Uma pesquisa realizada pelo IBOPE Conecta, sob encomenda da farmacêutica Pfizer, mostrou que homens que são pais têm mais dúvidas em saúde infantil do que as mães. O estudo 'Doenças infectocontagiosas nos dois primeiros anos de vida: mitos e temores da família brasileira' foi, realizado com mil pais das classes A, B e C de todo o país.

Segundo o estudo, um em quatro pais, ou 26%, não sabe que a meningite pode ser evitada pela vacinação, contra 17% das mães. A vacina menigocócica C é oferecida pela rede pública de saúde e está disponível para crianças até cinco anos.

Esssa vacina é ministrada em três doses: uma aos três meses de idade, outra aos cinco e um reforço ao completar um ano. Existem também as vacinas meningocócicas A, B, W e Y, mas essas não são disponibilizadas pelo SUS.


Entre outras doenças graves evitáveis que pais mostraram desconhecimento em relação à vacinação estão o tétano (pais 26%; mães 14%); rubéola (pais 28%; mães 14%); poliomielite (pais 26%; mães 18%); sarampo (pais 30%; mães 17%); coqueluche (pais 39%; mães 24%); catapora (pais 46%; mães 31%); caxumba (pais 46%; mães 33%); tuberculose (pais 62%; mães 52%); e pneumonia ( pais 73%; mães 63%).

Na pesquisa, ainda, cerca de 19% dos pais acreditam que tomar muitas vacinas nos dois primeiros anos de vida da criança sobrecarregaria seu sistema imunológico, contra 11% das mães.


Entre outras doenças graves evitáveis que pais mostraram desconhecimento em relação à vacinação estão o tétano (pais 26%; mães 14%); rubéola (pais 28%; mães 14%); poliomielite (pais 26%; mães 18%); sarampo (pais 30%; mães 17%); coqueluche (pais 39%; mães 24%); catapora (pais 46%; mães 31%); caxumba (pais 46%; mães 33%); tuberculose (pais 62%; mães 52%); e pneumonia ( pais 73%; mães 63%).

Na pesquisa, ainda, cerca de 19% dos pais acreditam que tomar muitas vacinas nos dois primeiros anos de vida da criança sobrecarregaria seu sistema imunológico, contra 11% das mães.


Entre as vacinas que com baixa cobertura estão a tríplice viral, meningocócica C, pneumocócica, poliomielite, pentavalente, rotavírus e hepatite A.

As vacinas de aplicação obrigatória durante a infância são BCG, tríplice viral, meningocócica C, pneumocócica, poliomielite, pentavalente, rotavírus e hepatite A.

 

R7

agualimaoEstá procurando métodos saudáveis e naturais de emagrecimento? Aqui no Quero Viver Bem você confere tudo a respeito da água com limão, com dicas de consumo!

Não, a água com limão não emagrece. Contudo, ela pode ser um fator diferencial na luta contra a perda de peso graças aos nutrientes que essa fruta possui.

É correto dizer que a água com limão é uma bebida bastante interessante para a saúde, mas a questão do emagrecimento acontece justamente pelas propriedades existentes no limão, além dos próprios hábitos alimentares e esportivos que toda pessoa deve ter para perder peso com saúde.


BENEFÍCIOS DA ÁGUA COM LIMÃO
Um dos maiores benefícios do consumo da água com limão está em sua capacidade de diminuir a vontade de comer doce, pois seu gosto azedo faz com que as papilas gustativas sejam estimuladas para esse sabor, reduzindo o desejo pelo açúcar.

Ainda, a água com limão se destaca por:

Ajudar a manter os ossos saudáveis, prevenindo danos causados por infecções microbianas;
Aumentar a queima de gordura;
Auxiliar o processo digestivo;
Contribuir para a remoção de gases;
Eliminar toxinas no organismo;
Fortalecer o sistema imunológico;
Impedir a formação de pedras nos rins;
Reduzir o colesterol ruim (LDL) no sangue;
Retardar o envelhecimento;
Ser diurética, acelerando a eliminação de substâncias nocivas.


A água com limão também pode melhorar o humor por causa do seu sabor cítrico, relaxando a mente e o corpo.
Obviamente, para emagrecer você precisa adotar uma alimentação balanceada e hipocalórica, além de praticar exercícios físicos com regularidade para queimar mais calorias.

COMO INGERIR ÁGUA COM LIMÃO?
A água com limão para emagrecer deve ser ingerida diariamente, de preferência em jejum.

No entanto, existem pessoas que sofrem com constipação ou má digestão – sendo assim, o consumo da bebida deve ser feito antes das refeições.
Faça uso de um limão inteiro com a quantidade de água que mais achar adequado.

Caso você sofra com alguma gastrite ou sabe que tem feridas no estômago e esôfago, saiba que a água com limão é contraindicada, pois pode machucar ainda mais os órgãos.

 

queroviverbem

Um novo medicamento para o tratamento de câncer de mama avançado estendeu a sobrevida de mulheres com a doença na pré-menopausa, segundo um estudo da Universidade da Califórnia (UCLA), em Los Angeles, Estados Unidos, apresentado na reunião anual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco), em Chicago, no sábado (1º).

Cerca de 70% das mulheres que receberam uma terapia combinada com o novo medicamento estavam vivas após 42 meses do tratamento, em comparação com 46% daquelas que foram tratadas apenas com a terapia hormonal. Isso representou uma redução de 29% no risco de morte.


O câncer de mama avançado é a principal causa de morte por câncer em mulheres de 20 a 59 anos de idade, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

O órgão estima que 627 mil mulheres morreram de câncer de mama em todo o mundo só este ano, o que corresponde a 15% de todas as mortes por câncer entre mulheres.

O câncer de mama avançado é menos comum em mulheres na pré-menopausa do que em mulheres na pós-menopausa, mas a incidência está aumentando, segundo o estudo. Nos Estados Unidos, a incidência dessse tipo de câncer cresceu 2% ao ano em mulheres de 20 a 39 anos.


"O estudo é o primeiro a mostrar um benefício significativo na sobrevivência de mulheres na pré-menopausa com câncer de mama metastático", afirma Sara Hurvitz, diretora do Programa de Pesquisa Clínica de Câncer de Mama do Jonsson Comprehensive Cancer Center da UCLA, principal autora do estudo, em nota.

O novo medicamento se chama Ribociclib. Trata-se de uma terapia que inibe a atividade de enzimas promotoras de células cancerosas conhecidas como 4/6 quinases dependentes de ciclina (CDK 4/6).


Em julho do ano passado, a FDA (Food and Drug Administration), que regulamenta os medicamentos nos Estados Unidos, aprovou o uso do remédio em combinação com um inibidor de aromatase, medicamento que reduz os níveis de estrogênio, bloqueando a aromatase, uma enzima no tecido adiposo, para seu uso em mulheres na pré-menopausa.

para incluir mulheres pré-menopausa com câncer de mama avançado ou metastático negativo para HER2 negativo para receptor de hormônio.

O estudo foi realizado com 672 mulheres com menos de 59 anos que não haviam recebido terapia hormonal prévia. Elas foram acompanhadas por três anos.

As mulheres que receberam o ribociclibe viveram uma média de 23,8 meses sem que a doença progredisse em comparação com 13 meses para aquelas que receberam o placebo.


Os pesquisadores afirmam no estudo que estão fazendo análises para determinar quais mulheres podem se beneficiar mais com o uso do ribociclibe.

Segundo divulgado pela rede norte-americana CNN, a reação adversa mais comum à droga foi uma contagem baixa de glóbulos brancos, o que pode levar a infecções.

 

R7

De vez em quando aparecem estudos afirmando que o café faz mal e pode prejudicar a saúde, incluindo a cardíaca já que pode promover rigidez arterial e aumentar o risco de ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC). No entanto, novo estudo indica que tomar café – mesmo em doses diárias altas – não favorece o endurecimento das artérias. “Descobrimos que beber mais de três xícaras de café por dia não aumenta significativamente a rigidez dos vasos sanguíneos em comparação com pessoas que bebem uma xícara ou menos por dia”, comentou Kenneth Fung, da Queen Mary University, na Inglaterra, à CNN.

Os resultados ainda mostraram que mesmo os indivíduos que bebem até 25 xícaras de café por dia não estão em maior risco do que aqueles que tomam menos de uma xícara. Isso indica que o café não oferece riscos cardíacos. Apesar disso, os pesquisadores orientam que as pessoas evitem ingerir café acima da média recomendada pelas autoridades de saúde (até cinco xícaras por dia), já que em altas doses a cafeína pode causar insônia, agitação e dor no estômago por estimular a produção de suco gástrico.

O estudo
A pesquisa, financiada pela Fundação Britânica do Coração, acompanhou 8.412 pessoas em todo o Reino Unido. Elas foram divididas em três grupos: no primeiro foram colocados os participantes que ingeriam menos de uma xícara de café por dia; no segundo, aqueles que bebiam entre uma e três xícaras diárias; e no terceiro, as pessoas que bebiam mais de três – neste grupo estava incluso alguns indivíduos que tomavam até 25 xícaras por dia. Os pesquisadores excluíram qualquer participante que ingeria mais do que esta quantidade.


Para verificar o estado das artérias dos voluntários, a equipe realizou exames de ressonância magnética e testes de ondas de pulso (esse exame, especificamente, mede a rigidez arterial). Os cientistas também avaliaram fatores de riscos para endurecimento das artérias e problemas cardíacos, incluindo idade, sexo, etnia, peso, dieta, tabagismo e alcoolismo.


Os resultados mostraram que a probabilidade de um indivíduo que bebe café desenvolver rigidez arterial é a praticamente a mesma para quem toma muito ou pouco. “A principal mensagem é que o café pode ser apreciado como parte de um estilo de vida saudável, e os amantes de café podem ficar tranquilos quanto ao medo de rigidez dos vasos sanguíneos”, ressaltou Fung.

Benefícios do Café
De acordo com a Revista Saúde, quando tomado em doses moderadas – de 4 a 5 xícaras por dia – o café pode trazer inúmeros benefícios para a saúde, incluindo aumento da expectativa de vida, metabolismo mais rápido (o que ajuda na queima de calorias), fortalecimento da memória e do coração, redução do diabetes, proteção contra o Alzheimer e alívio dos sintomas de Parkinson.

 

veja