noitemaldormidaSe você dorme pouco, saiba que o hábito pode refletir negativamente na balança. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, quem não descansa o suficiente é mais propenso a optar por itens não-saudáveis, como doces e frituras, e ainda sentir mais prazer ao saboreá-los. Os dados são do jornal Daily Mail.



Para chegar a essa conclusão, os cientistas analisaram 25 homens e mulheres de peso normal. Ao longo de cinco noites, alguns deles puderam dormir por quatro horas, enquanto outros tinham permissão para ficar na cama por até nove horas. Depois, passaram pelo exame de ressonância magnética funcional enquanto olhavam para imagens de alimentos, como frutas, vegetais, pizzas, bolos e doces.



A equipe constatou que era mais provável que o centro de recompensa do cérebro se iluminasse em participantes que olhavam para guloseimas se fossem privados do sono normal. “A resposta a alimentos pouco saudáveis foi um padrão neuronal específico da restrição de sono”, disse a pesquisadora Marie-Pierre St-Onge.



“Os resultados sugerem que, sob sono restrito, as pessoas vão encontrar alimentos não-saudáveis como altamente notáveis e gratificante, o que pode levar a um maior consumo deles”, concluiu.



Ponto a Ponto ideias

equidadeemsaudenopiTem início nesta quinta-feira, 14, no Diferencial Buffet, bairro Ilhotas, em Teresina, o I Seminário Estadual sobre Promoção da Equidade em Saúde. O evento, que vai até sexta-feira, é inédito no Piauí e tem como objetivo promover um espaço de discussão e de apropriação dos direitos à saúde e mobilização em defesa do SUS. São esperados gestores e lideranças quilombolas, população negra, seguimento LGBT, terreiros, campo e floresta, de modo a construir um Plano de Ação Estadual para ser desenvolvido no quadriênio 2012-2015.

 

O Seminário será promovido por meio da Diretoria de Unidade de Vigilância e Atenção à Saúde (DUVAS) e Diretoria de Unidade de Planejamento (DUP). Serão dois dias de discussões, debates e trabalhos em grupo, envolvendo profissionais de vários órgãos, como o Ministério da Saúde (MS), a Sesapi, a Fundação Municipal de Saúde de Teresina (FMS), Fundação Nacional de Saúde (Funasa), Conselho Estadual de Saúde (CES/PI), Conselho de Secretários Municipal de Saúde (COSEMS/PI), além de Movimentos Sociais.

 

Além de representantes e técnicos de órgãos da esfera estadual e municipal, o evento trará especialistas de renome nacional para a apresentação de experiências exitosas no Brasil, sobre a equidade. Durante os dois dias de evento o público terá noções de estratégias que visam promover a redução das desigualdades étnico-raciais, além de combater a discriminação de grupos na sociedade e nas instituições e serviços do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Segundo a coordenadora estadual de Doenças Transmissíveis (DT), Karina Amorim, que está à frente da coordenação do Seminário, este encontro vai reforçar o esforço coletivo que a Sesapi, junto com o Ministério da Saúde vem colocando em prática para diminuir as desigualdades na área da saúde pública.

 

“O objetivo é informar sobre a demanda, sensibilizar os gestores municipais e estaduais sobre a importância dos serviços a serem oferecidos sem distinção para, a partir daí, obter, através dos trabalhos em grupos, novas propostas para formulação do plano estadual e, assim, garantir a equidade da saúde, seja da população negra ou de demais seguimentos”, finalizou.


Assessoria de Comunicação SESAPI

Os visitantes da Rio+20, Conferência das Nações Unidas Sobre Desenvolvimento Sustentável, que acontece no Rio de Janeiro de hoje até o dia 22 de junho, poderão conferir na Mostra de Inovação Tecnológica em Saúde as principais ações que contribuem para a prevenção, promoção e assistência à saúde pública no Brasil. Promovida pelo Ministério da Saúde em parceria com entidades ligadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), a mostra estará aberta aos participantes próxima à Praça Mauá.

 

“Por meio de vídeos, painéis, maquetes e atividades interativas, mostraremos como tem sido possível universalizar a saúde e construir, de forma inovadora e sustentável, um sistema que atende gratuitamente toda a nossa população”, explica Guilherme Franco Netto, diretor do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde.

 

O diretor lembra que o desenvolvimento sustentável impacta diretamente na prevenção e promoção da saúde. “Uma estrutura de produção e de consumo adequado garante a qualidade da água, do ar, do solo para produção de alimentos, por exemplo”.

 

Durante a mostra, serão exibidos os processos de produção de vacinas, de utilização de medicamentos fitoterápicos e de idealização do Programa Academia da Saúde, iniciativa do Governo Federal para promover hábitos saudáveis e estimular a promoção da saúde na população. Também serão apresentadas as redes de Atenção Básica e de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde.

 

Além das secretarias do Ministério da Saúde, o espaço contará com a exposição de ações de parceiros do SUS, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) e a Itaipu Binacional.

 

Saúde na Rio+20 – A Agenda 21, um dos instrumentos do desenvolvimento sustentável criado a partir da Conferência das Nações Unidas – Rio 92, estabeleceu um capítulo específico de proteção e a promoção da saúde humana. Dentre os compromissos firmados na Agenda 21 e alcançados pelo SUS está a cobertura universal do Programa Nacional de Imunização (PNI), possibilitando o controle e eliminação das principais doenças imunopreviníveis, tais como a pólio e o sarampo.

 

A expansão massiva da cobertura da atenção primária à saúde, que saltou de uma cobertura de 3% em 1992 para aproximadamente 63% em 2012 e a oferta universal de medicamentos considerados essenciais também foram algumas das conquistas, desde a criação do SUS. “Não há dúvidas que ao SUS deve ser creditada uma parcela significativa de contribuição à melhoria da qualidade de vida da população brasileira. Por isso, a Conferência Rio+20 deve ser encarada como mais uma oportunidade para ampliar a agenda de compromissos também do setor saúde”, avalia Franco Netto.


Portal da saúde

A campanha de vacinação em  Barão de Grajaú-MA atingiu a meta esperada,  foi o que informou a profissional em saúde Daniela Braglia, só está faltando agora as crianças que tem a segunda dose, mas ainda está dentro do prazo,  disse.
 

De acordo com Daniela, os idosos tiveram um pouco de resistência em relação a imunização, pois eles acham que vai fazer mal e  que terá alguma conseqüência, mas as crianças e gestantes compareceram em massa, frisou.
 

Para alcançar o objetivo desejado profissionais em saúde tiveram que fazer a  busca ativa principalmente na zona rural com as equipes indo até as casas onde haviam o foco da campanha que são as crianças. Os profissionais ja se apresentavam com as doses a serem aplicadas. No dia 16 já começa uma nova campanha que é contra Poliomielite, que se estende até o dia 07 de julho e segundo ela, as mães ou responsáveis devem levar as crianças menores de 5 anos, com cartão  para serem vacinadas .
 
 

De acordo com Daniela que esá na coordenação de imunização da Secretaria de Saúde, a expectativa é uma das melhores e há um  trabalho de divulgação que vem sendo feito, e se necessário for, novas buscas ativas serão feitas. "A equipe já passou por treinamento e está preparada para atuar em mais esse compromisso", concluiu. 


Da redação