Parte da Avenida Fauzer Bucar (Galeria), bairro São Cristóvão, em Floriano, ficou coberta com as àguas da chuva que cairam nessa manhã de quarta-feira.

De acordo com moradores, o acúmulo de água chegou a uma altura aproximada de cerca de 25cm.

Algumas casas foram invadidas pelas águas, a exemplo, a casa de um dos colaboradores do Piauí Notícias que mora na referida via.

aguaas

Algumas pessoas fizeram imagens de celulares e lançaram nas redes sociais. 

Não há Informações sobre danos no asfalto que foi colocado há poucos dias. Dados confirmam que duas casas cairam na região da rua sete.

 

Da redação

 

opsiçaopecOs deputados estaduais querem ter conhecimento dos próximos reajustes das contribuições dos servidores para o Plano de Assistência Médica e Tratamento do Piauí (Plamta) e do Iaspi/Saúde antes desses percentuais entrarem em vigor. Este foi um dos encaminhamentos feitos hoje (4) pelos deputados Gustavo Neiva (PSB), líder da Oposição, e Teresa Britto (PV), vice-líder, na audiência pública sobre o Plamta, realizada na Comissão de Administração Pública e Política Social da Assembleia Legislativa.

Teresa Britto pediu à presidente do Instituto de Assistência à Saúde do Servidor Público do Piauí (Iaspi), médica Danielle Aita, que encaminhe à Alepi informações sobre o volume de recursos arrecadados com ascontribuições do Iaspi Saúde e do Plamta, bem como o total dos gastosefetuados com o atendimento dos segurados e seus dependentes.

Danielle Aita prestou esclarecimentos aos parlamentares sobre orecente aumento nas contribuições do Plamta, assinalando que a AgênciaNacional de Saúde (ANS) permitiu que os planos de saúde tivessem umaumento de até 17%. Ela assinalou que a proposta inicial do Iaspi erade um reajuste de 10%, enquanto os servidores apresentaram umacontraproposta de 5% e ficou acertado o reajuste em 6,5%.

Acrescentou a presidente do Iaspi que cerca de 300 mil segurados edependentes são atendidos pelo Iaspi Saúde e pelo Plamta e que asdespesas do órgão com atendimento médico-hospitalar sobem em média 15%ao ano. “A inflação da saúde é diferenciada e chega a atingir 18% aoano”, declarou ela, frisando que em 2018 não foi aplicado reajuste nascontribuições do Plamta e do Iaspi Saúde, o que ocorreu somente esteano.

Em relação ao pagamento das clínicas e hospitais credenciados,Danielle Aita disse que o Governo do Estado está cumprindo ocalendário de pagamento acertado com os diretores dos estabelecimentosde saúde. Ela afirmou que até o dia 14 deste mês serão efetuados ospagamentos referentes aos serviços prestados em agosto de 2019.

 

Alepi

No sábado (30/11) em Marcos Parente - PI, o Fisioterapeuta Valério Gustavo Dias Bonfim, que atualmente ocupa cargo de vereador há 12 anos consecutivos, recepcionou em sua casa vários amigos que discordam da maneira como o mesmo foi tratado pelo seu antigo grupo político. Ele agora passa a participar de um novo grupo político que está surgindo na cidade diante do grande desejo de mudança dos marcoenses.

vereador

O novo grupo tem como pré-candidato a prefeito o jovem advogado Dr. Matheus, que estará pela primeira vez disputando as eleições. A cada dia que passa seu nome vem se destacando como uma nova opção de mudança no cenário político da cidade.

Em discurso, Valério destacou em uma de suas falas que Marcos Parente teve a oportunidade de mudança em 2008 quando Dr. Laércio Bonfim disputou a eleição e não foi eleito, e que a cidade de São Pedro dos Crentes no Maranhão escolheu a mudança e hoje é considerado um dos melhores prefeitos do Brasil. Disse que da mesma forma está acontecendo hoje em Marcos Parente, que estará tendo uma nova oportunidade de mudança com Dr. Matheus em 2020.

A ex-vice-prefeita Maria Alice que apoiou o grupo da oposição nas eleições de 2016, agora apoiará Dr. Matheus, que é seu neto. Segundo informações,  também não foi a vontade dela de sair do grupo a qual pertencia, e que os dois foram praticamente excluídos. O chefe político do grupo da oposição escolheu outro nome para ser pré-candidato a vice-prefeito no lugar dela e só depois comunicaram a decisão, que também foi considerada uma falta de respeito.

Percebe-se que houve um grande racha no grupo da oposição com a saída de Maria Alice e do vereador Valério. Em 2012, sem Maria Alice, o referido grupo da oposição obteve 1.080 votos e o ex-prefeito Manoel Emídio 1.113 votos. Em 2016, com Maria Alice no grupo da oposição obtiveram 1.625 votos e o prefeito Pedro Nunes com apoio do ex-prefeito Manoel Emídio obtiveram 1.667 votos.

Veja a entrevista feita com o vereador:

  1. 1. São três mandatos consecutivos e de repente é excluído do grupo, o que tem a dizer sobre isso?

- Valério: Falta de respeito e consideração. Sempre fui perseguido dentro do grupo desde 2008, porém já ganhei eleição do lado do ex-prefeito Manoel Emídio, do Dr. Gedison, e não tenho medo de disputar em grupo nenhum, muito pelo contrário, chego e meto a cara e encaro sem exigir que A ou B deixe de ser candidato. Nunca tive sintonia com aquele grupo, minha sintonia é com o povo e isso me deixa forte e consequentemente incomoda candidatos fracos e medrosos.

  1. 2. Você saiu do grupo mesmo?

- Valério: eu não sai, praticamente me expulsaram. Já existiam rumores que subgrupos de candidatos pressionavam o pré-candidato a prefeito para isso. Porém, os mesmos de sempre, que nunca conseguiram ganhar uma disputa e muitos não conseguiram nem ultrapassar os 50 votos e alguns nem mesmo 30 votos. Isso acontece mesmo, em grupo que não tem liderança e nem diálogo. Logo eu que tenho 12 anos consecutivos permaneci firme defendendo os ideais do grupo e da oposição, tendo uma boa postura, tive várias oportunidades vantagiosas e mesmo assim permaneci firme e forte. Acho que isso não foi observado, sendo que o pré-candidato a prefeito foi pressionado por políticos sem peso e sem respaldo; eu sei que manobras políticas existem, mas abrir mão de candidatura para candidatos que já existiam no grupo, e mais fracos, é inadmissível.

  1. 3. Com você já são duas lideranças excluídas, você confirma?

- Valério: Sim, primeiro; dona Maria Alice foi surpreendida com sua substituição, trocaram ela como se troca de roupa, sem a menor consideração de consulta-la primeiro. Quando ela tomou conhecimento foi pelos dizeres da rua. Segundo; existem manobras políticas quando é para somar, agora abrir mão por causa de capricho de candidatos que já são do grupo, que não tem a mesma força na campanha, desempenho, etc... Ao contrário do que muitos pensam e o próprio líder daquele grupo pode confirmar, numa eleição não havia favorecimento para comigo por parte do candidato a prefeito, meu eleitorado pode confirmar isso também. o contato é comigo, os diálogos são comigo, e vou mostrar isso nessa eleição no ano que vem, como sempre foi assim. Se Deus permitir serei candidato na eleição que vem sem medo de competir e confiante em Deus, em meu povo, e no meu trabalho do dia a dia. Perder dois políticos de uma vez, a menos de um ano da eleição, é loucura e isso vai custar caro, porque política se faz somando ou multiplicando, jamais diminuindo ou dividindo.

Veja no vídeo o discurso do vereador Valério e do pré-candidato a prefeito Dr. Matheus:  https://youtu.be/XGQVIEav8nc

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE/PI) iniciou, às 8h30 desta quarta-feira (04), a primeira fiscalização ordenada realizada no estado. Cerca de 70 agentes de fiscalização estão averiguando “in loco”, de forma surpresa e em regime de força-tarefa, a situação de todos os 30 hospitais estaduais localizados em 23 municípios do Piauí, simultaneamente.

Os técnicos estão analisando, concomitantemente, desde a estrutura dos hospitais, os serviços e as condições de atendimento à população, presença de médicos e demais profissionais da saúde nos plantões, até a situação das cozinhas e alimentos, além das farmácias dos hospitais. A fiscalização será encerrada às 17 horas.

O presidente do TCE/PI, conselheiro Abelardo Pio Vilanova, explica que a fiscalização ordenada objetiva, inicialmente, produzir um diagnóstico para orientar os gestores para a solução dos problemas apontados. “É uma ação que deve contribuir para o aperfeiçoamento da gestão pública. Com isso, nós queremos garantir atendimentos de qualidade para a população, especialmente para as pessoas mais carentes", complementa.

Durante a fiscalização ordenada, os agentes de fiscalização do TCE/PI utilizam equipamentos e ferramentas de tecnologia da informação na coleta de dados, processamento, e envio de informações diretamente das atividades de campo, com transparência e em tempo real, das ações e resultados.

A diretora da DFAE (Diretoria de Fiscalização da Administração Estadual), Liana Melo, explica que o TCE/PI implantou uma Central de Monitoramento que recebe simultaneamente as fotos e informações de todas as equipes de campo.

 “A previsão é que amanhã a gente já divulgue o relatório consolidado da operação, com os dados gerais. Posteriormente, os dados segmentados de cada órgão serão encaminhados aos conselheiros relatores de processos ligados às entidades fiscalizadas e aos gestores das unidades fiscalizadas”, explica Liana.


Para a chefe da Divisão Especializada na Saúde (DFESP2) do TCE/PI, Geysa Elane Sá, a fiscalização ordenada será fundamental para o direcionamento de fiscalizações e auditorias especificas futuras. “Nós teremos informações para ações mais direcionadas onde for necessário, com foco nos problemas que mais atingem à população”, pontua.

hrtnflo

Todas as informações, com fotos, dados e situações de irregularidade são transmitidas em tempo real para a central de monitoramento dos trabalhos, que podem ser acessados pelo link www.tce.pi.gov.br/fiscalizacaoordenada durante todo o dia.


O TCE/PI é o terceiro Tribunal de Contas do país a realizar esse modelo de fiscalização, que já é utilizado em São Paulo desde 2016. O TCE de Roraima também iniciou as fiscalizações este ano.

ENTENDA COMO FUNCIONAM AS FISCALIZAÇÕES ORDENADAS

As fiscalizações ordenadas são feitas de forma surpresa, executadas em regime de força-tarefa de forma simultânea, num único dia, utilizando toda a força disponível de trabalho de técnicos e auditores. 

Os agentes de fiscalização saem a campo para avaliar não só a legalidade, mas também a qualidade do gasto dos recursos em políticas e serviços públicos.

As ações consistem no deslocamento de agentes para inspecionar ‘in loco’ diversas áreas da administração pública, como transporte, merenda e material escolar; almoxarifado; tesouraria; creches; hospitais; unidades básicas de saúde; obras públicas; resíduos sólidos; segurança, entre outras. 

RELAÇÃO DOS HOSPITAIS ESTADUAIS FISCALIZADOS

 

Cidade

Distância da Capital

Hospital

1

Teresina

-

Maternidade Dona Evangelina Rosa

2

Teresina

-

Hospital Getúlio Vargas

3

Teresina

-

Hospital Infantil Lucídio Portela

4

Teresina

-

Hospital Areolino de Abreu

5

Teresina

-

Hospital da Polícia Militar

6

Teresina

-

Hospital de Doenças Tropicais Dr. Natan Portela

7

Teresina

-

Unidade de Saúde do Mocambinho

8

Demerval Lobão

35

Hospital Local João Luís de Morais

9

Campo Maior

84

Hospital Regional de Campo Maior

10

Barras

127

Hospital Regional Leônidas Melo

11

Amarante

160

Hospital Regional Francisco Ayres Cavalcante

12

Elesbão Veloso

164

Hospital Estadual Norberto Moura

13

Piripiri

165

Hospital Regional Chagas Rodrigues

14

Esperantina

188

Hospital Estadual Júlio Hartman

15

Valença

216

Hospital Regional Eustáquio Portela

16

São Miguel do Tapuio

226

Hospital José Furtado de Mendonça

17

Floriano

248

Hospital Regional Tibério Nunes

18

Luzilândia

250

Hospital Local Gerson Castelo Branco

19

Oeiras

283

Hospital Regional Deolindo Couto

20

Picos

314

Hospital Regional Justino Luz

21

Parnaíba

334

Hospital Estadual Dirceu Arcoverde

22

Parnaíba

334

Hospital Colônia de Carpina

23

Simplício Mendes

388

Hospital Estadual José de Moura Fé

24

Canto do Buriti

409

Hospital Estadual Domingos Chaves

25

São João do Piauí

459

Hospital Teresinha Nunes de Barros

26

Uruçuí

474

Hospital Senador Dirceu Arcoverde

27

São Raimundo Nonato

522

Hospital Regional Senador Cândido Ferraz

28

Bom Jesus

604

Hospital Regional Manoel de Sousa Santos

29

Curimatá

836

Hospital Local Júlio Borges

30

Corrente

843

Hospital Regional João Pacheco Cavalcante

 

Assessoria de Comunicação do TCE-PI

Subcategorias