Morreu vítima de acidente de trânsito no final da tarde desse domingo, 13, por volta das 17:30h, um homem identificado como Marcos Daniel Alves de Lima, 37 anos. Ele estava conduzindo uma motocicleta, na comunidade Pitombeira, em Agricolândia.

marcosdanielEle foi socorrido ainda com vida e encaminhado para o hospital de São Pedro do Piauí, e em seguida para o HUT, em Teresina, mas não resistiu aos ferimentos em veio a óbito. Marcos Daniel é da cidade de São Pedro.

De acordo com informações, Marcos Daniel se deslocava de Agricolândia para São Pedro em uma motocicleta modelo Honda/CG 125 FAN, quando ao passar pela comunidade Pitombeira, ainda por motivo desconhecido, ele perdeu o controle do veículo e se chocou contra um muro.

Marcos Daniel foi socorrido pela ambulância do município de Agricolândia e encaminhado para o Hospital Marcolino Barbosa Ribeiro, em São Pedro do Piauí, em seguida, ele foi transferido para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT), mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito pouco tempo depois de dar entrada na unidade de saúde.

Marcos Daniel era casado e deixa um filho.

Com informações do canal 121

Foto: reprodução whatsapp

Um policial está sendo acusado pela morte de uma criança durante um assalto, a manicure Dayane Gomes, mãe da menina Débora Vitória, de 6 anos, fez um desabafo nas redes sociais e é quem acusa o militar. O caso ocorreu na noite da última sexta-feira (11), durante uma tentativa de assalto no bairro Ilhotas, na zona Sul de Teresina. A primeira versão indicava que o tiro teria partido do suspeito que realizou a abordagem e foi preso no mesmo dia.

vitoria

"Tem muita gente aí dando versão que não é verdadeira [...] eu não reagi, a gente ia sair ilesa disso tudo, mas por irresponsabilidade de um policial que não tava preparado pra tá com uma arma na cintura, aconteceu tudo isso e minha filha não está mais aqui comigo por irresponsabilidade. Não é todo mundo que tem que tá com uma arma na cintura", disse a mãe.

Dayane- que também foi atingida na perna- diz ainda que o policial estava bêbado. Na versão dela, o criminoso exigiu o celular durante a abordagem e não teria esboçado intenção de atirar. "Ele [policial] estava bêbado. Ele [policial] bebe todos os dias na porta da casa dele e reagiu. Não pensou em mim, não pensou na minha filha, não pensou em quem estava na frente do bandido. Ele [policial] atirou, não mediu esforços para defender nem eu, nem minha filha. O bandido não ia atirar, não ia fazer nada com a gente porque eu entreguei o celular. Nem arma ele tinha na cintura, só mostrou. Eu entreguei o celular. Ele [policial] veio de lá e eu pedindo pra ele não atirar e ele [policial] atirou. O primeiro tiro foi da arma dele [policial] e imediatamente atingiu minha filha. O primeiro tiro foi dele, veio dele. Foi ele [policial] quem matou minha filha. Ele tava bebendo na porta e veio querendo se amostrar, pra dizer que era policial e que estava armado e atirou na minha filha. Foi ele quem atirou na minha filha", disse a mãe.

Quase sem voz e ainda bastante abalada, Dayane Gomes ainda agradeceu as mensagens de conforto. Ela termina o vídeo em lágrimas.

"Nesse momento não tem como confortar. Tô destruída, tiraram um pedaço de mim muito grande. Não tem nem como ser confortada nesse momento. Agradeço desde já a todo mundo", disse a mãe.

Pelas redes sociais, ela- que é mãe solo e tem três filhos- está impossibilitada de trabalhar, devido ao abalo psicológico e o ferimento na perna, pede doações. A chave PIX é (86) 9 9503 5858 - Dayane Gomes de Sousa Dias

DHPP requisita exames

O coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) , Francisco Costa, o Baretta, diz que foram requisitados exames de local de crime e microcomparação balística para que o crime seja elucidado. "Desde quando o fato ocorreu começamos a investigar. Determinei que requisitassem esses exames e adotamos todas as medidas para dirimir as dúvidas e saber de onde partiu o projétil. Se foi do bandido ou do policial, vamos descobrir. Não podemos afirmar de onde partiu o tiro sem antes investigar. Investigação usa técnica. Independente das versões que apareceram, vamos chegar à verdade real. Lamentável a morte dessa criança", diz Baretta.

Segundo o coordenador foram designadas equipes de plantão para novas diligências no local de crime. A mãe e testemunhas já foram intimadas.

Com informações do cidadeverde

Uma das forças de segurança de Floriano que é a Força Tática, formada por profissionais com habilidades para situações de urgência e com alto teor de perigo, esteve no CEC, em  Floriano, nessa madrugada e após tudo o que houve, fez publicações se manifestando numa rede social.

O FT, como é conhecido, é uma força policial especializado em Operações Especiais com o comando do capitão PM Fabriciano, mas o Grupo é subordinado ao comando do 3º BPM. O que publicado numa rede social da FT, inclusive, as imagens das armas colhidas no local.

ft

 ft0

ft2

ft3

Da redação

O tenente-coronel Inaldo Barros, comandante do 3º BPM, em Floriano-PI, esteve nas diligências neste sábado, 12, que resultaram na apreensão de cerca de 11kg de uma substância análoga à cocaína e,  ainda cerca de 1kg de maconha.

inaldo

O comandante estava na companhia de vários policiais militares em várias viaturas e, foram num dos bairros na cidade onde, segundo as próprias autoridades, o tráfico de entorpecentes impera. A Operação se deu após um tiroteio nessa madrugada e, para muitas pessoas foi uma  madrugada de terror no Clube do CEC, onde uma pessoa (Júnior Lira) morreu e nove ficaram feridas por disparos de arma de fogo. Dois revolveres e uma pistola foram apreendidas no local, após o tumulto.

No bairro Guia, onde houve a apreensão das drogas, já houve uma operação, à época do coronel Lisandro Honório, como comandante do 3º Batalhão, onde um helicóptero foi usado, além de várias viaturas por terra no sentido de prender traficantes e  apreender drogas. O que coloca o tenente-coronel Inaldo Barros sobre a apreensão das drogas. 

Da redação