Uma família de colombianos se frustrou ao chegar ao Brasil para acompanhar a Copa América. Com a mudança da sede do torneio para o Brasil, o sonho de acompanhar a Seleção da Colômbia seguia agendada apesar do contratempo. Entretanto, a saga para seguir de perto a equipe de Reinaldo Rueda em terras brasileiras foi por água abaixo com a proibição de torcedores nos estádios, medida desconhecida pelo grupo. A informação é do portal "UOL". + Confira a classificação dos grupos da Copa América!

No último domingo, a família Calderón também foi surpreendida pelas medidas sanitárias contra a Covid-19. À espera de um mínimo contato com os jogadores da seleção colombiana, eles aguardaram a chegada da delegação ao portão de acesso da Arena Pantanal. Todavia, o ônibus seguiu direto e os atletas sequer apareceram nas janelas.

  • Estávamos programados para ir à Copa América inicialmente na Colômbia e Argentina, compramos os ingressos para Buenos Aires, decidiram adiar para o Brasil, e aí aqui estamos esperando a seleção. Não sabíamos que não teria público. O lógico era ter público, porque inicialmente teria - lamentou Julia Calderón.
  • Na Colômbia teve público com 30% da população do estádio [contra a Argentina, pelas Eliminatórias], então imaginávamos que aqui seria igual - concluiu a colombiana.

Além da família, cerca de 20 colombianos acompanhavam do lado de fora a partida diante do Equador. Dentro das quatro linhas, para consolo dos "Calderóns", a Seleção da Colômbia venceu na estreia da Copa América por 1 a 0.

Lançe

forlezaO Fortaleza segue 100% no Brasileirão de 2021 e é o novo líder da competição nacional. A equipe de Juan Pablo Vojvoda venceu o Sport, na Arena Castelão, na noite deste domingo (13), por 1 a 0 com gol de pênalti de Wellington Paulista e chegou aos nove pontos, mesma pontuação do vice-líder Athletico-PR.

A derrota estacionou o Sport no lado inferior da tabela e próximo da zona de rebaixamento para a Série B e mantém o Leão da Ilha sem vitórias na competição. O revés colocou a equipe de Umberto Louzer na 16ª posição, com um ponto - mesma pontuação de São Paulo e Chapecoense, que encerraram a rodada no Z-4.

PRIMEIRO TEMPO

Sem grandes chances de gol, a melhor oportunidade de abrir o placar da Arena Castelão saiu já nos acréscimos, aos 47 minutos. Após boa troca de passes Éderson encontrou Yago Pikachu dentro da área, que tocou para Tinga finalizar com muito perigo para a meta de Mailson.

SEGUNDO TEMPO

A etapa complementar foi mais movimentada e foi na metade final que o jogo pegou fogo. Aos 27 minutos, o atacante Maxwell, do Sport, foi expulso após revisão do VAR em lance com Matheus Vargas.

No ataque com um jogador a mais, o Fortaleza chegou ao seu gol aos 32 minutos em uma cobrança de pênalti cometido por Iago Maidana. Wellington Paulista bateu, com tranquilidade, e abriu o placar na Arena Castelão. Wellington Paulista fez o gol do triunfo (Foto: Reprodução/Premiere)

PRÓXIMOS JOGOS

Com a rodada do fim de semana já no passado, Fortaleza e Sport voltam aos gramados na próxima quinta-feira (17) em jogos válidos pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

O Leão do Pici vai viajar para encarar o Atlético-GO, no Centro-Oeste. Em contrapartida, o Leão da Ilha vai jogar em casa contra o Grêmio.

FICHA TÉCNICA FORTALEZA 1 X 0 SPORT Local: Arena Castelão, Fortaleza (CE) Data-Horário: 13/06/2021 - 20h30 (de Brasília) Árbitro: Braulio da Silva Machado (Fifa-SC) Auxiliares: Alex dos Santos (SC) e Éder Alexandre (SC) VAR: Elmo Alves Resende Cunha (GO) Cartões amarelos: Titi, Carlinhos, David (FOR); Paulinho Moccelin, Ricardinho, Iago Maidana (SPT) Cartão vermelho: Maxwell (SPT) Gols: Wellington Paulista (33'/2ºT)

Fortaleza: Felipe Alves; Tinga, Marcelo Benevenuto, Titi e Carlinhos (Bruno Melo, aos 46/2ºT); Éderson, Felipe e Luiz Henrique (Matheus Vargas, aos 18/2ºT); Yago Pikachu, Robson (Wellington Paulista, aos 18/2ºT) e David (Romarinho, aos 18/2ºT). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

Sport: Mailson; Hayner (Maxwell, aos 18/2ºT), Rafael Thyere (Iago Maidana, aos 18/2ºT), Sabino e Sander; Marcão Silva, Ricardinho, Gustavo Oliveira (Thiago Lopes, aos 9/2ºT), Marquinhos (Patric, aos 19/2ºT) e Paulinho Moccelin; André (Mikael, aos 38/2ºT). Técnico: Umberto Louzer.

Lançe

brasvenezuelaO Brasil venceu a Venezuela por 3 a 0 neste domingo, em partida disputada em Brasília, válida pelo Grupo B da Copa América.

No estádio Mané Garrincha, os gols dos anfitriões foram marcados por Marquinhos (23), Neymar (em cobrança de pênalti, 64) e Gabigol (89), diante de um adversário com vários desfalques por conta de um surto de covid-19 em sua delegação, que atingiu 13 integrantes, obrigando a convocação de urgência na véspera de 15 novos jogadores.

Além de Brasil e Venezuela, integram o Grupo B da Copa América Peru, Colômbia e Equador, sendo que esses dois últimos se enfrentam ainda neste domingo, às 21h00 (de Brasília), na Arena Pantanal, em Cuiabá.

  • Ficha técnica da partida válida pela primeira rodada do Grupo B da Copa América:

Estádio: Estádio Nacional Mané Garrincha (Brasília)

Árbitro: Esteban Ostojich (URU)

Gols:

Brasil: Marquinhos (23), Neymar (63, de pênalti), Gabigol (89)

Cartões amarelos:

Brasil: Lodi (39), Gabigol (66)

Venezuela: Manzano (69), Mago (80)

Equipes:

Brasil: Alisson - Danilo, Eder Militão, Marquinhos, Renan Lodi (Alex Sandro 46) - Casemiro (cap), Lucas (Everton Ribeiro 46) - Fred (Fabinho 86), Neymar, Richarlison (Gabigol 66), Gabriel Jesus (Vinícius Júnior 86). T: Tite.

Venezuela: Joel Graterol - Alexander González (Ronald Hernández 90+2), Francisco La Mantia, Jhoan Cumaná, Adrián Martínez, Luis Mago, Bernaldo Manzano (Richard Celis 77) - Josef Martínez, Junior Moreno, Cristian Cásseres Jr (Edson Castillo 84) - Fernando Aristeguieta (cap) (John Murillo 77). T: José Peseiro.

jm/ol/lca

AFP

Diante de seus problemas financeiros, o Vasco não teve uma boa notícia. O juiz Ronaldo Santos Resende, da 78ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro do Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região (TRT-1), determinou a expedição de mandado de penhora do troféu da Conmebol Libertadores, na quinta-feira, conquistado pelo clube em 1998. A informação foi inicialmente publicada pelo site Esporte News Mundo.

A penhora é referente a uma ação trabalhista movida pelo norte-americano Nick Okorie, ala-armador do antigo time de basquete do Vasco, que defendeu as cores do clube entre outubro de 2018 e abril de 2019. O valor é referente a pagamentos atrasados de férias, FGTS e salários atrasados, e o jogador cobrava o valor de R$ 117.734,40.

A defesa do atleta solicitou a penhora do troféu, pois não conseguiu bloquear os direitos de transmissão e premiação da disputa do Campeonato Brasileiro, junto ao Grupo Globo e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Contudo, como o Gigante da Colina foi rebaixado, não teve direito a receber tais receitas.

Cabe salientar que Nick Okorie e Vasco chegaram a um acordo para a quitação da dívida em setembro de 2020. Na época, ficou acertado o valor de R$ 42.900,00 em dez parcelas. No entanto, a primeira parcela não foi quitada pelo clube, que foi cobrado no mês seguinte com multa de 50% e antecipação de todas as parcelas.

Neste ano, a justiça já havia determinado a penhora do troféu da Libertadores. A decisão ocorreu no mês passado, em ação favorável a um ex-funcionário do clube, porém o Vasco efetuou o pagamento da dívida, um pouco mais de R$ 5 mil, e evitou a penhora.

Lançe