O preefeito Gil Marques de Medeiros, de Picos, decretou a suspensão de festas, shows e eventos similares promovidos ou fomentados pelo poder público municipal, dentre elas: festejos comunitários, festas carnavalescas e de São João.

gilparai

Gil justifica a medida levando em conta parecer do STF que atribui aos municípios poder de polícia sanitária para determinar medidas como isolamento social, quarentena e restrição de locomoção das pessoas em razão da pandemia e comunicado de Risco -2, do Ministério da Saúde, que identifica a possível circulação de nova cepa variante do SARS-Cov-2, identificado pelas autoridades japonesas em viajantes que estiveram no Brasil.

As atividades privadas neste período também foram alcançadas pelo Decreto Municipal, que limita a quantidade de 100 pessoas por evento e com a obrigatoriedade do uso de máscara, distanciamento e álcool gel. Bares e restaurantes também deverão oferecer álcool gel e priorizar espaços abertos, além de dispor de uma distância mínima de 2 metros entre mesas e cadeiras.

Quem descumprir a determinação, em conformidade com o Decreto, poderá ser multado em valores que variam de 1.000 a 10.000 reais, além de responder criminalmente.

picos140graus

Está se inspirando o prazo para a justificativa dos eleitores que não votaram nas últimas três eleições, A Justiça Eleitoral, de Floriano-PI, está com o seu pessoal preparado para os procedimentos e informações necessárias sobre os processos.

livioamor

O prazo termina nessa quinta-feira, 14 de janeiro. Há um valor em dinheiro que a Justiça cobra para cada eleitor faltoso. Saiba nessa entrevista com o Lívio Amorim, dos cartórios locais, sobre como deve ser cada processo.

Da redação

Após 34 anos de história, o Grupo Mateus divulgou a seu primeiro demonstrativo financeiro depois da sua abertura de capital no ano passado. De acordo com os dados financeiros apresentados, a margem do aumento é maior quando analisando apenas três meses. O aumento fica em 53,5%, atingindo R$ 3,9 bilhões.

Ilson Mateus

No acumulado, o Grupo Mateus já aparece com uma receita 41% maior do que os noves primeiros meses de 2019. Até setembro de 2020, Mateus já tinha uma receita R$ 10,1 bilhões.

Na receita líquida, o trimestre foi de R$ 3,6 bilhões, com crescimento de 51,6% sobre o mesmo período do ano anterior. No acumulado do ano, a receita atingiu R$ 8,7 bilhões, superior em 38,3% aos nove meses de 2019. Os Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA Ajustado) foi de R$ 325 milhões no trimestre, com crescimento 65,6%. A Margem EBITDA Ajustada no mesmo período foi de 8,9% contra 8,2% no mesmo período do ano anterior.

O lucro líquido também cresceu durante o terceiro trimestre atingindo R$ 236 milhões, registrando um aumento de 64,6% em comparação ao mesmo período no ano anterior.

Mateus mantém um ritmo forte, em 2020 o grupo abriu 39 lojas fechando o ano com 159 no total. Em ano de pandemia e faltando os dados financeiros de três meses de 2020 para fechar os seus resultados. Podem ter certeza, a empresa irá quebrar mais um recorde.

A empresa apresentará os dados financeiros referentes ao 4º trimestre e fechamento do ano de 2020 no dia 29 de março.

foilha do maranhão

O relator da reforma tributária, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse neste ano, em entrevista a uma rádio de seu estado, que acredita na aprovação da reforma tributária na Câmara até março.

deputado

O deputado disse que o seu substitutivo está sendo analisado pela equipe econômica do governo e que devem ser feitos apenas alguns ajustes no texto. A comissão mista que analisa a reforma tributária teve seu prazo prorrogado pela terceira vez até 31 de março. O grupo de deputados e senadores fez onze audiências públicas em 2020, inclusive durante a pandemia.

Aguinaldo Ribeiro afirmou que havia consenso entre estados e municípios para votar a reforma no final do ano passado, mas explicou que a proposta acabou entrando na disputa política entre o governo e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Para Aguinaldo, votar a reforma passou a ser uma “necessidade”, dada a crise econômica atual. A reforma pretende simplificar e tornar mais eficiente a arrecadação tributária, unificando impostos que incidem sobre o consumo, como o ICMS e a Cofins.

Proposta do governo
Uma das propostas em estudo (PEC 45/19) é de autoria do deputado Baleia Rossi (MDB-SP), candidato apoiado por Maia à presidência da Câmara. Mas o governo, que apoia Arthur Lira (PP-AL), apresentou uma proposta (PL 3887/20) mais enxuta que unifica apenas o PIS e a Cofins.

O deputado Joaquim Passarinho (PSD-PA), vice-líder do Governo, acredita que alguma reforma sairá neste ano:

“Eu creio que estamos próximos de ter um acordo, talvez não um consenso, mas um acordo para a votação da reforma tributária na Câmara. Eu creio que falta pouco para termos condição de voto”, disse.

Concentração de renda
O líder da Minoria, deputado José Guimarães (PT-CE), diz que a oposição não deve ser um obstáculo para a simplificação tributária, mas quer um pouco mais:

“A simplificação e a unificação de dois tributos, isso todo mundo defende. Agora, não podemos ficar só nisso porque isso não dá conta da alta concentração de renda e das altas taxas de impostos que recaem sobre a classe média e sobre os trabalhadores”, observou.

O economista Bernard Appy, que ajudou a elaborar a proposta de Baleia Rossi, tem afirmado que a reforma pode resultar em 20 pontos percentuais a mais de crescimento para o Brasil em 15 anos.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Subcategorias