• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

A região do Cerrado pode ser a solução para o abastecimento de carne e grãos no Brasil, sem precisar derrubar uma única árvore em florestas virgens. Segundo maior bioma do país, o cerrado ocupa 24% do território nacional, em um total de 2 milhões de quilômetros quadrados (km²).

 

Pelo menos 48% desse território já foram desmatados, praticamente tudo nos últimos 50 anos. Entre 2002 e 2008, a área desmatada foi 14 mil quilômetros quadrados (km²) ao ano e caiu para 6,4 mil km² entre 2009 e 2010.

 

Em setembro de 2010, o bioma passou a receber maior atenção do governo, com o lançamento, pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), do Plano de Ação para Prevenção do Desmatamento e Controle das Queimadas no Cerrado, (PPCerrado). De acordo com o MMA, a lavoura e a pecuária são as principais atividades responsáveis por essa devastação - 54 milhões de hectares de cerrado deram lugar a pastagens e 22 milhões estão ocupados por plantações de grãos.

 

Para a professora da Universidade de Brasília Mercedes Bustamente, o problema é a grande extensão de pastagens degradadas, que precisam ser recuperadas. “São pastagens que ainda estão em uso, mas que têm baixa produtividade. Então, de que forma a gente pode recuperar a produtividade dessas áreas, seja para pastagem ou para outros usos agrícolas e, dessa forma, minimizar o impacto da abertura de novas áreas de cerrado? Porque isso tem um impacto não só sobre a questão climática, na capacidade de retenção de água, de uso de água, mas também sobre a biodiversidade, já que o cerrado é a savana mais rica, mais biodiversa do mundo”.

 

Uma resposta possível vem da Embrapa Arroz e Feijão. Na sede em Goiânia, o pesquisador João Kluthcouski ensina e incentiva os produtores a adotar a integração lavoura-pecuária para tornar essas áreas produtivas novamente. “Uma das alternativas é pegar essas áreas degradadas e fazer o consórcio de grãos com pasto, com gramíneas forrageiras tropicais - pode ser o arroz, que é a espécie mais adaptada, pode ser o milho, pode ser o sorgo, isso em pastos e solos degradados também”, explica.

 

O pesquisador da Embrapa Cerrados Lourival Vilela diz que um dos motivos que impedem a expansão rápida dessa técnica é a complexidade de administrar mais de um sistema produtivo. “Quando, por exemplo, um produtor de grãos sai de um sistema especializado e começa a introduzir outros elementos, como pecuária e floresta, dentro da propriedade, é evidente que o sistema começa a se tornar mais complexo. Isso exige não só investimentos, como também uma capacidade gerencial muito maior".

 

De acordo com as pesquisas da Embrapa, esta é a solução mais viável economicamente a curto prazo. Para Kluthcouski, o recurso gerado pela colheita desses grãos é suficiente para pagar todos os insumos e serviços necessários à recuperação.




Agência Brasil

apreensao1A Polícia Civil, por meio da “Operação Nêmesis” divulgou os nomes dos envolvidos na quadrilha que atuava no litoral do Piauí presos em flagrante nesta sexta-feira, 22. Entre eles estão Adércio de Araújo Miranda, conhecido como Adércio Cobra; Antônio de Araújo Miranda, o Antônio Cobra; Samara Costa (viúva de Zé Maria Cobra); Tiago de Araújo Castro (Tiago Pezão); Kátia Maria Damasceno da Conceição e João Batista Alves de Meneses (marido de Kátia).

 

De acordo com a polícia, os Irmãos Cobra e a viúva foram presos em flagrante por formação de quadrilha e porte ilegal de arma de fogo. Tiago e João Batista também foram presos por porte ilegal de arma e com Kátia foi encontrada toda a droga apreendida na operação.

 

De acordo com o delegado geral, James Guerra, 15 pessoas foram presas na operação. Elas estavam distribuídas em 14 pontos de venda de drogas que seriam comandados pelos Irmãos Cobra. “Na ação foram encontrados dois revólveres calibre 38 e um rifle puma, calibre 44, um tablete lacrado em plástico contendo cocaína na forma de crack, aproximadamente, 2 mil pedras de crack embaladas em papel laminado, prontas para a imediata distribuição, além de cerca de R$ 2 mil reais em espécie e notas de pequeno valor” disse em entrevista à uma emissora de TV.

 

A Operação Nêmesis foi deflagrada nesta sexta-feira pela Polícia Civil do Estado do Piauí, em parceria com a Polícia Militar, no qual é resultado de investigações iniciadas há dezoito meses para combater o tráfico de drogas no litoral do Piauí. A ação foi coordenada pela Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes – DEPRE e Núcleo de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Piauí.

 

A Operação teve por objetivo principal, desarticular duas organizações criminosas responsáveis pela distribuição e comercialização de drogas no Piauí, precipuamente em Teresina, com ramificações em Parnaíba e Luís Correia.

 

A denominação “Nêmesis” para a operação foi dada em menção à deusa grega que vivia no Monte Olimpo e figurava a vingança divina. Em português, a palavra designa alguém que exige ou atribui retaliação ou, por extensão de sentido, um rival ou adversário temível e geralmente vitorioso.


Portal az

O jovem Charles da Silva Aquino, 24 anos, faleceu na manhã desta sexta-feira, 22, após 20 dias internado no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). Ele e o irmão, Raimundo Nonato da Silva, foram baleados na cabeça por engano na Praça da Anita Ferraz, zona Leste de Teresina, por dois indivíduos que tentavam matar seus desafetos por guerra de tráfico. 

 

Segundo o delegado Menandro Pedro, titular do 25º DP, os suspeitos do crime são conhecidos como: Fransquim e Pernalta. 

 

“Naquela região há uma disputa pelo tráfico. Fransquim e o Pernalta são responsáveis pela morte Nego Sérgio há cinco meses e estavam tentando matar o irmão dele, Mauricio e o Quatorze, mas acabaram atirando nesses dois irmãos que tem um porte parecido com o dos outros”, declarou Menandro Pedro. 


A vítima levou um tiro no olho que saiu na nuca. O irmão Raimundo Nonato da Silva foi atingido de raspão também na cabeça. 


De acordo com a polícia, Fransquim é responsável por vários homicídios na zona Leste e já teve seu mandado de prisão solicitado, mas ainda não foi concedido pela Justiça. 


“A família da vítima foi intimada, mas não compareceu à delegacia por medo. É importante que eles venham para que possamos reforçar o inquérito”, destacou o delegado. 



cidadeverde.com

medicoatropelaemataciclistaA colisão entre um veículo e uma bicicleta resultou na morte de José Norberto da Silva, 54 anos, no início da tarde desta sexta-feira, 22. O acidente foi registrado na rua Ângelo Pereira da Silva, por trás do cemitério São Judas Tadeu no bairro São João, zona Leste de Teresina.  “O condutor do veículo é um médico. Ele vinha em baixa velocidade. O senhor na bicicleta tentou uma conversão de forma abrupta. Ele morreu porque bateu a cabeça no vidro dianteiro do carro”, conta o irmão do condutor do veículo, que não quis se identificar.

 

Segundo testemunhas no local, ao sair do carro, o médico vestiu o jaleco e ainda tentou prestar os primeiros socorros à vítima, que após breve análise concluiu que José Norberto teve morte instantânea.

 

“Ele também acionou o Samu, mas pedimos para ele sair por uma questão de segurança. Eu fiquei no lugar dele para prestar toda a assistência à família da vítima. De acordo com relatos, a vítima estava saindo de um bar”, revela o irmão do médico.

 

Uma equipe do Instituto Médico Legal chegou ao local por volta das 13:48h. Os familiares do ciclista estão muito abalados e chegaram a acender velas próximo ao corpo.

 

Outro acidente

Na manha de hoje outro acidente grave foi registrado só que na avenida Noé Mendes, Renascença, zona Sudeste de Teresina, dessa vez sem vítima fatal. Um militar identificado apenas com “Brasil” é acusado de conduzir um veículo e atropelar moto estacionada.

 

“Minha sorte é que eu não estava na moto. Eu tinha descido para comprar um cheiro-verde numa banca. Se eu tivesse lá eu tinha morrido. Para mim, ele estava visivelmente embriagado”, conta Willian Farias, dono da motocicleta atingida.

 

O policial foi preso e encaminhado para o 8º Batalhão de Polícia Militar. “Ele será enquadrado e vai sofrer as penas da lei”, revela o tenente Oliveira do 8º BPM. A reação do policial foi filmada por populares, com aparelhos de celular.


Cidade verde