A Alemanha entrou em campo para enfrentar a Costa Rica com uma missão difícil: não bastava vencer, dependia de outros resultados para avançar às oitavas de final. Não deu. Apesar de ter vencido o duelo por 4 a 2, a vaga não veio, Japão e Espanha avançaram. Mas quando o assunto é resultado inesperado, a seleção alemã parece entender.

 alemnaha

Na Copa do Mundo de 1974, ano em que a Alemanha Ocidental sagrou-se campeã, a seleção chegou à final por ter, para muitos, "deixado" a Alemanha Oriental vencer o confronto por 1 a 0. Com a derrota, a Alemanha Ocidental fugiu do grupo de Brasil, Holanda e Argentina, e teria ficado com um grupo teoricamente mais fraco, que tinha Polônia, Suécia e Iugoslávia, para chegar à decisão. Na final daquele ano, a Holanda saiu na frente, mas a Alemanha conseguiu virar o jogo, por 2 a 1, e ficar com a taça daquela edição em que o Brasil terminou em 4º lugar.

Mais tarde, em 1982, no que ficou conhecido como o "Jogo da Vergonha", os germânicos sabiam o que fazer para se classificar e puxar junto a Áustria, adversária da vez.

Naquela época, os jogos da última rodada não aconteciam de forma simultânea, ou seja, Alemanha Ocidental e a Áustria entraram em campo sabendo exatamente o que precisavam fazer para ambas se classificarem. Com uma vitória simples a Alemanha avançava, e os austríacos poderiam perder que, ainda assim, ficariam com a outra vaga.

E assim foi feito: vitória por 1 a 0. A partida foi marcada por toques de bola e poucas chances de gols, sob vaias dos torcedores presentes em Gijón. O episódio manchou a campanha alemã, que terminou com o vice-campeã após derrota para a Itália na decisão.

Em 2022, não bastava apenas vencer a Costa Rica, era preciso torcer por uma vitória da Espanha sobre o Japão, o que não aconteceu. A Alemanha empatou em pontos com os espanhóis, mas perdeu a segunda colocação para os japoneses por conta do saldo de gols: 6 contra 1. Foi o segundo ano consecutivo que a Alemanha cai na fase de grupos do Mundial.

Lance

Foto: EFE/EPA/Ronald Wittek

Uma vez temida, a ótima geração belga deu adeus à Copa do Mundo do Catar. A equipe de De Bruyne, Lukaku e Hazard, que eliminou o Brasil em 2018, precisava vencer a Croácia nesta quinta-feira (1º), no estádio Ahmed bin Ali, mas ficou apenas no empate sem gols na terceira e última rodada do Grupo F.

belgica

Com o resultado, a Bélgica termina sua participação no Mundial com quatro pontos, um a menos que a Croácia, que ficou na segunda colocação do grupo. O campeão da chave foi o surpreendente Marrocos, que bateu o Canadá e avança em primeiro, com sete pontos. Dessa forma, a equipe de Modric, atual vice-campeã, deve encarar uma pedreira já nas oitavas.

Uma Bélgica apática

A Croácia entrou em campo fazendo jus ao status de atual vice-campeã do mundo. Logo no primeiro lance do jogo, Perisic quase abriu o placar, depois de ter recebido o lançamento na saída de bola, mas chutou para fora, com perigo. Os croatas, inclusive, quase tiveram a chance de fazer o primeiro, de pênalti, com Modric, mas a penalidade foi anulada por um impedimento polêmico, marcado com a assistência do VAR.

A Bélgica, que vive uma crise nos bastidores, com brigas de jogadores e trocas de farpas internas, mal parecia que estava sendo eliminada. Os Diabos Vermelhos até aceleravam quando tinham a posse, mas De Bruyne, o principal atleta da equipe, mal foi acionado, e os jogadores da frente não conseguiram levar perigo ao gol de Livakovic.

Na volta do intervalo, Mertens deu lugar a Lukaku, destaque da Bélgica na Copa do Mundo de 2018. O camisa 9, que somava poucos minutos em campo até aqui, teve a oportunidade de jogar 45 minutos pela primeira vez no Catar, e deu uma injeção de ânimo à partida.

O centroavante teve grandes oportunidades de marcar, algumas em cima da linha, mas não conseguiu balançar a rede. Doku, que também entrou no segundo tempo, infernizou a defesa croata e tirou alguns coelhos da cartola, mas a sorte não parecia estar ao lado dos belgas nesta quinta-feira. Próximos confrontos

A Croácia volta a entrar em campo na próxima segunda-feira (5), às 12h (de Brasília), no estádio Al Janoub, pelas oitavas de final. Como avança em segundo, a atual vice-campeã vai pegar o primeiro colocado do Grupo E, que pode ser Espanha, Costa Rica ou Japão. A Alemanha conseguirá, no máximo, a segunda colocação, caso vença os costa-riquenhos. Já a Bélgica não joga mais nesta Copa do Mundo, pois está eliminada.

FICHA TÉCNICA

Croácia 0 x 0 Bélgica Copa do Mundo 2022 Grupo F - 3ª rodada ​ Data e horário: 01/12/2022, às 12h (horário de Brasília; 18h no horário local) Local: Ahmed bin Ali, Al Rayyan (QAT) Árbitro: Anthony Taylor (ING) Assistentes: Gary Beswick (ING) e Adam Nunn (ING) Quarto árbitro: Istvan Kovacs (ROM) VAR: Marco Fritz (ALE)

CROÁCIA (Técnico: Zlatko Dalic) Livakovic; Juranovic, Lovren, Gvardiol, Sosa; Modric, Brozovic, Kovacic; Livaja, Perisic e Kramaric.

BÉLGICA (Técnico: Roberto Martínez) ​Courtois; Castagne, Alderweireld, Vertonghen; Meunier, Dendoncker, Witsel, Carrasco; De Bruyne, Trossard; Mertens.

R7

Foto: REUTERS/John Sibley

Copa do Mundo é realmente uma realidade bem diferente de tudo aquilo que estamos acostumados a ver em cobertura de clubes. Como a comissão técnica decidiu que o treino de hoje seria fechado para os jornalistas acompanharem, a assessoria de imprensa encaminhou para alguns jornalistas como o Brasil está trabalhando internamente, inclusive com potenciais dúvidas que o treinador tenha para definir sua equipe.

daniel

ESCALAÇÃO

O time do Brasil está trabalhando com Ederson no gol, Daniel Alves na lateral direita, Eder Militão e Bremer na zaga e Alex Telles na lateral esquerda. Fabinho, Bruno Guimarães e a dúvida entre Rodrygo ou Everton Ribeiro para fechar o meio de campo. E no ataque, Antony, Martinelli e a dúvida entre Pedro ou Gabriel Jesus.

Chama a atenção o fato do time ser divulgado com antecedência, inclusive com as eventuais dúvidas, mas o que é muito claro é a boa vontade que a Confederação Brasileira de Futebol tem tido com os profissionais de imprensa desde o início do processo de preparação da Copa do Mundo e isso entendo que precisa ser registrado.

TIME ALTERNATIVO

Agora, sobre o time eu reputo coerente da parte do treinador , pois são vários fatores que entendo ser acertada a decisão de colocar um time novo diante de Camarões. Primeiro que o Brasil já está classificado para a próxima fase, o fato de dar minutagens para todos os atletas os colocam em condições de motivação e atenção para estarem aptos a entrar a qualquer momento em fases seguintes e com dificuldades mais relevantes e o principal, nosso elenco é rico de bons jogadores e todos estão aptos para enfrentar a seleção africana, que infelizmente está longe de ser aquela que assustou o mundo anos atrás.

Por Luciano Luiz /Enviado Especial FUTEBOL INTERIOR

Foto: Luciano Luiz

l Novorizontino, time do interior paulista, anunciou na terça-feira (29), através das suas mídias sociais, a contratação do lateral-esquerdo Roberto Heuchayer, que é natural da cidade de Picos-PI.

O atleta de 31 anos tem uma carreira importante, com passagens por grandes clubes do futebol nacional, como Atlético-PR, Bahia e Chapecoense. 

O primeiro desafio de Roberto com a camisa do Tigre do Vale será o Campeonato Paulista da Serie A2, que inicia em Janeiro. Em 2022, o canhoto disputou 38 jogos pelo Ituano, fez um gol e deu a quatro assistências.

“Muito feliz e motivado por fazer parte do elenco do Novorizontino em 2023. Um clube com uma grande estrutura e mais ainda pelo projeto de voltar à elite do Paulistão e conseguir brigar pelo acesso à Série A do Brasileirão. Darei meu melhor a cada jogo vestindo a camisa do Tigre do Vale”, disse Roberto.

O novo time de Heuchayer estará disputando também em 2023 o Brasileirão da Série B.