Agora com o desembarque de três prefeitos da base governista, que resolveram apoiar o ex-prefeito de Teresina, Sílvio Mendes (União Brasil) na corrida pelo Governo do Estado, o grupo da oposição, capitaneado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, conta, atualmente, com 116 gestores municipais.

A base do Partido dos Trabalhadores sofreu, somente no sábado (14), desfalques dos prefeitos de Altos, Maxwell da Mariinha; de Lagoa do Piauí, Mauro Júnior; e de Socorro do Piauí, Zitim; todos do MDB, que se juntaram ao grupo que contará com Sílvio Mendes na cabeça da chapa majoritária da oposição.

Ciro Nogueira comemorou as adesões e reforçou que não deixará de atender as demandas dos municípios que já eram contemplados com apoio administrativo. Em Socorro do Piauí, o ministro ratificou a confiança depositada no grupo da oposição, em busca de chegar vitorioso nas eleições vindouras.

silvio6

 “Se somam 116 prefeitos que estão apoiando Sílvio Mendes. Muito obrigado e pode ter certeza que até o fim dos meus dias como senador, como homem, eu vou estar ao seu lado para levar os benefícios para o povo de Socorro do Piauí, como eu tenho feito, não só na véspera das eleições”, disse o ministro.

Disputa nas eleições

O time da oposição conta ainda com a deputada Iracema Portella (Progressistas), como pré-candidata a vice e com o ex-prefeito de Floriano, Joel Rodrigues (Progressistas), como pré-candidato ao Senado Federal.

A intenção do grupo oposicionista é deixar o time mais robusto e unido contra a base do Palácio de Karnak, que lançou o ex-secretário da Fazenda, Rafael Fonteles (PT), como pré-candidato a governador. A vaga de vice será preenchida pelo presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, deputado Themístocles Filho (MDB) e o espaço de senador será ocupado pelo ex-governador Wellington Dias (PT).

gp1

O tema mais discutido entre os vereadores florianenses nesta semana, em sessões na Câmara, tem sido a questão da Previdência do Munícipio.

 ancelmo

O vereador da base da situação Ancelmo Jorge (PP), de primeiro mandato, foi um dos parlamentares a se manifestar sobre a questão.

No poder Legislativo a um Projeto que trata da reforma da Previdência do município. Veja mais matérias relaicionadas. 

Da redação

 

O jornalista e ex-deputado estadual e federal Silas Freite, que está pré-candidato a deputado federal, numa das redes sociais fez a seguinte pergunta, se referindo ao transporte público. Silas tem observações quanto ao transporte publico, principalmente em Teresina, capital do Piaui.

silasfre6

A pergunta que ele lançou nas redes, "Sabia que é possivel destinar recursos para nelhor o transporte publico?"  O próprio lider político que tem familiares e amigos em Floriano respondeu, "essa possibilidade é real! Estamos vivendo uma crise enorme no sistema de transporte público, e é totalmente viável a destinação de emendas para essa área. Se os deputados federais se juntassem para mandar recursos, teríamos um transporte público eficiente e com qualidade".

SIlas Freire que visa voltar ao Legislativo Federal tem se reunido com líderes locais, bem como, com forças políticas de Teresina de de outras cidades do Piauí.

Da redação

O deputado Gustavo Neiva (Progressistas) disse, nesta quinta-feira(19), que o ministro Walton Rodrigues, do Tribunal de Contas da União (TCU), determinou à Polícia Federal que realizasse investigações visando apurar denúncias de irregularidades na execução do Proaja (Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos) pelo Governo do Piauí.

gustas
Gustavo Neiva afirmou que o deputado Francisco Limma (PT) usou de meia verdade ao dizer na sessão plenária da última terça-feira(17) que o ministro do TCU havia assinado despacho considerando que o Proaja estaria sendo executado de forma legal e teria negado liminar solicitada pela senadora Eliane Nogueira (Progressistas) para suspender os pagamentos do programa.


O parlamentar progressista disse que Francisco Limma acusou a oposição de ser leviana e mentirosa ao fazer as denúncias sobre o Proaja, assinalando que tinha ido à tribuna também na terça-feira somente para repercutir notícia divulgada pela TV Clube, de Teresina, sobre as investigações da Polícia Federal a respeito do Proaja.


“A reportagem da TV Clube tratou sobre denúncias de professores e monitores contratados que não vêm recebendo seus pagamentos. A Secretaria de Educação disse que a responsabilidade dos pagamentos é das entidades contratadas, como o Instituto Datacerto, presidido pelo senhor Batista Honório, filiado histórico do PT, e que recebeu R$ 3,144 milhões”, acentuou ele.


Gustavo Neiva disse que a Polícia Federal foi nos endereços das 40 entidades contratadas, mas não localizou a maioria delas. Ele acentuou que “estamos falando de R$ 400 milhões que estão envolvidos neste programa e é o Governo quem diz meias verdades e mentiras, pois o Proaja é um programa eleitoreiro que visa captar cabos eleitorais”,


O orador declarou que, em janeiro último, o TCU autorizou as diligências sobre o Proaja e, em março, a PF instalou a investigação, acrescentando que “o ministro não disse que o programa é legal, que está tudo oK e que não tem corrupção. A investigação está em curso”.


Gustavo Neiva disse que, em abril último, o procurador da República, Leonardo Carvalho, pediu a suspensão dos pagamentos das empresas que executam o Proaja e a Justiça Federal decidirá sobre a questão.


Lembrou o parlamentar oposicionista que, há poucos dias, o deputado Francisco Limma disse que a Caixa Econômica Federal tinha aprovado a prestação de contas do Governo do Estado sobre o Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento).


“O deputado Limma disse uma meia verdade, pois, em maio, o juiz federal Agilberto Machado decidiu prosseguir com uma ação de improbidade administrativa que foi impetrada contra o ex-governador Wellington Dias e o ex-secretário estadual da Fazenda, Rafael Fonteles, pois terem colocado o dinheiro do Finisa na conta única do Estado, o que não poderia ter ocorrido”, acrescentou ele.


Antes de encerrar o seu pronunciamento, Gustavo Neiva ressaltou que “sempre agi com seriedade e nunca fui leviano, pois isto faz parte do meu caráter e da minha formação”.