Sobre as prisões de dois homens que estavam tentando passar por um desvio, em Floriano, com uma certa quantidade de drogas o delegado Bruno Ursulino, da Central de Flagrantes, se manifestou.

bruno

A dupla saiu de Regeneração-PI para comprar entorpecentes no município florianense. 

Policiamento Militar em FLO faz ronda em desvio e apreende drogas e dinheiro

 

Da redação

 

 

 

 

 

A dupla que foi presa numa ação da Polícia Militar, em Floriano, num desvio nas imediações do Posto da PRF, regional local, foi posta em liberdade após uma audiência de custódia nessa quinta-feira.

A dupla estava com uma certa quantidade de droga que foi apreendida e uma quantia em dinheiro.

Eles são naturais de São Paulo e do Maranhão, mas moram na região de Regeneração.

A droga apreendida, Wesley Costa de Sousa e Antonio Mendes da Rocha, tinha comprado na cidade florianense. 

wesleyantono1

Da redação

Josué Neto Soares Costa e o empresário florianense Rogério de Holanda Soares passsaram a noite na Penitenciária de Vereda Grande, para onde foram levados na tarde dessa quinta-feira.

cadeia

Eles foram presos na manhã de ontem na operação Créditos Ilusórios que esteve sendo realizada em cidades de vários estados.

josue

Ainda na mesma operação, segundo informações, foi presoum homem identificado por Rafael que permanece na Central de Flagrantes e deve passar por uma audiencia custódia, possivelmente na manhã dessa sexta-feira. 

A operação se deu após investigações promovidas pelo GAECO/MA e Polícia Civil do Maranhão. Foram expedidos  alguns mandados de prisões temporárias e cinco mandados de busca e apreensão em escritório de contabilidade e empresas.

 Operação "Créditos Ilusórios" que resultou nas prisões de florianenses envolve 04 estados

Há uma 3ª prisão a ser efetuada em FLO. O alvo não foi encontrado, diz promotora

GAECO/MPPI realiza operação e prende empresário em FLO

 

GAECO/MPPI cumpre mandados de prisão e busca e apreensão em FLO

Da redação

 

Na manhã desta quinta-feira, 18,esteve sendo deflagrada a Operação Créditos Ilusórios nos Estados do Maranhão, Piauí, Ceará e Tocantins, dando-se cumprimento a mandados de busca e apreensão e prisão temporária por força de decisão da 1ª Vara Criminal do Termo Judiciário de São Luís
da Comarca da Ilha, que atendeu representação do 1º Departamento de Combate à Corrupção (1º DECCOR) no curso do Inquérito Policial que, com atuação conjunta do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas do Ministério Público do Maranhão, apura a possível prática de crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.

O esquema criminoso foi identificado pela Secretaria de Estado de Fazenda e consistia na utilização de empresas de fachada, ou seja, sem qualquer lastro financeiro, sede física ou mesmo quadro de empregados, para emitir notas fiscais fictícias, movimentando milhões de reais em operações de compra e venda de grãos, com o objetivo de gerar créditos tributários fraudulentos que eram utilizados posteriormente em operações comerciais que existiam de fato, sem que fosse recolhido qualquer valor aos cofres públicos referente ao ICMS. 

Além de empresas de fachada, também eram utilizadas empresas conhecidas como “fantasmas”, criadas com utilização de documentos falsos, que igualmente emitiam notas fiscais frias.

No decorrer das investigações, identificou-se que por trás de toda essa empreitada criminosa, orquestrada por empresários, contadores e produtores rurais, houve um prejuízo de aproximadamente R$70.000.000,00 (setenta milhões de reais) aos cofres públicos maranhenses no período de janeiro de 2015 a novembro de 2017.

Dentre os maiores beneficiários do esquema, de acordo com o que apontam as investigações, destacam-se Shirlenylson Barbosa Ribeiro e Cleyton da Silva Toledo, que já se encontram presos por fatos semelhantes no Tocantins; Elton Félix Barroso de Araújo, responsável pela empresa MÁXIMA CORRETORA; ROGÉRIO DE HOLANDA SOARES, bem como os empresários João Miguel Geleilate, Surama Geleilate e Emílio Geleilate, das empresas CORREGEL CORRERORA GELEILATE LTDA., GELEILATE CORRETORA DE AGRONEGÓCIOS LTDA. e GELEILATE AGRONEGÓCIOS E LOGÍSTICA LTDA., sediadas em Fortaleza/CE.

Estão sendo cumpridos 23 mandados de prisões temporárias, pelo prazo de 5 dias, e 32 de busca e apreensão em Balsas/MA, Riachão/MA, Araguaína/TO, Floriano/PI e Fortaleza/CE pela Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (SECCOR) e pelo GAECO do Ministério Público do Maranhão, com o apoio da Superintendência de Polícia Civil do Interior (SPCI), das Secretarias da Fazenda do Maranhão e Piauí, dos GAECOs e dos GAESFs (Grupos de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal) dos Ministérios Públicos do Piauí e do Ceará e das Polícias Civis do Piauí, Ceará e Tocantins.

 GAECO/MPPI cumpre mandados de prisão e busca e apreensão em FLO

Fonte:Ascom

 

 

 

Ant Próximo