csculturaNesta terça-feira (7), é comemorado no Brasil o Dia do Leitor. No Piauí, dezenas de bibliotecas públicas estão abertas à população e funcionam de forma gratuita ou cobrando valores simbólicos para o empréstimo de milhares de títulos. Conheça os principais espaços onde é possível fazer leituras e pesquisas no estado:

Bibliotecas Municipais de Teresina
As bibliotecas mantidas pela Fundação Cultural Monsenhor Chaves funcionam em horários diferenciados, cada uma. A maioria, das 8h às 18h. Algumas, como as bibliotecas Raimundo Wall Ferraz e Carlos Castelo Branco, das 8h às 12h e de 14h às 17h30.

Segundo o coordenador das bibliotecas municipais da capital, o acervo médio de cada uma é em média de 7 mil títulos. A maior delas, a biblioteca Fontes Ibiapina, tem mais de 10 mil. Esta, recebe entre 7 e 8 mil visitas por mês. As bibliotecas de bairro, cerca de 600 a 700.

Biblioteca Municipal H. Dobal
Rua: Rotary Club, 3840 – Satélite
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Facebook:Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Fone: 3215-7910

Biblioteca Municipal Abdias Neves
Rua: Coelho Rodrigues, Nº 954 – Centro/sul
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Facebook: bibliotecaabdias.neves
Fone: (86) 3215-7815

Biblioteca Municipal Da Costa e Silva
Rua: Monteiro Lobato, Nº 1226 – Parque Alvorada
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Facebook: Biblioteca Da Costa ESilva
Fone: (86) 3215-9230

Biblioteca Municipal Fontes Ibiapina
Rua: Minas Gerais, S/N – Matadouro
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Facebook: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Fone: (86) 3215-7823

Biblioteca Municipal São João
Rua: Belisário da Cunha, S/N – São João
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Facebook: bibliotecasaojoao
Fone: 3215-7871

Casa da Cultura de Teresina. — Foto: Glayson Costa/G1Casa da Cultura de Teresina. — Foto: Glayson Costa/G1
Casa da Cultura de Teresina. — Foto: Glayson Costa/G1

Biblioteca de Artes Prof. Raimundo Wall Ferraz
Biblioteca Carlos Castelo Branco (Casa da Cultura)
Rua: Rui Barbosa,348 – Centro/sul
Fone: 3215-7849

Biblioteca Zilma Gomes F. de Moraes – CEU/Sul
Rua: José de Miguel Hadad, S/N – Porto Alegre
Fone: 3219-2440

Biblioteca Francisca das Chagas de C. Costa – CEU/Norte
Rua: Av. Min. Sérgio Mota, S/N - B. Parque Stael
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Facebook: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Fone: 3226-3602

Segundo a Secretaria de Estado de Cultura do Piauí, a biblioteca estadual Cromwell de Carvalho recebe até 500 visitantes por mês, a maioria estudantes. O espaço, responsável pela preservação do acervo bibliotecário do Estado, é aberto ao público de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 19h30. No local há salas climatizadas e acesso livre à internet. O acervo é composto por livros didáticos, periódicos, além de clássicos da literatura piauiense, nacional e mundial.

Praça Demóstenes Avelino (Praça do Fripisa), 1788,
Teresina-PI
Fone: (86) 3221-3829

Universidades
UFPI

Na Universidade Federal do Piauí, em Teresina, há a biblioteca central, situada no campus ministro Petrônio Portela, que é resultado da fusão dos acervos existentes nas Bibliotecas das Escolas Isoladas de Medicina, Odontologia, Filosofia, Direito e Administração, que surgiu com a criação da UFPI, em 1968.

Em 1995, foi inaugurada a Biblioteca Comunitária Jornalista Carlos Castello Branco (BCCB), órgão subordinado a Reitoria e que atualmente coordena as outras nove Bibliotecas Setoriais do Sistema de Bibliotecas da UFPI.

As bibliotecas da UFPI em Teresina funcionam de segunda a sexta-feira, das 07h30 às 21h e aos sábados, das 08h às 12h.

Biblioteca Comunitária Jornalista Carlos Castello Branco - BCCB
Biblioteca Setorial Prof. Zenon Rocha - CCS (Teresina)
Biblioteca Setorial Profa. Raimunda Melo - CCE (Teresina)
Biblioteca Setorial do Centro de Ciências Agrárias - CCA (Teresina)
Biblioteca Setorial do Centro de Ciências da Natureza - CCN (Teresina)
Biblioteca Setorial do Centro de Ciências Humanas e Letras - CCHL (Teresina)
UESPI

A Universidade Estadual do Piauí conta com um acervo de 17.620 exemplares. A instituição dispõe ainda de acesso ao Portal de Periódicos da CAPES, com opção de acesso remoto via CAFe com 98 bases de dados em diversas áreas, além de assinaturas de portais com mais de 2 mil periódicos nas áreas de engenharia e computação.

Em Teresina, as bibliotecas funcionam de segunda a sexta das 7h30 às 21h e aos sábados, das 8h às 12h.

Biblioteca em Teresina. — Foto: Glayson Costa/G1Biblioteca em Teresina. — Foto: Glayson Costa/G1
Biblioteca em Teresina. — Foto: Glayson Costa/G1

Interior do Piauí
No interior do estado, as principais bibliotecas públicas estão vinculadas à instituições de ensino superior.

UFPI

Biblioteca Setorial do Campus Prof. Cândido Athayde (Parnaíba)
Biblioteca Setorial do Campus Prof. Amílcar Ferreira Sobral (Floriano)
Biblioteca Setorial do Campus Senador Helvídio Nunes (Picos)
Biblioteca Setorial do Campus Profa. Cinobelina Elvas (Bom Jesus)
UESPI

Além dos dois campi de Teresina, os outros 10 campi possuem biblioteca. No ano de 2019 foi realizado 8.838 empréstimos de livros, o que corresponde a uma média de 25 empréstimos por dia. A comunidade pode fazer uso do acervo da Biblioteca, ter acesso a internet e fazer pesquisas de trabalhos de conclusão de curso, de mestrado e doutorado. O empréstimo de livros é limitado a alunos e professores da instituição.

 

G1 PI

Foto: Glayson Costa/G1

BRUNOO Fluminense, de Feira de Santana, na Bahia, acertou a contratação do goleiro Bruno, porém, o negócio causou uma revolta geral em grupos organizados de mulheres do estado nordestino e até de âncora da TV Globo local.


Mesmo com o acordo entre clube e atleta, o mesmo depende da Justiça para a transferência de presídio. No momento, o ex-goleiro cumpre pena na cidade de Varginha, em Minas Gerais, após ser condenado em 8 de março de 2013 a 22 anos e 3 meses de prisão pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho, em 2010.

De acordo com entrevista do presidente do clube, o deputado estadual Pastor Tom (PSL), publicada no site "Bahia Notícias", a decisão deve ser tomada nos próximos dias.

"Daqui para amanhã a gente já decide. Já está tudo acertado. Se o jurídico falar que não consegue (a transferência) em 30 dias, eu estou fora. Tem que vir agora, inclusive com oito dias. Não posso demorar, porque a gente não tem calendário, só temos quatro meses de competição."

A repercussão da possível contratação de Bruno
Na mídia, a possível ida de Bruno ao time da Bahia não foi bem aceita. A jornalista Jéssica Senra, da TV Bahia, afiliada da Rede Globo, acredita que Bruno "merece trabalhar, mas não como ídolo".

"Desejamos e precisamos que pessoas que cometem crimes tenham a possibilidade de refazer suas vidas, mas diante de um crime tão bárbaro, tão cruel, poderíamos tolerar que o feminicida Bruno voltasse à posição de ídolo? Que mensagem mandaríamos à sociedade? Atletas são referências. Contratar para um time de futebol um assassino, um homem que mandou matar a mãe do seu filho, esquartejar, dar o corpo para os cachorros comerem é um desrespeito. É um desrespeito a nós mulheres", afirmou ela durante o programa Bahia Meio-Dia, o qual apresenta, nessa segunda-feira.

Senra também usou posteriormente suas redes sociais para postar um texto explicando por que é contra "a contratação de um feminicida no esporte" - leia abaixo.

Além da jornalista, grupos de mulheres também protestaram contra a contratação do ex-jogador do Flamengo.

Um manifesto assinado conjuntamente pela seção de Feira de Santana do Movimento Negro Unificado da Bahia, pelo Movimento de Mulheres em Defesa da Cidadania e pela Rede de Mulheres Negras da Bahia pede que o Fluminense de Feira reveja sua intenção e desista de contratar Bruno.

"... O simples fato de cogitar a contratação deste assassino já se constitui uma mancha na longa história do clube. E mais do que isso, representa um posicionamento no sentido contrário ao crescente sentimento de repulsa ao feminícidio que tem interrompido a vida de tantas mulheres não só no município, mas em todo o Brasil. Esperamos que o Touro do Sertão não manche sua bonita história em defesa do esporte afrontando as mulheres de Feira de Santana ao nos impor tão ofensiva contratação", diz parte do texto

Em novembro do ano passado, o Barbalha, time do interior do Ceará, também tentou contratar Bruno, mas desistiu do negócio após ordem do prefeito e também patrocinador do clube, Argemiro Sampaio (PSDB).

O primeiro compromisso do Fluminense de Feira no Campeonato Baiano será no dia 15 de janeiro, em partida contra o Atlético de Alagoinhas.

Veja, abaixo, a postagem da ânora da TV Bahia, afiliada da TV Globo, em suas redes sociais

"Por que sou contra a contratação de um feminicida no esporteEu acredito na recuperação do ser humano. Acredito que a maioria das pessoas merece outras chances depois que comete erros, porque errar é da essência humana. O perdão é um dos sentimentos mais belos que podemos cultivar. Mas perdoar alguém não significa esquecer o que esse alguém fez nem permitir que esse alguém continue em nossa vida.

Perdoar e dar uma nova chance não apaga o que foi feito, não se pode fingir que nada aconteceu. Embora juridicamente o cumprimento de uma pena libera o condenado para seguir sua vida normalmente, é socialmente que precisamos pensar no que toleramos ou não. Nem tudo é apenas questão de lei.

Há comportamentos legais que são imorais. Um condenado pode e deve ser ressocializado. Deve merecer uma segunda chance. Mas penso que, depois de um crime tão perverso, voltar a ser ídolo, a estar numa posição que lhe confere status de ídolo, é bastante questionável. Penso que o feminicida deve voltar ao trabalho, mas não no futebol, não como ídolo. Defendo sua ressocialização, mas longe de qualquer torcida.

E isso não é a lei que vai decidir. É a sociedade. E se ele tivesse estuprado um bebê? O que os “fãs” diriam? Lembro que há pouco mais de dois anos, jogadores foram flagrados num vídeo masturbando uns aos outros no vestiário de um clube gaúcho. Os quatro jogadores foram dispensados. Seus nomes, inclusive, foram poupados para evitar que eles fossem banidos do futebol.

E é bom que fique bem claro: eles não cometeram crime algum, não fizeram nada contra a vontade de ninguém! Mas, absurdamente, a homossexualidade ainda é intolerável no futebol. Ser feminicida é aceitável? O que você pensa disso?

NãoAoFeminicídio"

 

Espn

Foto: Gazeta Press

O comunicador Nilson Ferreira, secretário de Comunicação da gestão Joel Rodrigues, de Floriano, está de aniversário hoje.

Como um homem praticante da fé e como membro da Igreja Católica, há anos ele sempre participa no começo do dia de uma celebração, fato que ocorre sempre na Capela do Mosteiro das Monjas, zona rural. A presença dele na Igreja neste dia é no sentido de agradecer pelo dom da vida.

A celebração de hoje, 07 de janeiro, foi presidida pelo frei Eulálio Miranda e o aniversariante foi citado durante a missa. Ao final, ele foi homenageado. Nilson estava acompanhado de uma familiar e de alguns amigos.

nilsonferr

nilsonerr

Parabéns!

Da redação

mariaaparecidaUma jovem piauiense de 27 anos identificada como Maria Aparecida Messias de Oliveira, natural da cidade de Guadalupe, no Sul do Piauí, está desaparecida há seis dias. A jovem foi vista pela última vez no último dia 31 de dezembro em Florianópolis, Santa Catarina.

A piauiense foi vista pela última vez em um mercado da cidade, localizado na rua Lauro Linhares, por volta das 16h52, de acordo com a família.

Segundo a Polícia Militar de Santa Catarina, para informar desaparecimentos, solicitar informações sobre desaparecidos ou dar informações sobre pessoas desaparecidas entre em contato pelos seguintes telefones:

(48) 3665-4715

 (48) 99156-8264

(48) 98843-3152 ou pelo 190, de 7h às 19h.

 

mn