• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

Embora muita gente já saiba que o corpo produz vitamina D quando exposto ao sol, existem outras maneiras de obter o nutriente. Alguns alimentos oferecem a ovo16102012vitamina D em abundância e o jornal Huffington Post reuniu algumas dicas para incorporá-los à sua dieta. A publicação indica que a maior parte da vitamina D que consumimos vem de alimentos fortificados, como o suco de laranja, o leite e os cereais. Essa vitamina aumenta a absorção do cálcio, além de melhorar a saúde da pele e agir no combate à depressão.

 

Algumas pessoas optam por ingerir este nutriente em cápsulas, para alcançar a recomendação diária, que é de 600 International Units (IUs) para adultos. No entanto, existem muitas fontes naturais e, incluindo um pouco a cada dia, você pode trazer muitos benefícios para o corpo. Confira alguns exemplos:

Salmão

Existe um número grande de alimentos marinhos com altas doses de vitamina D. O salmão está no topo da lista. Aproximadamente 100g do alimento enlatado oferecem 650 IUs, mais do que você precisa para um dia.

 

Atum enlatado

Cerca de 100g de atum enlatado e conservado em água fornece 154 IUs, quase um terço do que pede a recomendação diária. O atum conservado em óleo contém ainda mais vitamina D, no entanto, é mais gorduroso.

 

Sardinha

Outro alimento enlatado que pode ser uma opção para uma dieta mais rica em vitamina D é a sardinha. Duas latas destes pequenos peixes oferecem 46 IUs, que representam cerca de 13% do valor recomendado diariamente.

 

Gema de ovo

Uma gema grande de ovo contém 37 IUs de vitamina D. Além disso, ovos são boas fontes de proteína e, apesar de serem associados ao colesterol, não estão ligados ao aumento de risco de problemas cardíacos.

 

Queijos

Uma fatia de queijo suíço contém cerca de 6 IUs, é menos processada e contém menos sódio do que o queijo americano. Um copo de ricota oferece 25 IUs, mas deve ser consumida com moderação, pois também possui gordura.

 

Bife de fígado

Cerca de 100g de bife de fígado pode prover 42 IUs de vitamina D, além de ser uma ótima fonte de ferro.

 

Cogumelos

Alguns tipos de funghi, quando mais expostos à luz solar, podem conter níveis benéficos de vitamina D. Dê preferência às marcas que priorizam este tipo de cultivo.

 

Terra

É chocante ler em chats histórias de adolescentes que cortam braços e pernas sem motivo aparente e estampam cicatrizes e marcas de queimaduras na automutilacao16102012pele. Tamanha agressividade contra si mesmo é chamada de automutilação, conforme explica a psiquiatra Dra. Regina Alvares Biscaro, professora de psicoterapia da disciplina de Psiquiatria da Faculdade de Medicina do ABC.

 

— A automutilação é um distúrbio de comportamento que pode ter várias causas, entre elas, transtornos obsessivos, quadros depressivos ou o que chamamos de Transtorno de Personalidade Borderline, caracterizado pela impulsividade.

 

A especialista acrescenta que este comportamento agressivo também pode ser resultado do uso de drogas e álcool ou ainda uma tentativa de chamar a atenção dos pais. Para a psiquiatra Dra. Jackeline Giusti, do Ambulatório Geral da Infância e Juventude do Hospital das Clínicas de São Paulo, a automutilação atua como uma medicação para aliviar o estado emocional do adolescente.

 

— A automutilação é usada para aliviar sensações de angústia, tristeza e culpa, que também são sintomas da depressão.

Embora raro, o problema existe e precisa ser tratado adequadamente. De acordo com a psiquiatra do HC, alguns sinais podem indicar a necessidade de ajuda médica.

 

— Geralmente, os pais notam mudanças de comportamento, desinteresse por atividades que antes o filho gostava, queda de rendimento escolar, isolamento, uso de roupas de manga longa em dias quentes e cortes frequentes nos braços e pernas.

 

A médica da Faculdade de Medicina do ABC explica que o tratamento consiste em psicoterapia e, em alguns casos, medicação. Apesar de ser um pouco longo, ela garante que é possível superá-lo sem grandes prejuízos.

 

—É muito importante os pais manter-se próximos dos filhos, conhecer seus gostos pessoais e saber quem são seus amigos. Além disso, os adultos precisam dialogar mais com os adolescentes, impor limites e participar do seu dia a dia.

 

R7

Cientistas da China descobriram que o fumo pode aumentar o risco de catarata em pessoas mais velhas. A pesquisa revela que fumantes e ex-fumantes apresentaram maior risco de desenvolver a condição relacionada com a idade.

 

"Embora a catarata possa ser removida cirurgicamente para restaurar a visão, muitas pessoas continuam cegas devido a essa condição, em função da insuficiência de serviços cirúrgicos e custo da cirurgia. Identificar fatores de risco modificáveis para a catarata pode ajudar a estabelecer medidas preventivas e reduzir o gasto, bem como carga clínica causada pela doença", afirma o autor Juan Ye, da Zhejiang University, na China.

 

A equipe analisou 12 grupos e oito estudos caso-controle da África, Ásia, Austrália, Europa e América do Norte, para comparar a prevalência de cataratas relacionadas à idade em indivíduos que fumavam cigarros e aqueles que nunca fumaram.

 

Outras análises de subgrupos foram realizadas com base na classificação dos participantes como ex-fumantes ou fumantes atuais e três subtipos de cataratas relacionadas à idade. Os resultados mostraram que todos os indivíduos que fumaram cigarros tinham um maior risco de catarata relacionada com a idade, com um maior risco de incidência entre os fumantes atuais.

 

Na análise de subgrupos, os ex-fumantes e os atuais demonstraram uma associação positiva com dois dos subtipos da doença: catarata nuclear, quando a turvação é no núcleo central do olho; e catarata subescapular, quando a turvação ocorre na parte de trás da cápsula do cristalino.

 

A análise não encontrou nenhuma associação entre o tabagismo e a catarata cortical, em que a turvação afeta o córtex da lente. Enquanto a análise global sugere que fumar cigarros pode aumentar o risco de catarata relacionada à idade, os pesquisadores apontam que mais pesquisas ainda são necessárias para esclarecer os mecanismos subjacentes.

 

"Acreditamos que nossa análise pode inspirar estudos de mais alta qualidade. A pesquisa mostrou que a associação entre tabagismo e risco de catarata relacionada à idade diferem por subtipos, sugerindo que os processos fisiopatológicos podem ser diferentes em diferentes tipos da doença", conclui Ye.

 

 

saudenet

morangoAlém de saborosas, as frutas proporcionam nutrientes e muitos benefícios à saúde. Segundo pesquisas recentes, banana pode diminuir risco de AVC, framboesa ajuda a prevenir o câncer, maçã pode colaborar, entre outros vários benefícios, com a batalha para se manter magro e melancia no desempenho sexual.

Quer tirar proveito dessas e de outras propriedades? O Terra lista abaixo 25 delas, relacionadas à banana, framboesa, frutas cítricas, maçã, melancia, melão amargo, mirtilo, morango, nozes, romã, tomate e uva. Confira:

 

1. Comer três bananas por dia pode diminuir risco de AVC: a fruta mais popular do Brasil pode prevenir acidente vascular cerebral (AVC). Cientistas britânicos e italianos sugerem três bananas por dia para obter o benefício. Os pesquisadores analisaram dados de 11 estudos diferentes e constataram que uma ingestão de cerca de 1,6 mil miligramas de potássio por dia (cada banana oferece por volta de 500 miligramas) reduz as chances de derrame cerebral em 21%. O consumo de outros alimentos ricos no elemento, como espinafre e nozes, também é benéfico.

 

2. Framboesa pode ajudar a prevenir câncer: cientistas da Universidade de Ohio State, nos Estados Unidos, identificaram componentes em framboesas pretas que poderiam ajudar a prevenir o câncer. Durante seus estudos, descobriram reduções significativas nos tumores de cólon e esôfago em ratos alimentados com a iguaria. Esse tipo de framboesa tem um sabor mais intenso que as tradicionais e é rica em ácido elágico, antocianinas e antioxidantes, que ajudam a destruir os radicais livres.

 

3. Frutas cítricas podem reduzir risco de AVC: comer frutas cítricas, como laranja e toranja, é uma boa aposta para as mulheres. De acordo com uma pesquisa da Universidade de East Anglia, na Inglaterra, essas iguarias reduzem o risco de acidente vascular cerebral (AVC) isquêmico. Segundo o site Female First, o levantamento analisou o risco da doença e o consumo de frutas e legumes que contêm flavonoides, compostos antioxidantes que são anti-inflamatórios e melhoram a função dos vasos sanguíneos. Constatou-se que os flavonoides encontrados em frutas cítricas, as flavanonas, conferem maior proteção contra o problema.

 

4. Para quem gosta de maçã, uma boa notícia. Comer duas por dia pode reduzir o risco de doença cardíaca em mulheres, já que diminui os níveis de colesterol, de acordo com uma pesquisa da Universidade Estadual da Flórida, nos Estados Unidos. Segundo o jornal Daily Mail, os cientistas analisaram 160 pessoas do sexo feminino que já haviam passado pela menopausa.

 

5. Uma maçã por dia pode diminuir risco de câncer colorretal: uma pesquisa polonesa, divulgada na publicação European Journal of Cancer Prevention, afirma que comer maçã regularmente pode reduzir o risco de desenvolver câncer colorretal. A diminuição da chance de ter a enfermidade foi observada nos voluntários que consumiram ao menos uma iguaria ao dia. As propriedades de proteção devem estar ligadas ao alto teor de flavonoides, que é cinco vezes mais prevalente na casca do que na polpa.

 

6. Vinagre de maçã pode ajudar a aumentar o colesterol bom: o colesterol bom (HDL) tem efeito protetor sobre a saúde cardiovascular. E, de acordo com uma pesquisa de Minnesota, nos Estados Unidos, uma ou duas colheres diárias de vinagre de maçã podem aumentar seus níveis. Para chegar a essa conclusão, a equipe analisou 120 pessoas. Metade delas teve de ingerir por oito dias a iguaria e, a outra, uma solução de água e 2% de vinagre balsâmico (placebo). Os cientistas acreditam que o produto acelere o processamento das gorduras.

 

7. Maçã pode diminuir o colesterol: uma maçã média possui aproximadamente 4 g de fibra e, uma parte disso, está na forma de pectina, um tipo de fibra solúvel que tem sido associada à redução dos níveis do colesterol ruim. De acordo com a WebMD, ela bloqueia a absorção de colesterol, ajudando o corpo a usá-lo em vez de armazená-lo.

 

8. Maçã pode ajudar a se manter magro: um componente da casca de uma maçã, o ácido ursólico, está relacionado a um risco menor de obesidade, segundo um recente estudo feito com ratos e divulgado pelo jornal Huffington Post. Isso porque aumenta a queima de calorias e o desenvolvimento de músculos e massa magra.

 

9. Maçã pode prevenir problemas respiratórios: segundo a revista Health, saborear pelo menos cinco maçãs por dia pode melhorar a função pulmonar. O benefício se deve a um antioxidante chamado quercetina, encontrado na pele de maçãs, cebolas e tomates, informou a BBC. Fora isso, um estudo de 2007 descobriu que as mulheres que comem muito dessa fruta são menos propensas a ter filhos com asma.

 

10. Maçã pode diminuir o risco de diabetes: um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition descobriu que as maçãs, assim como peras e amoras, estão ligadas a um risco menor de desenvolver diabetes tipo 2 por causa de uma classe de antioxidantes, antocianinas, que são também responsáveis para pela coloração de frutas e vegetais.

 

11. Maçã pode melhorar funções cerebrais: segundo o Good Housekeeping, a maçã tem sido associada a um aumento na produção de acetilcolina, que se comunica entre as células nervosas. Isso faz com que a fruta possa ajudar a memória e a diminuir as chances de desenvolver Alzheimer.

 

12. Melancia é aliada contra doenças do coração: melancia faz bem ao coração. Uma fatia por dia pode ajudar a prevenir ataques cardíacos, segundo um estudo da Universidade Purdue, nos Estados Unidos. A iguaria ajuda a baixar os níveis do mau colesterol, o LDL, principal fator que leva ao entupimento de artérias. Os pesquisadores disseram que comer a fruta regularmente colabora com a manutenção do peso e com menor acúmulo de gordura, sendo que esses benefícios são creditados ao aminoácido citrulina

 

13. Melancia pode beneficiar vida sexual: o Departamento de Agricultura americano divulgou um estudo que indica que o consumo regular de melancia é benéfico para homens e mulheres e previne a disfunção erétil, a hipertensão, melhora a sensibilidade à insulina e a degeneração macular. Isso porque a fruta é rica em licopeno, que é um poderoso antioxidante carotenoide que neutraliza radicais livres, que por sua vez, são substâncias nocivas ao corpo. Por ter muita água e açúcares naturais, colabora para tornar os fluidos do corpo (saliva, sêmen e  secreção vaginal) mais adocicados e perfumados.

 

14. Melão amargo pode diminuir o crescimento de célula de câncer de mama: uma pesquisa americana que constatou que o extrato de melão amargo (Momordica charantia) pode diminuir o crescimento das células do câncer de mama. Os cientistas utilizaram células humanas da patologia e cultura primária de células epiteliais mamárias humanas in vitro. “Nossos resultados sugerem que o extrato de melão amargo modula vários caminhos de transdução de sinal, o que induz a morte das células de câncer de mama”, disse a líder da pesquisa, Ratna B. Ray, da Universidade de Saint Louis, ao site Science Daily.

 

15. Mirtilo ode reduzir formação de células de gordura: reduzir a formação de células de gordura é o sonho de muitos. E o mirtilo (blueberry) pode torná-lo possível, de acordo com uma pesquisa da Texas Woman´s University, nos Estados Unidos. A pesquisadora Shiwani Moghe decidiu verificar se os polifenois da fruta conseguem inibir a obesidade na fase molecular. Para isso, usou quantidades diferentes deles em culturas de tecidos de ratos. Constatou que a maior concentração rendeu uma diminuição de 73% em lipídios (gordura) e, a menor, de 27%. Segundo o site <i>Science Daily</i>, é preciso realizar testes em humanos para analisar se as doses são eficazes e se há possíveis efeitos adversos.

 

16. Suco da com a fruta pode melhorar a memória de idosos: problemas de memória costumam atrapalhar a vida dos idosos. E, de acordo com uma pesquisa divulgada na publicação Journal of Agricultural and Food Chemistry, da Sociedade Química Americana, o mirtilo (blueberry) pode ajudar na situação. Idosos que ingeriram suco da iguaria mostraram melhoras significas de aprendizado e em testes de memória. O estudo envolveu profissionais da Universidade de Cincinnati, nos Estados Unidos, e os Departamentos da Agricultura dos Estados Unidos e do Canadá.

 

17. Antioxidante do morango pode prevenir rugas: o ácido elágico, um antioxidante encontrado no morango, tem efeito fotoprotetor. Pesquisadores da Universidade Hallym, da República da Coreia, comprovaram que a substância protege as células da pele humana contra os danos dos raios ultravioletas, bloqueando a produção de enzimas matriz metaloproteinases (MMP), que quebram o colágeno, e reduzindo a manifestação da ICAM, molécula envolvida na inflamação. O estudo foi feito em camundongos jovens e sem pelos, comumente usados em pesquisas dermatológicas por causa das semelhanças fisiológicas da pele.

 

18. Nozes podem manter fome sob controle e combater gordura da barriga: para quem gosta de saborear noz, amêndoa e avelã, uma boa notícia. Um punhado por dia desses frutos oleaginosos pode manter a fome sob controle e combater a temida gordura abdominal, segundo pesquisadores da Universidade de Barcelona, na Espanha. O levantamento apontou pela primeira vez uma ligação entre as iguarias e aumento do nível de serotonina, uma substância que regula o apetite e o humor, além de melhorar a saúde do coração.

 

19. Nozes podem tornar o crescimento do câncer de próstata mais lento: cientistas americanos da Universidade da Califórnia - Davis e do Centro de Pesquisa Regional do Oeste, do Departamento Americano de Agricultura, constataram que nozes podem tornar mais lento o crescimento do câncer de próstata, segundo testes em ratos. Os animais que consumiram a iguaria tiveram o aumento dos tumores reduzido de 30% a 40%.

 

20. Romã pode tornar o envelhecimento do DNA mais lento: a romã recebeu o status de “elixir da juventude”, porque um estudo do laboratório espanhol ProbelteBio constatou que pode tornar o processo de envelhecimento do DNA mais lento. Os cientistas, liderados por Sergio Streitenberger, forneceram a 60 voluntários diariamente, ao longo de um mês, uma cápsula com extrato da fruta inteira (medula, casca e sementes). Nos que lançaram mão da fruta, constatou-se uma diminuição significativa do marcador 8-Oxo-DG, associado a danos celulares, que podem causar deficiência no cérebro, músculo, fígado e rim, além de envelhecimento da pele. A pesquisa foi financiada pela empresa fabricante de suco Pomegreat, do Reino Unido.

 

21. Suco de romã pode deixar pessoa mais entusiasmada com trabalho: estressado com as longas e cansativas horas no escritório? Pois saiba que, de acordo com uma pesquisa financiada pela empresa fabricante de suco Pomegreat, do Reino Unido, suco de romã pode ajudar a se sentir mais entusiasmado com o trabalho. Os cientistas, liderados por Emad Al-Dujaili, da Universidade Queen Margaret, na Escócia, analisaram voluntários que beberam 500 ml suco da iguaria por dia durante duas semanas. Segundo reportagem publicada pelo jornal Daily Mail, quase todos os participantes relataram estar mais entusiasmados, inspirados, orgulhosos e ativos.

 

22. Suco de romã pode diminuir chance de armazenar gordura abdominal: romã pode ajudar no combate à temida gordura abdominal. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Edimburgo, na Escócia, o suco da romã tornaria seus apreciadores menos propensos a desenvolver células de gordura na região. Os 24 voluntários de ambos os sexos ingeriram uma garrafa de 500 ml da bebida por dia, ao longo de quatro semanas. No fim do período, quase metade deles apresentaram níveis baixos de ácido graxo não-esterificados, relacionado com maior armazenamento de gordura em torno do abdômen e aumento do risco de doença cardíaca e diabetes tipo II. Além disso, 90% do grupo apresentou pressão arterial menor.

 

23. Extrato de romã pode estimular contração do útero no parto: contrações fracas podem prejudicar algumas mães na hora do parto. A boa notícia é que cientistas da Universidade de Liverpool, na Inglaterra, e da Universidade Suranaree de Tecnologia, na Tailândia, constataram que o esteroide beta-sitosterol, presente nas sementes de romã, poderia ser usado para intensificá-las. A análise verificou o extrato da semente da fruta e seu efeito sobre amostras do músculo liso uterino.

 

24. Dois copos de suco de tomate por dia podem ajudar a prevenir osteoporose: aos apreciadores de tomate, um motivo a mais para ingeri-lo. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Toronto, no Canadá, dois copos de suco da iguaria fortalecem os ossos e podem prevenir a osteoporose. O possível responsável pelo benefício é o licopeno, que dá a cor vermelha ao alimento. A equipe de cientistas analisou 60 mulheres na pós-menopausa, com idades entre 50 a 60.

 

25. Uva pode proteger contra câncer de pele e prevenir envelhecimento prematuro: a uva não é só saborosa. Também pode proteger contra o câncer de pele e prevenir o envelhecimento prematuro, de acordo com um estudo da Universidade de Barcelona e do Conselho Nacional de Pesquisa, ambos da Espanha. Os responsáveis pelos benefícios são os flavonoides extraídos da fruta. Esses compostos defendem as células da radiação ultravioleta emitida pelo sol, relacionada aos problemas de pele. 

 

 

 Terra

Subcategorias