munizFoi encontrado morto na noite dessa terça-feira, 04, em uma área de matagal da cidade de José de Freitas, o funcionário da Assembleia Legislativa do Piauí, Miguel Ferreira Muniz, 65 anos.

Muniz, como era conhecido, estava desaparecido desde a última sexta-feira (31). Muito abalada, a filha dele, Shirley Simone, disse que o pai saiu de casa por volta das 7h da manhã, para igreja e em seguida foi até uma agência da Caixa Econômica. Depois não foi mais localizado.

“Tem uma história que ele sacou dinheiro na agência, mas isso não é confirmado. Sei que desde sexta ele estava desaparecido. O corpo foi achado próximo ao uma cerca. Estamos todos abalados”, disse Shirley.

O corpo foi encontrado em estado de decomposição e há suspeita de que Muniz tenha morrido de causas naturais. Exames serão feitos no Instituto Médico Legal.

Muniz era funcionário da Assembleia Legislativa há mais de 30 anos.   

 

cv

Foto: reprodução arquivo pessoal

Um dos assassinos do Major Mayron Moura Soares, Wallison Jhonantan Rodrigues de Sousa, fugiu da Colônia Agrícola Penal Major César para onde havia sido transferido por engano. Após ser julgado em setembro de 2017, Wallisson estava preso na Penitenciária de São Raimundo Nonato e teve pena regredida para o semiaberto, sendo transferido para a colônia penal no último dia 26 de maio.

Condenado a 33 anos por latrocínio juntamente com seu comparsa Iranilson Pereira dos Santos, Wallison Jonatas fugiu da Major César na sexta-feira (31), cinco dias após ser transferido para o semiaberto.

A família do major assassinado teve conhecimento do fato nesta segunda-feira (03) e aponta a falha administrativa na transferência do preso. “A Penitenciária de São Raimundo Nonato, irresponsavelmente, enviou o detento para a Major César, sem observar o sistema, pois existia o crime de latrocínio contra o mesmo”, denunciou o tenente Iran Moura, irmão do major Mayron.

A família da vítima alega que Wallisson teria sido transferido para o semiaberto após análise incorreta da pena. Apenas o crime de roubo, que ele respondia antes do latrocínio contra o PM, teria sido levado em consideração.

De acordo com o tenente Iran, a família vai solicitar abertura de inquérito na Polícia Civil “Exigimos da Secretaria de Justiça afastamento imediato dos responsáveis pela transferência”.

O irmão do major Mayron Moura lamenta o ocorrido e relata o sofrimento da família. “Sentimento de impunidade e de desorganização. Sentimento de ver que a administração penitenciária falha em especial de São Raimundo Nonato e na Major César”, disse o tenente Iran.

Antes de fugir do regime prisional, Wallisson teve redução de 10 anos na pena após apelação na 4ª Vara Criminal de Teresina.

O crime

O major esperava a filha na parada de ônibus – próximo à sua residência - quando foi abordado por dois homens em uma moto. Ele estava acompanhado do filho, que também foi alvo de um disparo, mas não chegou a acertar.

Em nota, a Secretaria Estadual de Justiça (Sejus), que gere as unidades prisionais do estado, informou que está apurando o motivo da transferência do detento para o regime semiaberto junto a Diretoria de Unidade de Administração Penitenciária.

Nota da Sejus

 A Secretaria de Justiça informa que, através da Diretoria de Unidade de Administração Penitenciária (DUAP), está apurando o motivo pelo qual foi realizada a transferência do detento Wallison Jhonantan Rodrigues de Sousa, acusado de latrocínio, para a Colônia Agrícola Major Cesar, unidade do regime semiaberto.

 

cv

caminhUm caminhão carregado com ração para animais tombou na BR 343 em Teresina. De acordo com a Polícia Militar (PM), a carreta vinha da direção da rodoviária no sentido do bairro Dirceu Arcoverde quando virou na curva do balão do conjunto Tancredo Neves, na Zona Sudeste da capital.

Durante o acidente a carga caiu sobre o acostamento da rodovia e algumas pessoas pegaram parte da mercadoria. Uma equipe do 8º Batalhão da PM conseguiu isolar a área e recuperar parte do que foi furtado.

O motorista do caminhão sofreu escoriações nas mãos, mas não precisou ser hospitalizado. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada para orientar o trânsito e fazer a perícia no local.

 

G1 PI

Foto: reprodução

arbitraDurante um torneio interno da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, campus Reis Velloso, em Parnaíba, nessa segunda-feira, 03, uma árbitra de futebol foi agredida a socos por um estudante. Eliete tentava conter uma confusão e aplicou três cartões vermelhos, expulsando três jogadores. No terceiro cartão, um deles deu uma sequência de socos até a árbitra cair ao chão.

O torneio era disputado por estudantes dos cursos de Ciências Contábeis e Engenharia de Pesca. O caso foi registrado por câmeras de celulares. O assunto foi um dos mais comentados no Twitter. Entre os comentários o da apresentadora Maisa Silva que escreveu: "Não acredito!!! Aonde vamos parar??????? eu espero que esse cara pague muito. que absurdo".

Imagens revelam como ficou o rosto de Eliete. O suspeito de agressão foi identificado Rodrigo Quixaba.

Por meio de áudio, o diretor da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, campus Reis Velloso, Alex Marinho, informou que o diretório acadêmico acompanhou a árbitra até à delegacia onde foi aberto um BO.

"Vai processar ele civilmente. Vamos montar uma sindicância para puni-lo também. O time que ele joga já foi desclassificado, retirado do campeonato", informou Marinho. A direção da universidade também publicou uma nota de repúdio.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO DELTA DO PARNAÍBA

CAMPUS MINISTRO REIS VELLOSO

A Direção do Campus Ministro Reis Velloso vem, por meio desta nota, tornar público o REPUDIO de toda e qualquer ameaça ou agressão ocorrida nas dependências do Campus.

Recentemente tivemos dois episódios lamentáveis, um de agressão durante atividades esportivas concordadas aos alunos e um outro episódio de ameaça à família de um professor do campus. Em ambos os casos serão aplicadas as normas regimentais assim como o Campus contribuirá com os órgãos de segurança e os procedimentos legais adotados em cada caso. Os processos de sindicância oficiais serão iniciados imediatamente para que sejam tomadas as providências legais. Será nomeada uma comissão para apuração administrativa, cooperando com os demais órgãos, também acionados, para elucidação do caso, seguindo os ritos da lei e os regramentos institucionais.

Sobre o ocorrido durante um evento esportivo entre estudantes nesta segunda-feira, esta Direção vem a público informar que, a partir de então, estão proibidas todas as atividades na quadra esportiva do Campus até a apuração do referido caso.

Desta forma, a Direção reitera seu compromisso com a integridade e o respeito entre os agentes da comunidade acadêmica e comunidade externa, norteando-se sempre pelos aspectos normativos desta Instituição de Ensino Superior, ao tempo que se solidariza com as vítimas e enseja o movimento contra todo tipo de violência. Manteremos a comunidade informada dos desdobramentos legais, dando toda transparência a investigação para os dois casos citados.

cv

Foto: Reprodução WhatsApp