transformados em substâncias cancerígenas.

 

— O sal ou alimentos que possuam muito deste elemento, como o bacalhau, é prejudicial também. Ele provoca uma agressão no estômago que pode estimular as alterações nas células.

Além de evitar estes alimentos, Gomes afirma que o modo em que se preparam as carnes pode ser prejudicial à saúde. O ideal é que o peixe, o frango, a carne vermelha sejam preparadas no forno ou cozidas na panela.

 

— Quando submetidas a uma temperatura altíssima [chapa, grelhada ou frita], aparecerá um composto cancerígeno, que provocam mutação das células. Vai fazer um peixe, recomendo fazer uma moqueca, por exemplo.

 

Nos hábitos alimentares cotidianos, o nutricionista ainda conta que o ideal é evitar também produtos com muita concentração de quantidade de energia, como biscoitos, lanches, sanduíches, e bebidas açucaradas, como refrigerantes, sucos, mates.

 

Frutas, legumes, verduras e fibras são alimentos que ajudam a prevenir o câncer. Segundo Gomes, elas protegem as células de agressões que podem deixá-las doentes e desenvolver o câncer. Além disso, estes produtos possuem compostos que bloqueiam a chegada dos elementos cancerígena e, caso as células doentes se multipliquem, eles conseguem matar as defeituosas.

 

— O ideal é reduzir ao máximo ingerir alimentos pré-prontos e recorrer à alimentação mais fresca. Exercícios físicos ajudarão a prevenir ganho de peso e o equilíbrio hormonal, que evita o superestímulo de produção desenfreada de células.

 

Hábitos de vida

Apesar da evolução da medicina nos últimos anos, segundo a coordenadora de oncologia do Instituto do Câncer, Pilar Esteves Diz, a tendência é que a doença se torne a primeira causa de morte.

 

— Os tratamentos evoluíram muito, novas drogas etc. Mas é preciso que as pessoas mudem seus hábitos de vida. O câncer é uma doença de saúde pública.

 

Além de alimentação saudável, exames preventivos devem ser feitos periodicamente. De acordo com a médica, quanto antes a descoberta da doença, mais é possível de ser tratada e chegar à cura.

Estima-se que neste ano cerca de 520 mil pessoas terão câncer no Brasil, sendo 257 mil em homens e 260 mil em mulheres, segundo dados do Inca (Instituto Nacional de Câncer). Uma boa alimentação – que passa longe de embutidos, bolachas, sal entre outros – e exercícios físicos regulares ajudam a prevenir a doença, segundo especialistas ouvidos pela reportagem.

 

A lista de alimentos considerados causadores da doença começa com os embutidos, como linguiça, salsicha, presunto, peito de peru. Segundo o nutricionista do Inca, Fábio Gomes, estes produtos contém conservantes que em contato com o sulco gástrico (produzido no estômago) são transformados em substâncias cancerígenas.

 

— O sal ou alimentos que possuam muito deste elemento, como o bacalhau, é prejudicial também. Ele provoca uma agressão no estômago que pode estimular as alterações nas células.

Além de evitar estes alimentos, Gomes afirma que o modo em que se preparam as carnes pode ser prejudicial à saúde. O ideal é que o peixe, o frango, a carne vermelha sejam preparadas no forno ou cozidas na panela.

 

— Quando submetidas a uma temperatura altíssima [chapa, grelhada ou frita], aparecerá um composto cancerígeno, que provocam mutação das células. Vai fazer um peixe, recomendo fazer uma moqueca, por exemplo.

 

Nos hábitos alimentares cotidianos, o nutricionista ainda conta que o ideal é evitar também produtos com muita concentração de quantidade de energia, como biscoitos, lanches, sanduíches, e bebidas açucaradas, como refrigerantes, sucos, mates.

 

Frutas, legumes, verduras e fibras são alimentos que ajudam a prevenir o câncer. Segundo Gomes, elas protegem as células de agressões que podem deixá-las doentes e desenvolver o câncer. Além disso, estes produtos possuem compostos que bloqueiam a chegada dos elementos cancerígena e, caso as células doentes se multipliquem, eles conseguem matar as defeituosas.

 

— O ideal é reduzir ao máximo ingerir alimentos pré-prontos e recorrer à alimentação mais fresca. Exercícios físicos ajudarão a prevenir ganho de peso e o equilíbrio hormonal, que evita o superestímulo de produção desenfreada de células.

 

Hábitos de vida

Apesar da evolução da medicina nos últimos anos, segundo a coordenadora de oncologia do Instituto do Câncer, Pilar Esteves Diz, a tendência é que a doença se torne a primeira causa de morte.

 

— Os tratamentos evoluíram muito, novas drogas etc. Mas é preciso que as pessoas mudem seus hábitos de vida. O câncer é uma doença de saúde pública.

 

Além de alimentação saudável, exames preventivos devem ser feitos periodicamente. De acordo com a médica, quanto antes a descoberta da doença, mais é possível de ser tratada e chegar à cura.

 

R7


O Ministério da Saúde disponibilizou para o Piauí este ano a quantia total de R$ 1.486.500,71 para campanhas de vacinação no Estado. As campanhas devem atender as vacinações anuais de influenza sazonal, multivacinação (poliomielite e atualização de esquema vacinal em crianças menores de 5 anos de idade) e raiva animal.

Segundo o órgão, em 2012, o investimento no país será de R$ 81.034.880,82, 24% superior ao total de 2011, que foi de R$ 61.748.531,98. A informação consta no Diário Oficial da União.

O motivo para ampliação dos recursos está relacionada à campanha nacional de multivacinação para os menores de cinco anos de idade, que será realizada pela primeira vez, em agosto, com o propósito de iniciar, dar continuidade ou completar esquema de vacinas no calendário da criança.

Este ano, o Calendário Básico de Vacinação da Criança será ampliado com a introdução da vacina injetável contra pólio, feita com vírus inativado. A nova vacina será utilizada no calendário de rotina, em paralelo com a campanha nacional de imunização, esta realizada com as duas gotinhas da vacina oral. A injetável, no entanto, só será aplicada para as crianças que estão iniciando o calendário de vacinação. Além disso, a vacina pentavalente, que reúne em uma só dose a proteção contra cinco doenças (difteria, tétano, coqueluche, Haemophilus influenza tipo B e hepatite B) será distribuída pela primeira vez.

Atualmente, a imunização para estas doenças é oferecida em duas vacinas separadas. Na fase infantil, quando há um maior acompanhamento, até mesmo pelo número de vacinas que precisam ser tomadas (26 doses de 0 a 10 anos), a frequência aos postos de saúde são bem maiores. No entanto, é entre os 15 meses e 4 anos, quando há um intervalo maior de vacinação, que se nota o esquecimento de muitos pais, e muitas crianças acabam passando mais que o tempo necessário sem serem imunizadas.

Situações como essas forçam o investimento maior do poder público e foi o que motivou a realização de um Monitoramento Rápido de Coberturas vacinais (MRC).

O acompanhamento acontecerá no próprio domicílio e terá como objetivo averiguar a situação vacinal das crianças (menores de cinco anos de idade) com a verificação do cartão de vacina.

Jordânia Santos é mãe de duas crianças e sempre se precaveu com relação à vacinação de seus filhos. Além das campanhas, ela garante ter em mãos o cartão de vacina mantendo sempre atualizado. “Meus filhos nunca tiveram nenhuma doença.

E isso se deve a essa prevenção. Minha vizinha trabalha no posto de saúde e ela sempre me diz quando tem vacinas para tomar. Afinal é um cuidado a mais com nossos filhos e saúde vem sempre em primeiro lugar”, afirma Jordânia.
Meio Norte

Subcategorias