O dia 29 de janeiro é o Dia Mundial de Combate a Hanseníase. No Piauí são diagnosticados por ano cerca de 1.500 novos casos de Hanseníase. A doença, caracterizada pelo aparecimento de manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou acastanhas com dormência na pele tem tratamento e alto índice de cura, mas a falta de informação ainda alimenta um grande preconceito na sociedade.


Para ajudar a vencer este preconceito a Secretaria Estadual da Assistência Social e Cidadania (SASC) está participando de diversas ações nesta semana de mobilização com o objetivo de orientar a população e profissionais de saúde sobre a importância do diagnóstico precoce. Nessa sexta-feira, 27, equipes da Sasc e Morhan realizam uma panfletagem na Cerâmica Cil, tirando dúvidas e prestando informações sobre a doença, contágio e tratamento.


De acordo com a Coordenadora do Comitê de Hanseníase da Diretoria de Direitos Humanos da Sasc, Lucimar Batista da Costa, o principal desafio ainda é o diagnóstico da doença. “Muitas pessoas preferem esconder os sintomas com medo do preconceito, o que dificulta o diagnóstico dos profissionais da saúde. Nossa proposta é investir em campanhas educativas e capacitação de profissionais, em especial agentes de saúde, para realizarem o diagnóstico o mais cedo possível”, diz.


Lucimar Batista destaca ainda que a hanseníase é uma doença que se não for tratada afeta os nervos periféricos do corpo, deixando seqüelas. “Também é importante destacar que após o inicio do tratamento a doença não é mais transmitida”, reforça.

 

 

CCom

O Comitê Municipal de Combate a Dengue se reuniu nesta quinta-feira, 26, para avaliar os dados sobre a doença no município e traçar estratégias para a campanha de combate e prevenção. A campanha será lançada oficialmente nesta segunda-feira (30/01) na praça Idelfonso Ramos, próximo ao Hospital Tibério Nunes com um mutirão de limpeza. O secretário municipal de Saúde, sanitarista Maurício Bezerra, acompanhou todas as discussões que contaram com participações de vários servidores e com  integrantes do Corpo de Bombeiros, além de representantes de outros órgãos considerados importantes nas ações.


Os dados apresentados na reunião mostram que só neste mês de janeiro são 11 casos confirmados e um aumento significativo do número de notificações de casos suspeitos. O índice de infestação predial no município é de 2,4%, considerado risco médio da doença. No Levantamento de Índice Rápido (LIRA) feito pela equipe de técnicos do município, os bairros Irapuá I, Irapuá II e São Cristóvão, apresentaram índice de 4%, alto risco de transmissão.

reuniaodengue
Na reunião foi apresentado o Plano de Prevenção de Epidemia de Dengue. Entre as estratégias e prioridades estão: Implementação de ações intersetoriais, envolvendo órgãos e entidades; aplicar normas de conduta regulamentadas no código de postura do município, notificando os proprietários de terrenos baldios, priorizando bairros com maior reuniaodengue0aglomeração, com maior índice de infestação e registro de casos; realizar capinas e roço de vias públicas e terrenos baldios com maior aglomeração, com maior índice de infestação e registro de casos; agilizar a coleta do entulho proveniente da capina ou mesmo de terceiros; distribuição de panfletos educativos e realização de palestras e orientações, entre outras.

 


No dia-a-dia, o município já vem desenvolvendo ações de combate e prevenção. Uma dessas ações é o trabalho de borrifação com carro fumacê que começou na última terça-feira (24/01) pelos bairros Manguinha, Sambaíba Velha, Irapuá I e São Cristóvão, além do bloqueio de casos e controle do foco gerador.

 

 

SECOM



Há pouco mais de um mês o município de Floriano-PI teve a realização de uma cirurgia que ainda não tinha sido realizada por meio de vídeo, e sim, somente de forma que o paciente tinha que ser aberto. A informação é do cirurgião geral Marlon Moreno.


 A imprensa só teve conhecimento agora, após mais de trinta dias, porque os profissionais que realizaram os procedimentos cirúrgicos estavam aguardando a boa recuperação do paciente. A informação foi repassada com exclusividade ao portal piauinoticias.com pelo profissional em saúde que comandou todo o processo, cirurgião geral e especialista em vídeo cirurgia, Marlon Moreno (foto), que visitou a redação do portal na tarde dessa quinta-feira, 26, e disse que a cirurgia foi de cardiomiotomia.

marlonmoreno
A cirurgia foi feita com todo acompanhamento por meio de vídeo e o médico florianense Marlon  esteve sendo auxiliado pelos profissionais em saúde Bigman Barbosa (cirurgião geral e urologista) e a enfermeira Débora Atem. Ele disse que o procedimento foi feito no Hospital João Paulo II, bairro Manguinha, órgão em saúde que segundo ele dispõe de equipamentos modernos.

 

SAIBA SOBRE A CARDIOMIOTOMIA


A cardiomiotomia à Heller por videolaparoscopia é opção para tratamento do megaesôfago e apresenta bons resultados, com melhora importante da sintomatologia mesmo a longo prazo. Entretanto, observa-se que o procedimento esteve associado, inicialmente, a considerável morbidade, possivelmente devido à curva de aprendizado. O objetivo do presente estudo é relatar complicação pós-operatória da cardiomiotomia à Heller laparoscópica.

 

RELATO DO CASO

Paciente masculino, 41 anos, com disfagia progressiva há 15 anos, e diagnóstico pré-operatório de megaesôfago não avançado. Foi submetido a cardiomiotomia à Heller com fundoplicatura parcial por via videolaparoscópica, sem intercorrência perioperatória, e recebeu alta no 2º dia após a operação. No 10º dia pós-operatório apresentou melena e foi submetido a endoscopia digestiva alta, que evidenciou extensa úlcera na transição esofagogástrica, com cerca de 6cm de extensão. Não havia sangramento ativo e optou-se pelo tratamento conservador. No 13º dia pós-operatório apresentou volumosa hematêmese, que não respondeu ao tratamento clínico. Foi submetido a laparotomia exploradora observando-se necrose da mucosa esofágica na extensão da miotomia. Identificada artéria na parede gástrica, próximo ao vértice da miotomia, que apresentava sangramento ativo. Procedeu-se à hemostasia e à cardioplastia à Thal. Houve boa evolução pós-operatória, com alta no 10º dia após a reoperação.

 
DISCUSSÃO

A cardiomiotomia à Heller por laparoscopia é procedimento recente e com bons resultados. As complicações são raras quando em mãos experientes e as mais observadas são a perfuração da mucosa esofágica e pneumonia. O sangramento gastroesofágico também é complicação já relatada, ocorrida duas semanas após a operação em úlcera imediatamente acima da junção gastroesofágica, porém sem a necessidade de tratamento cirúrgico4.

 


No presente estudo, o paciente apresentou quadro semelhante de hemorragia digestiva alta após 10 dias da operação. Entretanto, a hemorragia não respondeu ao tratamento clínico e o paciente foi reoperado, agora por laparotomia. O achado cirúrgico à macroscopia foi de necrose da mucosa na área da miotomia, seguido de lesão de artéria da parede gástrica, possilvemte por ação das enzimas gástricas.

 


Outra possível explicação para a complicação observada seria a realização da miotomia na porção gástrica muito próxima à pequena curvatura, provavelmente por exposição insuficiente da junção esofagogástrica durante a videolaparoscopia, atingindo ramos esofágicos da artéria gástrica esquerda (Figura 1). Isto poderia explicar, em parte, a necrose da mucosa esofagogástrica, e a exposição dos vasos da parede gástrica às enzimas do estômago.

cardiomiotomia
A fundoplicatura íntegra diminuiu a morbidade da complicação pós-operatória no presente caso, e a reoperação pela técnica de Thal proporcionou bons resultados, mesmo sendo realizada em condições adversas. Não foram encontrados na literatura casos de complicações semelhantes.

 

Com informaçoes do scielo

Colégio Brasileiro de Cirurgiões

 

chicoanysiointernadoNa tarde dessa quinta-feira, dia 26, a assessoria de imprensa do Hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, emitiu um novo boletim médico sobre o estado de saúde de Chico Anysio. Segundo informações, o ator apresentou um quadro de febre, que já está sendo investigado pela equipe médica.

 

 

 

O humorista continua em estado grave, sedado, respirando com a ajuda de aparelhos.

 

 

 

Veja abaixo o boletim médico, divulgado ontem na íntegra:

 

 

 

"Francisco Anysio Paula Filho permanece internado no CTI do Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

 

 

 

O médico Luiz Alfredo Lamy, depois de visita hoje, 26.01.12, destaca que estado clínico do paciente ainda é grave e inspira cuidados. Um quadro de febre foi diagnosticado e já está sendo investigado. O paciente continua fazendo diálise em algumas horas do dia, permanece sedado, respira com ajuda de aparelhos e, por enquanto, não há previsão de redução do medicamento que está controlando a pressão arterial. Não há previsão de alta.

 

 

 

Luiz Alfredo Lamy

 

Clínico Geral Intensivista".


Band.com.br