lulapassabemBoletim médico divulgado às 11:45h desta segunda-feira, 13, pelo Hospital Sírio-Libanês informa que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está clinicamente bem e continua realizando tratamento fonoaudiológico, fisioterápico, hidratação endovenosa e assistência nutricional, mantendo alimentação por via oral.

 

 

 

Segundo o hospital, conforme planejado, nesta segunda-feira o ex-presidente se submeterá a radioterapia. O paciente está sob os cuidados da equipe médica coordenada pelos médicos Roberto Kalil Filho, Paulo Hoff, Artur Katz, João Luís Fernandes da Silva e Cláudia Cozer.

 

 

 

Lula está internado desde sábado, 11, quando apresentava sinais de desidratação. Exames realizados para verificar as causas do mal-estar do ex-presidente revelaram ausência do tumor na laringe. Mas de acordo com Kalil Filho, só dentro de cinco anos será possível dizer se o ex-presidente está curado do câncer.


G1

 

 

governadorinternadoO Governador Wilson Martins que no ultimo sábado, 11, foi submetido a uma cirurgia para retirada de um cisto localizado no rim esquerdo passa bem no hospital Sirio Libanês em São Paulo. A secretária de saúde, deputada Liliam Martins, esposa do governador o acompanha e tranqüilizou através do Twitter os amigos e familiares.

 

"Tranquilizo a todos os amigos (as), dizendo que Wilson (Martins) está muito bem e logo estaremos de volta, aproveitando o carnaval para o devido descanso", adiantou a deputada.

 

“Conforme Dr. Srougi, este cisto não guarda nenhuma relação com a cirurgia anterior que era um tumor no rim direito”, explicou Lilian Martins, que só deve retornar a Teresina quando o marido receber alta no Hospital Sírio Libanês.

 

 

 

O Hospital Sírio Libanês divulgou boletim médico sobre o procedimento a que foi submetido o paciente Wilson Martins.

 

"O Governador do Estado do Piauí, Wilson Nunes Martins, foi internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e submetido à intervenção cirúrgica realizada pelo Prof. Dr. Miguel Srougi, no sábado, 11/02, para remoção de cisto complexo renal esquerdo. A intervenção transcorreu de forma normal e o paciente encontra-se, no momento, em ótimas condições de recuperação pós-operatórias. Previamente e durante a intervenção, comprovou-se que o mesmo problema que havia atingido o rim direito do paciente em passado recente, apresentava-se completamente controlado, sem nenhuma evidência de doença residual ou recorrente. A alta está prevista para o final desta semana e nenhum tratamento adicional será necessário.

 

Dr. Antonio Carlos Onofre de Lira

 

Dr. Paulo Cesar Ayroza Galvão / Diretor Técnico Hospitalar Diretor Clínico".


Alepi

 

A Coordenação de Epidemiologia da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) divulgou, nesta segunda-feira (13), que o Piauí registrou, entre janeiro e fevereiro de 2012, 469 casos de dengue. O número representa um aumento de 84% em relação ao mesmo período do ano passado.

dengue 4
A capital do Piauí, Teresina, lidera o número de casos no Estado. Foram registrados até o dia 10 de fevereiro, 227 notificações. Floriano vem em seguida com 77. Apenas um caso de Dengue com complicação foi registrado em Oeiras.



Para Telma Evangelista, diretora da Unidade de Vigilância e Atenção à Saúde (Duvas) da Sesapi, o momento dos gestores mostrarem trabalho é agora, antes das chuvas, com as ações em continuidade junto à população e aos agentes de endemias.


“Estamos de olho naquelas cidades onde a doença já começa a mostrar preocupação. Nossa equipe está espalhada em alguns municípios e queremos ver ações enérgicas também por parte dos gestores, principalmente, nas ações que envolvam os agentes de endemias, para, assim, mantermos controlada essa doença. Devemos combatê-la todos os dias”, frisa Evangelista.


O Ministério da Saúde aprovou 41 projetos municipais contra a dengue, que garantirão ao Piauí um adicional de R$ 1,6 milhão contra a doença. No país, 1.159 cidades foram selecionadas. Os planos incluem a qualificação das ações de prevenção e controle da doença. Mais de 100 milhões de pessoas serão beneficiadas.



Veja as cidades com mais casos da doença em 2012.



Teresina (227 casos)
Floriano (77 casos)
São Raimundo Nonato (75 casos)
Beneditinos (27 casos)
Sebastião Leal (10 casos)
Água Branca (8 casos)
Piripiri (7 casos)

Sesapi

O Governador Wilson Martins sancionou o Projeto de Lei que cria o Código de Saúde do Estado do Piauí. A sanção foi publicada no Diário Oficial do dia 6 de fevereiro. Aprovado pela Assembleia Legislativa, por unanimidade, em dezembro de 2011, o código estabelece normas para a promoção, diagnóstico, tratamento, proteção e a recuperação da saúde em todo o território do Estado.

 

As discussões iniciaram ainda em 2005, sendo consultadas as principais instituições públicas do Estado e a população, através das entidades que participam do Conselho Estadual de Saúde. Segundo Tatiana Chaves, diretora da Vigilância Sanitária do Piauí, entre suas atribuições, a lei cria comissões de controle de infecção hospitalar, exigida em todos os estabelecimentos de saúde que executa procedimentos em regime de internação ou procedimentos invasivos em regime ambulatorial. “Determina o cumprimento das normas dos resíduos hospitalares, desde o manejo até o descarte”, afirma a diretora.

Ainda de acordo com Tatiana, o código ressalta a responsabilidade com as pessoas portadoras de necessidades especiais, determinando a diminuição das limitações pela eliminação das barreiras arquitetônicas. “Estabelece ainda todo o acompanhamento das pessoas portadoras de doenças sexualmente transmissíveis, além de destacar a importância da saúde do homem e do idoso, estimulando o auto cuidado e orientando para o desenvolvimento de um estilo de vida saudável”, relata.

 “Foi um trabalho árduo, de longo período, mas valoroso, de crescimento técnico e amadurecimento profissional, pelo desafio do seu conteúdo de contemplar as mais diversas políticas públicas de saúde”, acrescenta Tatiana Chaves.

O Código já se adequa à Constituição Federal de 1988, às leis orgânicas da Saúde 8.080/90 e a 8.142/90 e as vigentes Diretrizes Operacionais do Pacto pela Saúde. “É um grande avanço na gestão do SUS, com o objetivo de pactuar e formalizar as responsabilidades e atribuições inerentes a cada esfera de governo no seu processo de aprimoramento. Essa é uma conquista da população que é a principal beneficiada”, diz a diretora da Vigilância Sanitária.

Para a secretária de saúde, Lilian Martins, o Código enfatiza a sustentabilidade como preservação do meio ambiente, valorizando o trabalho intra e intersetorial, além de incluir a participação de vários órgãos públicos e da própria sociedade civil organizada.

 “A lei reafirma o compromisso do Estado com a população e, com isso, o Piauí avança no desenvolvimento de várias áreas da Saúde pública. Este é o Código mais atual em vigência do país”, disse a gestora.

O Código deve reger as ações do SUS para a população do Piauí, trazendo a tona políticas públicas de saúde voltadas para a sustentabilidade, capacitação permanente de profissionais de saúde, principalmente no que se refere a humanização do atendimento e a pesquisa científica. Vai proporcionar ainda a criação do Centro de Informação Toxicológica, a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), o sistema estadual de auditoria e de avaliação das ações e dos serviços de saúde. Estabelece também procedimentos a serem operacionalizados em casos de óbito e, ainda, normas sobre o manejo de resíduos em todas as suas etapas, além da criação da Organização de Procura de Órgãos (OPO) e a ouvidoria do SUS.



Governo do Estado

 

Subcategorias