A Capes publicou nessa segunda-feira, 6, os novos editais do Programa Residência Pedagógica (Edital RP nº 01/2020) e do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - Pibid (Edital Pibid nº 02/2020).

Cada programa oferecerá 30.096 bolsas para estudantes de licenciatura de até 250 instituições de ensino superior (IES), com duração de até 18 meses, sendo um mínimo de 60% delas voltadas para as áreas consideradas prioritárias: Alfabetização, Biologia, Ciências, Física, Língua Portuguesa, Matemática e Química.

O prazo para solicitar acesso ao Sicapes encerra 16 de janeiro*, o cadastro dos projetos institucionais de cada IES no Sicapes se encerra em 2 de março, o resultado final da seleção será divulgado até 10 de abril e o início das atividades se dará no dia 14 do mesmo mês. Acesse a Portaria CAPES nº 259, de 17 de dezembro de 2019, que dispõe sobre o regulamento dos programas.

Orientações:

O projeto institucional será preenchido por meio de formulário eletrônico, pelo Pró-Reitor de Graduação ou equivalente, que deverá realizar cadastro do seu CPF no Sicapes.


Após o cadastro do CPF, deverá ser encaminhado documento de nomeação ao cargo e solicitação de acesso de acordo com modelo de formulário disponibilizado na página da Capes para o endereço eletrônico dos respectivos programas.


Todos os candidatos a bolsa devem incluir seus currículos e mantê-los atualizados na Plataforma CAPES de Educação Básica até 28 de fevereiro.
A equipe da Capes está à disposição por meio dos seguintes endereços de email: Residência Pedagógica: ; Pibid: .


Confira o Editais do Programa de Residência Pedagógica e do PIBID.

 

Ufpi

O Núcleo Permanente Interdisciplinar em Direitos Humanos (NUPIDH) da UESPI oferta 120 vagas para a terceira turma do Curso de Formação Política voltado para Mulheres. As inscrições serão realizadas de 13 a 31 de Janeiro. O curso tem como principal objetivo proporcionar conhecimento sobre os direitos civis e parlamentares à mulheres que querem ingressar na carreira política.

Os encontros reúnem temas e reflexões que trazem as mulheres uma familiarização com a política de uma forma mais esclarecida e permite discussões nos ambientes nos quais estão envolvidas. De acordo com a organizadora do curso, Ester Castelo Branco, o curso objetiva principalmente o fortalecer o empoderamento feminino.

“O curso tem como foco esclarecer alguns pontos importantes em matéria de direito constitucional de direito eleitoral no âmbito feminino. Buscamos a qualificação daquelas mulheres que querem aprofundar-se na política fazendo uma assessoria parlamentar condizente ou até mesmo ingressar em espaços que são dominados por homens”, pontua.

O curso está em sua terceira turma, sendo sempre muito procurado. A jornalista Maria do Rosário Rodrigues participou da segunda turma do curso, ela afirma que os encontros a engrandeceram tanto profissionalmente quanto como cidadã. “Adquirimos conhecimento nas diversas áreas possíveis do Direito e da Política, entendemos como funciona o Parlamento, as instituições de controle, entre outras. Acredito que eu como jornalista e, comunicadora de fato, precisava entender melhor como funciona as políticas públicas e a própria sociedade”, diz.


A psicóloga Leilanir Carvalho acrescenta que o curso abre a mente e faz refletir sobre temas que fazem respeitar cada vez mais o ser humano. “A experiência em fazer o curso de política para mulheres foi enriquecedor em vários sentidos, por intermédio do curso aprendi conteúdos da área, estabeleci parcerias, estou engajada em projetos políticos e sociais relevantes e ampliei meus contatos pessoais e profissionais. Ou seja, os resultados são valiosos e eu recomendo a todas as mulheres participarem, para ampliar seus conhecimentos, fortalecerem nossas bases e terem um retorno positivo em suas vidas”, finaliza.

O curso tem duração de um ano, contendo 16 aulas temáticas voltadas ao âmbito político. Será ministrado por professores da UESPI e convidados que esclarecerão sobre a atividade política feminina. A carga horária é 120 horas com certificação, dentro do Programa Institucional de Bolsas em Extensão Universitária (PIBEU PREX/UESPI).

As inscrições para o Curso são gratuitas, exigem cópia do RG e CPF e podem ser feitas através do e-mail (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.) ou de forma presencial no NUPIDH, enquanto houver vagas.

Uespi

 

 

Os estudantes que prestaram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 podem começar a contagem regressiva. São menos de dez dias até a divulgação dos resultados, em 17 de janeiro. A nota individual poderá ser acessada pela Página do Participante, no portal ou no aplicativo do Enem.

É no momento da consulta às notas que muitas pessoas percebem que não se lembram mais da senha de acesso. Para facilitar, o sistema do Enem permite a recuperação da senha cadastrada. Ela é muito importante, porque com os resultados em mãos, a senha será usada para dar mais novos passos na vida educacional.

Após a divulgação das notas, os participantes vão poder pleitear vagas nas instituições de educação superior. As principais formas de usar a nota do Enem são:

Sistema de Seleção Unificada (Sisu)

O Sisu reúne instituições públicas de ensino superior de todo o País. Para fazer a inscrição, basta que o estudante tenha obtido uma nota acima de zero na redação.

O candidato deve escolher até duas opções de cursos ofertados pelas instituições participantes. Ao final, o sistema seleciona os mais bem classificados em cada curso, de acordo com as notas no Enem e eventuais ponderações, como pesos atribuídos às notas ou bônus. Caso o desempenho do candidato permita o ingresso nos dois cursos, prevalecerá a primeira opção, com apenas uma chamada para matrícula.

Programa Universidade Para Todos (ProUni)

O estudante que estiver de olho em instituições privadas de ensino superior pode concorrer a bolsas integrais (100%) e parciais (50%) por meio do ProUni. Para se inscrever na iniciativa, o estudante que participou de alguma edição do Enem desde 2010 deve ter obtido média de ao menos 450 pontos e não ter zerado a redação.

Para bolsas parciais, a renda familiar bruta mensal do candidato deverá ser de até três salários mínimos por pessoa; para as integrais, um salário mínimo e meio por pessoa. As bolsas são dadas em cima dos valores cobrados na mensalidade de instituições de ensino privadas.

Ingresso direto

Para realizar o ingresso direto em uma faculdade particular, o estudante não precisa realizar provas nem pagar taxas, apenas se inscrever no site ou diretamente na instituição de interesse e aguardar o resultado da seleção. Para participar, é necessário que o estudante tenha feito alguma edição do Enem desde 2010 sem zerar nenhuma das provas.

Fundo de Financiamento Estudantil (Fies)

Com a nota do Enem, o candidato também pode concorrer a uma vaga pelo Fies. O programa está dividido em duas modalidades: juros zero a quem mais precisa (renda familiar de até três salários mínimos por pessoa) e escala de financiamento que varia conforme a renda familiar do candidato.

Para participar, as regras são as mesmas do ProUni: o candidato que participou de qualquer edição do Enem desde 2010 precisa ter desempenho de pelo menos 450 pontos média nas provas e não zerar a redação. A partir de 2021, será preciso ter obtido nota superior a 400 no texto.

Universidades portuguesas

Os resultados individuais do Enem também podem ser usados nos processos seletivos de instituições de educação portuguesas. São 47 universidades, institutos politécnicos e escolas superiores que firmaram acordo interinstitucional com o Inep. Cada instituição define as regras e os pesos para uso das notas.

 

Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

 

nelipiO Núcleo de Estudos Literários Piauiense (NELIPI) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), campus de Floriano, promove o Círculo de Leituras Itinerante em Literatura Piauiense. O projeto conta com 14 encontros que irão discutir várias obras piauienses partindo de diferentes interpretações. A apresentação e lançamento do Círculo acontece nesta sexta-feira (10), no auditório do campus.


A programação das discussões inicia dia 25 de janeiro e encerra no dia 25 de julho. O primeiro encontro irá abordar a obra “Zodíaco”, de Da Costa e Silva. O autor foi um dos mais importantes poetas piauienses, com destaque nacional, em uma poesia que evoluía do simbolismo para o modernismo. Segundo a Academia Piauiense de Letras, o Zodíaco é sua obra máxima, que mostra o soneto com maestria e também com sensibilidade e virtuosismo em poemas que estão sempre na memória piauiense.

Além de Da Costa e Silva, serão discutidas mais 13 obras, que percorrerão por inúmeras escolas públicas, bem como instituições de fomento cultural, como a Academia de Letras e Belas-Artes de Floriano e Vale do Parnaíba (ALBEARTES) e o Centro Cultural Christino Castro.

O principal objetivo de Círculo de Leituras é divulgar e promover a literatura piauiense, sobretudo demonstrando o seu devido lugar na constelação das letras nacionais. Para isso, serão apresentados os principais escritores e obras do Piauí, nos mais variados recortes históricos – do século XIX em diante.

O coordenador do projeto, professor Daniel Castello Branco, afirma que a atividade também objetiva a aproximação da universidade e comunidade. “Cada encontro será mediado por professores e acadêmicos do curso de Letras-Português. Eles apresentarão autores e obras, despertando no público debates produtivos. Dessa forma, nós iremos incentivar nossos alunos-acadêmicos a se envolverem com o meio social, discutindo conteúdos aprendidos e trocando experiências necessárias às suas formações”, pontua.

O professor acrescenta que o projeto atende a um público múltiplo e sem restrições. “Por ser um projeto que intenta despertar o prazer e a curiosidade pelo objeto literário, sua importância está na promoção da leitura, no conhecimento da história e das manifestações culturais e literárias do Piauí, atendendo a um público interdisciplinar”.

Após a realização do Círculo, o NELIPI irá realizar uma análise do impacto e a recepção das obras elencadas na primeira programação para definir as obras do segundo semestre. A atividade é aberta e gratuita para a comunidade de modo geral.

 

Uespi