• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

Na madrugada desse domingo, por volta das 00:15h, uma guarnição da Força Tática composta pelos militares, sargento Ailson, cabo Chagas e o soldado Dias, recuperou na localidade Tabuleirinho, zona rural de Floriano, uma motocicleta modelo factor, cor vermelho, placa QRP- 9B86, que havia sido furtado em uma vaquejada na cidade de Barão de Grajaú-MA.

O veículo estava em posse de Jailson Soares de Andrade, que foi conduzido por uma patrulha da PM, pelo crime de furto. O homem foi entregue na Central de Flagrantes para ser ouvido e a motociclista ficou de ser entregue ao seu legítimo dono.

Da redação

Nesta sexta-feira, 14, um criminoso identificado como Luiz Felipe da Silva Sousa foi preso no âmbito da Operação Draco 129, que resultou na prisão de seis faccionados do Bonde dos 40 e do Primeiro Comando da Capital (PCC). Ele é fugitivo da penitenciária Colônia Agrícola Major César e ao perceber que seria preso, tentou fugir da polícia.

fugitivo

Luiz Felipe atuava no braço financeiro de uma organização criminosa, principalmente na prática de roubos, foi o que explicou o delegado Charles Pessoa, coordenador do Departamento de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO), em entrevista exclusiva ao Meio News e a TV Meio.

"Um indivíduo tentou fugir das forças policiais, inclusive até pulou o muro de uma residência ali na zona Sudeste, mas as equipes fizeram incursões em outro imóvel que pertence ao mesmo núcleo familiar e conseguiram prender esse alvo, que tem participação em roubos aqui na Capital", detalhou a autoridade policial.

A Operação Draco 129 foi deflagrada para cumprir 11 mandados de buscas e 5 mandados de prisão na região do Centro e zonas Sul, Sudeste e Norte de Teresina, que resultaram na apreensão de materiais que subsidiarão mais investigações. Ao todo, seis faccionados foram presos, restando prender apenas um sétimo alvo.

As investigações e diligências continuam para prender o último alvo. Os seis presos devem responder por organização criminosa, roubo e tráfico de droga.

Participaram da operação o Batalhão de Policiamento do Interior (BEPI), o Batalhão de Operações Especiais (BOPE) da Polícia Militar, a Força Estadual Integrada de Segurança Pública (Feisp) e Guarda Municipal de Teresina.

Com informações do meio norte news

FOTO: Arte/ Mikaela Ramos

Foi preso nesta sexta-feira, 14, um motorista de aplicativo, suspeito de tentar matar outro motorista de aplicativo no último dia 31 de maio, próximo ao Hospital do Buenos Aires, na zona Norte de Teresina. Uma briga de trânsito teria motivado o crime.

criminosoaplicativo

Para a polícia, a vítima relatou que estava com seu veículo estacionado quando o suspeito pelo crime apareceu. Uma câmera de segurança registrou a tentativa de homicídio.

“Segundo o noticiado pela vítima, ele se encontrava em seu automóvel estacionado, estava dentro do veículo quando ele percebeu um motociclista passando por ele, dando uma volta e estacionando a moto atrás do seu carro. Nesse momento ele já teve um receio, ficou com medo, desconfiou daquela atitude do motociclista e resolveu descer do carro. Quando ele desceu do carro e virou as costas, o motociclista sacou uma arma de fogo, uma pistola calibre 380, e efetuou dois disparos com a vítima estando de costas, tendo um disparo atingido a perna direita e transfixado”, explicou o delegado Breno Holanda, da 2ª Seccional, terceira divisão.

Logo depois a vítima foi até o Hospital Buenos Aires e buscou ajuda médica. O crime teria sido motivado por uma briga de trânsito.

“Até o momento obtivemos a informação de que teria sido motivado por uma briga de trânsito. É um motivo fútil, banal. Vítima disse que estava trafegando em seu veículo e o investigado em outro veículo que teria invadido a via preferencial e o trancado. Então, nesse momento, esse suposto autor, disse para a vítima prestar atenção e falou um palavrão. Já a vítima, não gostando, teria proferido ameaça de morte. Então o suspeito teria ido para sua casa, deixou o veículo que estava, pegou uma moto, buscou a arma de fogo e depois foi atrás da vítima, onde praticou esse ato”, relatou o delegado.

O preso acabou admitindo o crime. “Ele disse que estava com muita raiva. Que estava no momento com a sua companheira e com uma filha, uma criança, quando teria sido ameaçado pela vítima e ele disse que, tomado pela ira, se armou. Ele disse que queria só espantar a vítima ‘para deixar de ser saliente’. Foi esse o termo que ele usou com relação à vítima”, destacou.

O preso responde por crime como roubo, homicídio e violência doméstica. Hoje foi dado cumprimento a um mandado de prisão temporária e ele foi encaminhado para a Central de Flagrantes de Teresina.

Com informações do cidade verde

Nessa quinta-feira, 13, o Departamento de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) prendeu um empresário em Barra do Corda, no Maranhão, após ser flagrado em posse de um conversor de energia solar que foi roubado em fevereiro de 2023 em uma fazenda localizada na cidade de Monsenhor Gil, a 56 km de Teresina.

O delegado Charles Pessoa informou que o crime ocorreu em uma fazenda, quando um grupo criminoso rendeu um caseiro e roubou cerca de 100 placas solares e cinco conversores, avaliados em R$ 500 mil. Os criminosos foram preparados para o local, e chegaram a levar um caminhão para trazer todo o material. No mesmo ano, os suspeitos foram identificados e presos pelo Draco.

Nessa quinta-feira, um empresário que atua no ramo da energia solar, na cidade de Barra do Corda, no Maranhão, acabou sendo preso após ser identificado que ele estava em posse de um dos conversores que foram roubados nessa fazenda.

“Conseguimos elucidar o crime, as pessoas foram indiciadas e presas, mas não conseguimos recuperar os bens, as placas solares. Continuamos a investigação e identificamos um conversor na cidade de Barra do Corda, que estava com um empresário que atua nesse ramo de energia solar. Ele foi preso e autuado em flagrante pelo crime de receptação, e o material será restituído para seu legítimo dono”, informou o delegado Charles Pessoa.

A Polícia vai investigar se o empresário tem envolvimento no esquema.

“Esses materiais são de fácil rastreio, têm um código de identificação, e ele não teve o cuidado de identificar se esse equipamento era produto de roubo. Vamos aprofundar as investigações, e se ele estiver envolvido em uma prática delituosa de organização criminosa, recebendo esses materiais produtos de crime, ele será responsabilizado por essa prática”, destacou.

Com informações do cidade verde