wilsonmartinsO governador Wilson Martins participa nesta segunda-feira, 23, de uma reunião com a presidenta Dilma Rousseff para tratar sobre a seca que assola o Estado. O encontro acontece em Aracaju - SE, e contará com a presença dos demais governadores do Nordeste e de ministros de áreas ligadas ao tema, como Ministério da Integração Nacional (MI) e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Piauí, 83 municípios já decretaram situação de emergência por conta da estiagem.


“Conversei no início da semana com os governadores de Pernambuco, Eduardo Campos, e do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini, sobre a possibilidade de termos um encontro com a presidenta Dilma para tratar sobre ações para redução dos prejuízos da maior seca que já tivemos”, disse o governador Wilson Martins, demonstrando preocupação também com a execução de ações de médio prazo para evitar complicações subsequentes relacionadas ao clima. “O ano que sucede um ano de seca, é sempre pior”, destacou.


O Governo Federal, através do Ministério da Integração Nacional, aprovou plano no valor de R$ 15 milhões para execução de medidas emergenciais contra a seca no Piauí, como a aquisição de cestas básicas, carros-pipa, gás de cozinha e ração animal. Um plano de médio prazo, orçado em R$ 30 milhões, está sendo analisado pelo MI para a execução de obras voltadas para a segurança hídrica, como barraginhas e pequenas adutoras.


Durante a reunião de governadores, além de um  fazer relato sobre a rigidez da estiagem no Piauí, afetando cerca de 150 municípios, Wilson Martins deve reforçar o pedido de antecipação do pagamento do Seguro Garantia Safra para os produtores rurais que tiveram perdas por conta da estiagem. A solicitação já foi feita pelo governador ao MDA.



Governo do Estado

Os negócios na área de vendas de motocicletas não foram como esperado nos primeiros dois meses do ano de 2012 em manoelnobregaFloriano-PI, foi o que revelou numa entrevista ao piauinoticias.com o empresário Manoel  Nóbrega que administra a Cajueiro Motos, uma das concessionária desse tipo de veículo na cidade.
 
 

A entrevista foi cedida na quarta-feira, 18. “Os meses de janeiro e fevereiro não foram tão favoráveis, pois a economia deu uma pequena parada, contudo, estamos otimistas e o segundo semestre promete muito”, disse ele.
 
 


De acordo com o empresário o carro chefe do seu negocio é o Consórcio Nacional Honda, “Os bancos se afastaram um pouco do crédito para o nosso público, mas a gente vem trabalhando e se esforçando com o nosso Consórcio Nacional juntamente com o Banco Honda para poder gerar esse sonho dos nossos clientes que é de dar crédito para ele poder pegar o bem”, disse.
 
 
 

 Manoel Nóbrega afirmou que dois novos modelos de veículos estão certos de serem lançados no mês de junho, mas falta a confirmação da empresa distribuidora.
 
 
 
Da redação
IMAGEM: piauinoticias.com
produtorO Governo do Estado do Piauí solicitou ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) a antecipação da liberação do Seguro Safra aos agricultores piauienses atingidos pela seca. A iniciativa visa atender a população que sofrerá os efeitos da estiagem deste ano que deve ser a maior em décadas a atingir o Piauí.


O secretário do Desenvolvimento Rural, Rubem Martins, informou que a antecipação já foi solicitada e que 159 municípios estão cadastrados no programa. "Os prefeitos destas cidades precisam quitar os débitos para que o recurso seja liberado", afirma.


“Após o pagamento do débito a prefeitura deverá comunicar ao MDA a quitação para que o técnico possa fazer o levantamento da situação. O técnico confronta os dados da prefeitura com o do IBGE e do Instituto de Meteorologia e coloca no sistema para a liberação do seguro”, explica Pedro Calixto, superintendente do MDA.


De acordo com o secretário, o Governo do Estado, prevendo a gravidade da seca, quer antecipar para junho o Seguro Safra, que tinha previsão para ser liberado a partir de dezembro. "É um pleito do próprio governador Wilson Martins e há uma grande probabilidade de dar certo.



Governo do Estado

Durante mais de duas horas, o presidente da Eletrobrás Distribuidora do Piauí, Marcos Madureira, debateu com os deputados as ações do programa Luz para Todos no Estado. Os deputados que fizeram perguntas foram os seguintes: Antônio Uchoa, Evaldo Gomes, Rejane Dias, Fábio Novo, Odival Andrade, Flora Izabel, Belê Medeiros, João de Deus e Lisiê Coelho. João de Deus foi o autor do requerimento solicitando a audiência.

 

Uma das questões mais polêmicas foi o cancelamento de contratos com empresas que trabalham para o programa e a abertura de novas licitações. Na visão da maioria dos deputados, isso concorre para atrasar o programa. A qualidade da energia, a construção de novas barragens no rio Parnaíba, a demora na substituição de transformadores que se queimam no interior e o atraso das obras na região de Piripiri foram outras questões de destaque.

 


Situações como a existência de postes de madeira, no município de Luzilândia e poste de concreto no centro de uma praça, deixando vazar corrente, sujeito a matar crianças, também foram levantadas. Sobre a demora na substituição dos transformadores, o presidente da Eletrobrás Distribuidora no Piauí disse que só tinha a pedir desculpas, pois não há justificativa.


Ele afirmou ainda que haja dificuldades em obter transformadores, mas que está chegando boa quantidade solicitada de Manaus. Informou que no tocante à qualidade da energia, tudo depende da natureza da demanda. No caso das indústrias que pretendem se instalar no Piauí é necessário que elas informem a previsão de consumo.


Uma pergunta específica foi sobre a Suzano, fábrica de celulose que se instala no Piauí. O presidente da Eletrobrás informou que a mesma vai depender de energia da Eletrobrás apenas no início, pois ela mesma será geradora de energia. Essa questão foi levantada por mais de um deputado, assim como a situação das gambiarras.


O presidente disse que o programa das gambiarras está em andamento, num convênio com o governo do Estado. Sobre os débitos dos grandes consumidores, como a Agespisa e outros, questão levantada pela deputada Flora Izabel, o presidente da Eletrobrás informou que houve negociação com a Agespisa e o pagamento está em dia. O débito antigo está dependendo de decisão judicial. Sobre negociações, ele disse que foi a melhor saída encontrada pela Eletrobrás, pois havia muitos devedores que entravam com ações na Justiça, só para protelar a quitação.


Os deputados foram unânimes em agradecer a presteza do presidente da Eletrobrás, que respondeu satisfatoriamente a todas as indagações. Ele disse esperar que todas as etapas do Luz Para Todos no Piauí sejam concluída antes do prazo estabelecido pelo governo federal (2014).

 

Uma curiosidade nas respostas do presidente da Eletrobrás: O Piauí não está necessitando de novas barragens para no rio Parnaíba para gerar energia, pois o que está sendo gerado é suficiente, sem contar com as usinas eólicas, que deverão se estender do litoral para a região central.



Alepi

Subcategorias