A delegacia que defende os direitos da mulher que tem um local reservado no prédio da Central de Flagrantes, centro de Floriano, pode funcionar em breve.



A informação foi repassada pelo Jailson Sá, que está como procurador da União das Mulheres Florianenses, entidade que é presidida pela dona Sonhia Sá.
jailsonsa


Quando esteve na redação do piauinoticias.com nesta  manhã  de terça-feira, 17, Jailson mostrou documentos que segundo ele, comprovam a confirmação de uma delegada que afirmou ser designada em pelo menos 30 dias pela Secretaria de Segurança.

O oficio de nº 01/2012, datada de 8 março em nome da AUMF teria sido enviado ao Secretário de  Segurança Pública do Estado do Piauí, Robert Rios Magalhães, solicitando a delegada e citando, “ Tenho a honra de cumprimentar  V. Exa. Ao tempo em que encaminhamos o abaixo-assinado solicitando a delegacia da mulher para o município já que a mesma se encontra ociosa”. O conteúdo do oficio é de um abaixo assinado e no  anexo existem mais de 200 assinaturas.

No ofício o Jailson está como procurador nomeado pela presidente da Associação União das Mulheres Florianenses (AUMF), a senhora Sonhia Sá, que é sua mãe. O procurador da Associação disse que a confirmação do envio de uma delegada teria sido feita pelo Subsecretário de Segurança do Estado, Raimundo Leite.

“Reivindicações dessa mesma natureza estão tramitando  no Conselho de Segurança da referida secretaria e outros municípios devem ser beneficiados”, esclareceu Jailson.
Da redação
IMAGEM: piauinoticias.com

Após o desembargador Raimundo Nonato da Costa Araújo garantir a legalidade da greve dos médicos, o governador do Piauí, Wilson Martins (PSB), afirmou que já está trabalhando para solucionar a questão junto à Procuradoria do Estado. "Nossa Procuradoria já trabalha junto a essa questão dos médicos. Hoje, um médico no Piauí ganha o quinto maior salário do Brasil. Para melhorarmos e podermos dar o aumento à classe é necessário muito planejamento", destacou o governador.

 

A preocupação de Wilson Martins se dá pela iminência do retorno da paralisação da categoria, assunto que será definido em assembleia na noite desta terça-feira, 17, na sede do sindicato.

 

"Na verdade o nosso movimento nunca foi decretado ilegal, apenas foi determinada a suspensão e nós acatamos. Agora vamos nos reunir e decidir se a paralisação vai voltar ou não, mas é provável que volte", disse a presidente do sindicato dos Médicos, Lúcia Santos.

 

A médica ressaltou que o governador não entrou em contato com a categoria após a nova decisão judicial. "O que ele pediu antes foi que nós esperássemos para discutir o assunto em outro período, mas já nos flexibilizamos o máximo que podíamos", finalizou Lúcia.


Cidade verde

edsonO ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse hoje, 17, que o governo está preocupado com a demora na aprovação das regras para divisão dos royalties do petróleo pelo Congresso Nacional.

“[O governo] está preocupado, está desejoso de que ande depressa porque nós precisamos promover novas rodadas de licitação e, no caso do pré-sal, serão as primeiras no regime de partilha”, disse ao participar de audiência pública no Senado.

A expectativa do governo é que a definição sobre a distribuição dos royalties do petróleo ocorra ainda este ano. A matéria aguarda votação na Câmara. A ideia é começar as licitações para exploração assim que a proposta for aprovada pelos parlamentares.

O ministro disse também que o Código de Mineração está praticamente pronto para ser enviado ao Congresso. “Ele está hoje no Palácio do Planalto. Será enviado seguramente ao Congresso neste primeiro semestre, mas quanto à votação este ano, eu não sei”, disse.

O Código de Mineração poderá trazer alterações quanto aos royalties cobrados na atividade, além de limitações à atividade, que não poderá mais ser exercida por pessoa física



Ascom




liziecoeloTodos os deputados federais e senadores do Estado devem comparecer à Assembleia Legislativa do Piauí nos próximos dias para discutirem a formulação de um conjunto de ações concretas para amenizar a situação dos municípios que decretaram emergência devido à estiagem no Piauí.


Esse foi o resultado da audiência pública realizada na tarde dessa segunda-feira, 16, na Alepi e que discutiu a suspensão do repasse do Seguro Safra a 35 dos 38 municípios piauienses que decretaram situação de emergência.


A deputada estadual Liziê Coelho (PTB) afirmou que é preciso desviar o eixo de decisão sobre o pagamento do Seguro Safra do Governo Federal para as autoridades estaduais.


"Só assim conseguiremos acabar com decisões que se baseiam em relatórios frios e distantes da realidade do homem do campo. As prefeituras e os agricultores fizeram a sua parte, mas foram prejudicados pelos critérios utilizados pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário para liberar o recurso", declarou.


A pedido dos outros deputados que estavam presentes na audiência, a deputada irá convocar outra reunião para discutir somente o tema seca no Estado, sem a discussão sobre o Seguro Safra. "Os debates foram tão profundos que resolvemos prolongá-los para proporcionar uma maior participação de todos.


Nesse próximo encontro, esperamos a maior presença da bancada federal e do Governo Federal", declarou. Segundo a parlamentar, a situação no interior do Estado tem se agravado e os agricultores estão vendendo suas criações para que os animais não morram de fome.



Sávia Barreto

Subcategorias