Discutindo o tema “Diálogos inclusivos: os desafios profissionais para atuar frente à diversidade”, o II Simpósio Internacional de Intervenção Precoce na Infância foi realizado em são Luís, no Maranhão. Teve como objetivo evidenciar a temática e promover uma formação ampla em caráter multidisciplinar, envolvendo profissionais da educação, saúde e assistência na compreensão sobre as demandas vivenciadas por crianças com algum risco ao seu desenvolvimento, e sobre os seus respectivos contextos familiares. 

sala

O evento foi promovido pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Especial na Educação Básica (Gepeesp) da UFMA. 

O município de Floriano esteve representado pelas profissionais Lara Siqueira Nunes de Araújo (fonoaudióloga), Daccione Ramos da Conceição (fisioterapeuta) e Maria Helena Francisca Filha do Nascimento (psicóloga). Todas fazem parte da equipe do Núcleo de Atendimento Infantil Thiago Muniz Nicácio, que atende crianças e adolescentes até os 14 anos na Policlínica. Na oportunidade, o trabalho apresentado foi premiado como um dos melhores no simpósio. 

O trabalho apresentado foi um relato de experiência sobre a atuação interdisciplinar na sala de estimulação precoce, no município de Floriano, durante a pandemia de COVID-19. “Estamos gratos e orgulhosos pelo reconhecimento científico do nosso trabalho. Agora estamos ainda mais confiantes para continuar trabalhando da forma que acreditamos. Com ética, de forma técnica e com humildade servindo a quem mais precisa”, afirma Lara Siqueira.

 “Nós sabemos quanto é importante um profissional estar preparado para que possa intervir com crianças que estão com algum risco ao seu desenvolvimento. Essa área da intervenção precoce na infância, antes de ser uma área de estudo, é uma política que precisa ser implantada no Brasil com responsabilidade, pois ainda não temos uma política firme.Temos ações isoladas e queremos congregar as áreas que são importantes para que possamos oferecer e produzir uma evidência, habilitar o país a fazer políticas com responsabilidade”, explica a professora do Departamento de Educação Física, Lívia Zaqueu, uma das coordenadoras do Simpósio. 

Durante o evento, houve a apresentação do coral “Mãos que realçam sentimentos”, da Escola Municipal Bilíngue de São Luís, que interpretou músicas regionais na Língua Brasileira de Sinais (Libras). 

A palestra de abertura foi ministrada pelo psicólogo e professor da Universidade de Évora, em Portugal, Victor Daniel Ferreira Franco. Ele pontuou que o evento coloca a Universidade em outro patamar, na rede de instituições que estão fazendo reflexão e pesquisa sobre o que haverá de novo na intervenção precoce e para o futuro da área. Victor Franco comentou que o Brasil está em processo de mudança, com a estimulação precoce mais centrada na família, como é o caso da Casa de Apoio Ninar, em São Luís.

A programação contou com a realização de minicursos, palestras, apresentações de trabalhos, debates e mesas temáticas.

A Universidade Estadual do Piauí, por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos Estudantis e Comunitários – PREX e do Departamento de Assuntos Estudantis e Comunitários – DAEC, torna público o Resultado Final do Programa Apoio Pedagógico, Campus Poeta Torquato Neto – Teresina (PI), conforme Edital UESPI/PREX/DAEC no 28/2022. Confira:

SEI_GOV-PI – 5084386 – Edital RESULTADO FINAL APOIO PEDAGÓGICO

Uespi

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) acontece em novembro deste ano e os alunos matriculados na primeira etapa do sistema Universidade Aberta do Piauí (UAPI) devem participar da avaliação. Pensando nisso, listamos algumas dicas que podem ajudar os alunos a se preparem para a realização do exame.

Dica 01: Veja as provas anteriores

Uma boa dica para começar a sua preparação para o ENADE inclui ver as provas das edições anteriores do exame. Esse contato pode ajudar o aluno a ter uma boa base para direcionar os seus estudos, além de poder fornecer uma noção da estrutura da prova o ajudando a se familiarizar com a estrutura das questões. Ao pegar as provas aplicadas para o seu curso, o aluno pode ir estudando os assuntos específicos abordados praticando a teoria ao responder as questões das provas. Esse material pode ser encontrado no site oficial do INEP em formato PDF.

Dica 02: Como é a prova do ENADE?

A prova aplicada aos estudantes no ENADE se divide em três partes formadas por uma parte geral, uma parte específica e um questionário de avaliação sobre a prova. A formação geral da prova contém 10 questões quem têm como objetivo avaliar aspectos da formação do aluno através da coerência, coesão, habilidades argumentativas, uso do vocabulário, entre outros pontos. Do total de perguntas, são oito em formato de múltipla escolha e duas questões discursivas.

Em relação aos componentes específicos, o aluno deverá responder 30 questões da área de sua graduação, através de estudos de caso e situações-problema. Dessa forma, são 27 questões de múltipla escolha e 03 questões discursivas. Esses componentes representam 75% da nota da prova, enquanto os componentes gerais correspondem à 25% da composição da avaliação.

Esse ano a prova será realizada em 27 de novembro. A abertura dos portões acontece às 12h00min com fechamento às 13h00min, não sendo possível a entrada após esse horário. Uma vez dentro do local de aplicação, a aplicação do exame terá início às 13h30min.

Dica 03: Fique por dentro das atualidades

Ao observar as questões das provas anteriores, o aluno pode perceber que as notícias do dia a dia costumam dar origem a algumas das perguntas idealizadas para o exame. Portanto, recomendamos que o aluno busque se atualizar em relação aos acontecimentos que estão em pauta no Brasil e no mundo, permitindo que o discente tenha o contexto adequado para responder de forma coerente nesses casos. Além disso, esse conhecimento das atualidades pode ser um excelente aliado na hora de apresentar argumentos nas questões dissertativas. O aluno deve ser capaz de saber o que está acontecendo e conseguir apresentar questões lógicas diante do contexto das questões.

Dica 04: Considere a temática do seu curso

Por fim, e não menos importante, a temática do seu curso deve considerada já que boa parte do peso do exame se dedica aos assuntos específicos da graduação do estudante. O contato com os assuntos na sala de aula pode fornecer essa preparação, mas incentivamos os alunos a irem além, procurando saber mais a respeito das inovações e tendências da sua área. O ENADE não possui teor reprovativo para o aluno, mas se torna um importante instrumento de avaliação do desempenho dos cursos de graduação. Os alunos que querem ver suas instituições de ensino sendo reconhecidas necessitam se dedicar para ir bem na avaliação.

Uespi

 

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) reabriu a Exposição Itinerante de Coleção de História Natural da instituição no Campus Amílcar Ferreira Sobral, em Floriano, para o público em geral. A exposição passou dois anos fechada em decorrência da pandemia e as visitas aos exemplares era permitida apenas para alunos e funcionários da Universidade.

exposiçao

Daniel Fortier, pesquisador e paleontólogo da UFPI, falou sobre a reabertura e a coleção que possui cerca de 30 mil peças expostas, reunindo espécies da fauna e da flora brasileira, além de rochas, minerais e alguns organismos impressos em 3D em plástico biodegradável. “Nossa expectativa é receber visitas não só da comunidade acadêmica, mas do público em geral. Estamos trabalhando, desenvolvendo nosso papel social e nos esforçando para promover essa experiência para as pessoas. Temos mais de 30 mil peças científicas, entre vertebrados invertebrados, fósseis e minerais que são materiais essenciais de pesquisa e que ficam na sala de exposição”, relatou.

A coleção também conta com exposição de animais contemporâneos empalhados, nativos do Piauí e de outras partes do Brasil. Réplicas em 3D também podem ser vistas impressas por meio de plástico biodegradável. Daniel afirma que a exposição é fundamental para as pessoas terem acesso à informação de forma clara e expositiva, desenvolvendo, principalmente, o papel de conscientizar as pessoas para a importância de preservação da natureza. “Esse espaço permite que as pessoas tenham uma noção mais próxima de como era a vida no passado e os visitantes passam a conhecer e valorizar mais a nossa biodiversidade”.

O projeto conta com a ativa participação de alunos de graduação e de mestrado do Campus, que auxiliam no desenvolvimento da exposição. “A participação dos alunos nesse projeto é fundamental. Eles são responsáveis por receber os visitantes e apresentar toda a exposição. Temos alunos de PIBIC, PIBEX, PET que são voluntários do projeto. Esses alunos estão envolvidos com os professores da coleção e recebem treinamento para repassarem essas informações aos visitantes. Sem eles não conseguiríamos tocar o projeto”, disse.

Daniel citou também a importância da extensão para a Instituição. “Desenvolvemos muitas atividades de pesquisa. Temos recentemente aberto, o mestrado em Biodiversidade e Conservação, o primeiro mestrado da área no estado do Piauí. Então, demos um grande passo nesse atendimento à comunidade acadêmica, já que essa exposição é essencial para esses alunos de mestrado”, afirma.

O pesquisador falou também sobre a diversidade de peças que se encontram na exposição. “Nossa exposição é dinâmica. Ao longo do ano fazemos coletas e preparamos novos materiais. Também produzimos novos materiais na impressora 3D. Sempre estimulamos as pessoas a estarem visitando, porque ao passar do tempo vamos tendo várias novidades”, finalizou.

Quem desejar visitar o espaço no campus da UFPI de Floriano pode ir ao local de segunda a sexta-feira, em horário comercial, sem precisar agendar.

Para pesquisadores, instituições ou escolas que queiram agendar a visita, ela pode ser feita por meio do contato (89) 9 99366446 ou por e-mail no endereço . Essas visitas podem ocorrer de segunda-feira a sábado em horários comerciais a combinar.

Ufpi