• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

brocolisHá quem ainda torça o nariz para legumes e verduras. Mas ignorar estes alimentos, que gerações e gerações de mães insistem em incorporar ao cardápio da educação alimentar básica, parece estar com os dias contados. O motivo? Cada vez mais estudos apontam que são cruciais para a saúde, estando entre os benefícios comprovados alguns ingredientes capazes de combater o câncer.

 

Entre as estrelas do menu, estão brócolis, couve de Bruxelas, couve-flor e repolho – fonte rica de vitaminas K, A, C, ácido fólico, fibras e 45 diferentes flavonóides com grande variedade de antioxidantes e anti-inflamatórios. Ou seja, nada que um bom tempero não resolva.

 

Pesquisadores da Universidade de Oregon State, nos Estados Unidos, encontraram um componente chave no brócolis jovem - sulforafano – que ajuda a frear a proliferação e o crescimento do câncer de mama.

 

A recomendação diária para reduzir o risco de doenças, é de pelo menos cinco porções de vegetais verdes frescos. A prescrição é da suíça Simone Austin, especialista em dietas. “O cozimento deve ser o menor possível para evitar a perda de nutrientes como a vitamina C, que não resiste ao calor”, diz ela em entrevista ao jornal "Daily Telegraph".

 

Cerca de cinco minutos são suficientes para o cozimento de brócolis no vapor. Para fervura em água, bastam dois minutos. E atenção: o brócolis jovem pode conter 50 vezes mais sulforafano do que o vegetal maduro.

 

saudegnt

Educação alimentar traz resultados a médio e longo prazo, ainda que alguns proveitos possam ser vistos durante ou no final de uma dieta, mostra uma pesquisa da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP), da Universidade de São Paulo (USP). Licenciada em ciências, a pesquisadora Vanilde de Castro analisou no doutorado mudanças de comportamento em adultos com excesso de peso, após participarem de um Programa de Educação Alimentar coordenado pela EERP, e os fatores que facilitaram a manutenção dos hábitos adquiridos após a participação.

 

As mudanças investigadas foram quanto aos hábitos de vida - consumo de álcool, cigarro e prática de atividade física -, à alimentação e às alterações de peso, cintura e quadril. Conforme a Agência USP de Notícias, a pesquisadora dividiu os participantes do programa em dois grupos. Um com pessoas que finalizaram o programa, chamados de Grupo Intervenção, que tiveram frequência mínima de 70%. Os resultados mostraram que esses realizaram mais mudanças comportamentais do que aqueles do chamado de Grupo Abandono, que tiveram frequência igual ou inferior a 30%.

 

Estadão

ceirA delegação do Hospital de Trauma de Berlim (UKB), na Alemanha, conheceu a estrutura, o trabalho e os projetos do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), na manhã dessa sexta-feira, 5. A visita aconteceu com o objetivo de firmar parceria de cooperação entre as duas instituições, por meio de intercambio entre profissionais e estudantes da área de saúde e reabilitação.

 

A delegação, composta de setes profissionais do UKB, em sua maioria médicos, foi acompanhada pelo presidente da Associação Reabilitar, o neurocirurgião Benjamim Pessoa Vale, que explicou todo o modelo de gestão do Ceir, apresentou as instalações do Centro e explanou sobre os planos de expansão da instituição, como o Hospital de Reabilitação do Ceir.

 

“O Ceir não somente atinge o padrão de referência nacional, mas internacional. Aqui está sendo desenvolvido um trabalho excelente”, comentou o Diretor Chefe do Hospital de Trauma de Berlim, Axel Ekkernkamp.

 

O secretário de Saúde do Estado, Ernani Maia, explicou que os dois países manterão apoio mutuo. “Através de convênio, nós iremos levar profissional e estudantes a Berlim e, também, recebê-los aqui no Estado. Será uma troca de conhecimentos entre o Piauí e a Alemanha. Esse convênio acontecerá com o apoio do Ceir e de outras instituições da área de pesquisa, saúde e reabilitação” esclarece.

 

A comitiva alemã foi acompanhada ainda pelo  superintendente executivo do Ceir, Francisco Alencar e pelo o Superintendente Multiprofissional do Ceir, Aderson Luz.

 

 

governodoestado

maçaSabe-se bem que maçãs fazem bem à saúde. Tanto que existe um popular ditado que diz  "uma maçã por dia mantém o médico longe". Agora um novo estudo aprofunda essa informação, mostrando que os benefícios são importantes para a saúde do coração.

 

Uma pesquisa conduzida pela Universidade de Ohio mostrou que comer a fruta diariamente pode melhorar as condições cardíacas em apenas um mês. O estudo foi publicado no Journal of Functional Foods e divulgado pelo jornal Daily Mail.

 

Adultos, entre 40 e 60 anos, tiveram níveis do mau colesterol reduzidos em até 40% após quatro semanas. O estudo comparou os resultados com o de um grupo que consumiu cápsulas com polifenóis, antioxidante encontrado na maçã. Nesse caso, também houve queda no índice de colesterol, mas não tão significativo.

 

Os benefícios foram similares nos voluntários que apresentavam coração sem nenhum quadro de entupimento de artérias e nos que já tinham sido diagnosticados com algum problema cardíaco, mostrando que a maçã pode atuar na cura, mas também na prevenção de doenças no órgão.

 

Segundo um dos autores da pesquisa, o professor Robert DiSilvestro, os benefícios da maçã são superiores ao de outros itens, como tomate e chá verde, também apontados como poderosos antioxidantes.

 

O estudo também verificou a ação antioxidante da maçã na saliva, o que poderia colaborar para saúde bucal.

 

 

Terra

Subcategorias