• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

Nos últimos anos, a vitamina D tem sido alvo de intensos debates e pesquisas no campo da ciência nutricional. De um lado, havia a crença generalizada de que todos deveriam tomar suplementos dessa vitamina, enquanto estudos mais recentes questionam essas afirmações. Mas o que a ciência diz sobre a vitamina D? Quem realmente pode se beneficiar dos suplementos?

O papel crucial da vitamina D na saúde óssea

A vitamina D, essencial para o corpo humano, é única, pois pode ser obtida tanto pela exposição solar quanto pela alimentação. Sua forma ativa, chamada vitamina D3, é produzida na pele quando exposta à luz solar e também está presente em alimentos como peixes gordurosos, gemas de ovos e produtos lácteos fortificados.

Essa vitamina desempenha um papel crucial na absorção de cálcio e fósforo, fundamentais para ossos e dentes saudáveis, além de regular o sistema imunológico, a função muscular e a saúde cardiovascular. Deficiências severas podem levar a condições como raquitismo em crianças e osteoporose em adultos. Apesar da crucial importância da vitamina D, é alarmante que uma significativa parcela da população global enfrente deficiências desse nutriente, especialmente em áreas onde a exposição solar é limitada. Fatores como condições climáticas, estilo de vida urbano e o uso de protetores solares podem contribuir para essa carência. Diante desse cenário, surge a questão crucial: quem, de fato, necessita de suplementação para garantir níveis saudáveis.

Quem deve considerar suplementos de vitamina D

Embora a exposição ao sol e uma dieta equilibrada possam fornecer vitamina D suficiente para muitas pessoas, certos grupos têm maior probabilidade de apresentar deficiências. Crianças amamentadas, idosos, mulheres grávidas e pessoas com tons de pele mais escuros podem precisar de suplementação adicional para atender às suas necessidades nutricionais. As doses recomendadas de vitamina D variam amplamente de acordo com a idade, condições de saúde e fatores individuais.

Um dos desafios é garantir que aqueles que necessitam de suplementos não exagerem nas doses. Por isso, é importante consultar um profissional de saúde qualificado para avaliar o histórico médico, realizar exames de sangue para medir os níveis de vitamina D e fornecer recomendações personalizadas com base nas necessidades específicas de cada pessoa.

Embora a ciência continue a revelar novas descobertas sobre a vitamina D, uma coisa é clara: sua importância para a saúde humana é inegável. No entanto, é importante adotar uma abordagem equilibrada ao usar suplementos, garantindo que apenas aqueles que realmente precisam deles os utilizem e que as doses sejam cuidadosamente monitoradas. Ao entender melhor as nuances dessa vitamina, podemos tomar decisões mais informadas para promoção da nossa saúde.

Mega Curioso

Resumo Um grupo de distúrbios intestinais que causam a inflamação do trato digestivo. Sintomas Se você estiver apresentando sintomas novos, graves ou persistentes, procure um médico. Os sintomas podem variar de leve a grave e incluem:

Diarreia Febre Fadiga Sangue nas fezes Úlceras hemorrágicas Dor de estômago Inchaço e cólicas Apetite reduzido Perda de peso não intencional Anemia Flatulência → Opções de tratamento comuns

→ Como isso é diagnosticado?

Causas A doença inflamatória intestinal não pode ser atribuída a uma única causa. No entanto, os fatores genéticos e o sistema imunológico estão associados a essa doença. A seguir estão listados alguns fatores de risco associados a essa condição:

Histórico familiar Autoimunidade, condição no qual o sistema imunológico ataca as próprias células do corpo Fatores ambientais como fumaça de cigarro ou poluição Etnia: caucasianos e asquenazes são os grupos em maior risco Idade: Afeta todas as faixas etárias, mas geralmente começa antes dos 35 anos Área geográfica: As pessoas que moram em áreas urbanas estão em maior risco Estresse Certos medicamentos, como os antiinflamatórios nãoesteroidais (AINEs)

Microsoft Start Health

 

A niacina, conhecida como vitamina B3, é um nutriente essencial encontrado em muitos alimentos e suplementos.

vitaminab3

Historicamente apreciada por suas propriedades de fortalecimento da energia e redução do cansaço, uma nova pesquisa aponta para um lado menos conhecido desta vitamina.

O que o excesso da vitamina B3 pode causar? Publicado recentemente no Nature Medicine, um estudo envolvendo a análise de amostras de sangue de mais de 3.000 adultos, revelou que altos níveis de um metabólito chamado 4PY, resultante da decomposição da vitamina B3, estão ligados a um aumento significativo no risco de eventos cardíacos graves, como infarto e AVC.

Os cientistas examinaram amostras de sangue e avaliações cardiovasculares de 2.331 adultos nos Estados Unidos e 832 na Europa. Os participantes também acabaram sendo monitorados para eventos cardíacos ao longo de três anos. Aqueles com níveis elevados de 4PY apresentaram 60% mais chances de enfrentar complicações cardíacas comparados aos com níveis inferiores.

Pode a vitamina B3 continuar sendo segura em alimentos fortificados? O estudo levanta questões importantes sobre as práticas comuns de fortificação de alimentos com vitamina B3, especialmente nos Estados Unidos.

De acordo com os pesquisadores, é crucial repensar essas práticas para evitar o aumento dos riscos de doenças cardiovasculares associados aos altos níveis de 4PY.

“A investigação do risco cardiovascular residual é crucial. Descobrimos mais do que esperávamos e isso pode conduzir a novas abordagens para tratar ou prevenir problemas cardíacos relacionados a essa vitamina”, disse Dr. Hazen, um dos autores do estudo e presidente de Ciências Cardiovasculares e Metabólicas da Cleveland Clinic.

Afinal, como essa informação afeta o uso diário de vitamina B3? Enquanto a comunidade científica investiga mais a fundo, é aconselhável que indivíduos que utilizam suplementos de niacina consultem profissionais de saúde para avaliar possíveis riscos e benefícios, personalizando o uso desta vitamina com base em uma avaliação médica cuidadosa.

Os autores enfatizam a necessidade de mais pesquisas para avaliar completamente os efeitos a longo prazo dos níveis elevados de 4PY. O foco será especialmente na aterosclerose e outras condições cardíacas.

Por fim, essa descoberta não apenas ilumina os potenciais riscos do excesso de niacina, mas também abre portas para o desenvolvimento de novas estratégias de diagnóstico e tratamento.

Catraca Livre

Foto: © iStock/bit245

Nesta quarta-feira, 08 de maio, mais de 100 municípios do Piauí se uniram em uma grande iniciativa: o "Dia D do Mais Saúde Bucal" no âmbito do Programa Saúde na Escola (PSE). A ação foi coordenada pelos Ministérios da Saúde (MS) e da Educação (MEC), visando promover a saúde bucal entre os estudantes.

Em Floriano, sob a supervisão de cirurgiões-dentistas e Técnicos em Saúde Bucal (TSBs), as atividades foram diversificadas e incluíram desde educação em saúde bucal até atendimentos odontológicos. Entre os serviços prestados, destacam-se a aplicação tópica de flúor, a escovação supervisionada e o tratamento restaurador atraumático, uma técnica baseada no conceito de mínima intervenção, adotada sempre que identificada a necessidade.

Além dos cuidados diretos, os estudantes também foram beneficiados com a distribuição de kits de higiene bucal, reforçando a importância dos hábitos de higiene para a manutenção da saúde oral. Essa iniciativa não apenas trata problemas odontológicos, mas também investe na prevenção e educação, contribuindo para uma geração com sorrisos mais saudáveis e felizes.

Secom

Subcategorias