• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma
cigarroFumar maconha é menos danoso ao pulmão do que consumir os cigarros tradicionais, de tabaco, segundo um estudo norte-americano publicado na terça-feira, 10, pela revista científica “Journal of the American Medical Association”.

A pesquisa usou uma base de dados de fumantes  de maconha e tabaco pelo período de 20 anos. Entre os que consumiram tabaco, houve redução da capacidade pulmonar. Já entre os fumantes de maconha, não houve perda; pelo contrário, o volume de ar que cabe nos pulmões aumentou um pouquinho.

Stefan Kertesz, autor do estudo, disse ao G1 que o consumo da maconha envolve mecanismos mais complexos, não só no corpo como um todo, mas também nos aspectos morais e culturais, e que seu trabalho não deve servir como uma defesa da droga.

“Não faz sentido olhar para o consumo da maconha apenas pelo ponto de vista do pulmão”, disse o pesquisador da Universidade do Alabama, em Birmingham.

Fumaça menos tóxica?

Kertesz explicou que o estudo foi feito com usuários leves e moderados, que consomem até 20 “baseados” por ano. “A maior parte das pessoas que fumam muita maconha também fuma tabaco”, argumentou o cientista.

Ele ressaltou também que a base de dados usada era de adultos saudáveis, e que, por isso, viciados acabaram sendo naturalmente excluídos. “Quem fuma muito também tem problemas sociais, como perder emprego, o que também afeta a saúde”, ponderou.

O fato de que o pulmão não foi afetado não significa que a fumaça da maconha seja benigna. “Claramente, há substâncias tóxicas na fumaça da maconha”, esclareceu Kertesz.

Uma diferença clara entre os que consomem as substâncias é a quantidade de cigarros. “O típico comportamento do fumante de tabaco significa mais fumaça para dentro do pulmão”, afirmou o pesquisador.

Estudo era aguardado

Marta Jezierski, diretora do Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), órgão ligado à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, diz que um estudo como esse já vinha sendo aguardado pelos especialistas.

Segundo ela, a ideia de que a maconha faz menos mal à saúde do que o cigarro circula como um mito. “Havia suspeitas, mas não havia um estudo que confirmasse”, disse a médica.

A verdade é que os dois fazem mal à saúde. A maconha pode provocar infertilidade, esquizofrenia, perda de memória e câncer de testículo. Já o tabaco aumenta o risco de quase todos os cânceres, em especial os do sistema respiratório, e também representa maior possibilidade de doenças cardiovasculares.


G1
refrigerantedolescenteAs mulheres que consomem diariamente bebidas a base de cola correm o risco de sofrer osteoporose. A conclusão é de uma pesquisa publicada na revista científica American Journal of Clinical Nutrition.

Doença comum nas mulheres que passaram da menopausa, a osteoporose enfraquece os ossos, fazendo-os quebrar mais facilmente.


No caso dos refrigerantes com cola, o responsável em descalcificar os ossos seria o ácido fosfórico, presente na bebida.


Segundo os pesquisadores, o ácido fosfórico cria uma acidez no sangue e, assim, o cálcio seria retirado dos ossos.


As mulheres analisadas no estudo tinham uma boa ingestão de cálcio e mesmo assim tiveram a densidade óssea atingida pela bebida.


R7
Preocupados com o elevado estresse da população dos centros urbanos, médicos americanos estão partindo para técnicas alternativas na intenção de melhorar a qualidade de vida de seus pacientes.

Um grupo de especialistas em psicologia e clínica geral desenvolveu itens que podem diminuir o estresse.
A doença do mundo moderno pode causar dores, depressão, problemas cognitivos e até problemas no coração.

Conheça as dicas dos especialistas americanos:

- Uma das sugestões dos médicos e escrever em uma página em branco o que tem levado a pessoa ao estresse. Acredita-se que ao colocar para fora o que incomoda a mente, a pessoa faz uma espécie de limpeza mental.

- Se o momento impede fazer uma viagem para um lugar paradisíaco, que o coloque em contato com a natureza, os especialistas recomendam a mentalização. A sugestão é visualizar uma praia. Nela, a sugestão é se imaginar caminhando na areia, molhando os pés na água e mergulhando no mar.

- Aquele soninho após as refeições também ajuda a diminuir o estresse. A famosa sesta não só relaxa o corpo e a mente como também ajuda manter a pressão baixa do sangue.

- A velha prática de terapias alternativas como yoga, meditação e tai chi chuan também são prescritas pelos médicos. O fundamental, ressaltam, é deixar o coração calmo.


Agência Estado
Hábitos saudáveis na alimentação são como escovar os dentes. Torna-se natural à medida que se pratica, garantem nutricionistas.

Para quem quer emagrecer e se alimentar corretamente sem o risco de ganhar peso, é preciso saber o que comer e qual a quantidade certa do alimento a ser ingerido.

Veja alguns exemplos:

Suco de laranja: evite o suco de laranja. Um único copo leva três frutas. O melhor é comer a fruta inteira com o bagaço. As fibras dão a sensação de saciedade.

Frutas secas: apesar de serem desidratadas, contêm o mesmo número de calorias das frutas frescas, que, por sua vez, saciam mais. Ao contrário do que se imagina damasco, ameixa seca e banana passa também engordam.

Torradas: seis torradas finas são iguais a meio pão francês e o último sacia mais.

Quando for abrir mão da dieta nos fins de semana, opte pelo equilíbrio. Procure comer o que quiser em poucas quantidades.



Agência Estado

Subcategorias