Alunos e servidores do Instituto Federal do Piauí (IFPI) possuem, por tempo limitado, um desconto 30% na inscrição do teste TOEFL ITP de proficiência em língua inglesa na modalidade remota. As inscrições com o desconto já estão abertas e acontecem até o dia 17 de julho através do e-mail da Mastertest.

O exame é o mais utilizado no meio acadêmico e aceito em mais de 2500 instituições em todo mundo. Também é utilizado por escolas de idiomas e programas de internacionalização educacional. O assessor de Relações Internacionais, Israel Noletto, acrescenta que o teste é pré-requisito para quem pretende participar de programas de intercâmbio acadêmico em nível de graduação ou pós-graduação, inclusive o edital Fulbright vigente, além do que, ele possibilita que o estudante possa monitorar sua evolução no idioma.

O teste de proficiência em língua inglesa, TOEFL, trata-se de uma aplicação prática, sem custos extras de correio e que supre a necessidade deste momento. “Enfatizamos que esta chamada não tem relação com o curso preparatório para o TOEIC, outro teste de proficiência que avalia o nível de inglês do candidato apenas até o low-intermediate”, explica Noletto. Ele acrescenta que, além disso, não há qualquer impedimento em participar das duas chamadas.

Os interessados devem inscrever-se através do e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., enviando o formulário de inscrição, após ter lido as instruções cuidadosamente. Também é possível consultar prováveis datas para agendamento. Após envio da ficha de inscrição para o e-mail indicado, um link será enviado para a realização do agendamento. Dúvidas podem ser encaminhadas diretamente para o e-mail da Mastertest.

 

Ifpi

O ensino EAD vem ganhando espaço com o passar dos anos

educdistanciaA Educação a Distância (EAD) é uma modalidade de ensino que vem ganhando cada vez mais espaço entre os estudantes, isso porque esse método de ensino permite a flexibilidade do aluno na escolha dos seus horários, além de promover o aprendizado em um ambiente totalmente on-line. O contato com o conteúdo do curso, com os professores e coordenadores é realizado pela plataforma virtual bem como os fóruns para a comunicação com os outros estudantes.

Em alguns casos, as provas, exames e estágios são realizados presencialmente, e a frequência desses encontros presenciais varia de acordo com o curso, podendo ser mensal ou semestral.

Miriam dos Santos Lopes, 37, é formada em pedagogia a distância e confessa que um dos seus medos em relação à formação on-line era sofrer algum preconceito com o seu diploma, o que não aconteceu, como ela esclarece.  “Pensava que ninguém ia querer me contratar porque minha formação era EAD, mas bastou pegar meu diploma para que muitas portas se abrissem na minha área”.

A pedagoga optou pela modalidade EAD para conseguir conciliar as demandas de trabalho, do lar e os cuidados com o filho pequeno. Assim, ela pôde estudar e, ao mesmo tempo, estar próximo da família. "Valeu muito à pena. Hoje estou trabalhando na área dando aula para turmas de Ensino Fundamental”, destaca.

Entre as vantagens do ensino a distância estão a flexibilidade e economia de tempo com deslocamentos. Quem deseja fazer um curso EAD encontra diversas possibilidades como o ensino técnico, graduação, pós-graduação e cursos livres.

Se você já sabe qual tipo de curso quer fazer (tecnológico, bacharelado, licenciatura, especialização ou pós-graduação), o próximo passo é escolher a faculdade que ofereça o curso na modalidade EAD, o que precisa ser avaliado com muito cuidado. Para isso, separamos três dicas para te ajudar, confira:

  1. Pesquise sobre o curso

Antes de matricular-se, conheça o conteúdo programático, a distribuição das matérias e o que cada uma delas vai abordar durante o curso. Pesquise, também, sobre o corpo docente e, se possível, a quantidade de professores e suas especialidades. Nesse processo de pesquisa, é importante conhecer o polo presencial da instituição no EAD. A localização e infraestrutura podem fazer a diferença.

  1. Veja se a faculdade é credenciada ao MEC

É fundamental escolher uma instituição de ensino superior credenciada ao Ministério da Educação. Esse tipo de credenciamento fornece segurança sobre o conteúdo do curso e para a validação do seu diploma. Para saber se a faculdade está ou não vinculada ao MEC, basta fazer uma consulta on-line, digitando os dados da instituição no site http://emec.mec.gov.br/. 

  1. Avalie o material didático

O EAD não requer a presença do aluno todos os dias na sala de aula. Esse cenário é substituído pela dinâmica de adequação do conteúdo ao ritmo individual de produção e estudo. Por isso, é fundamental que o conteúdo ofertado pela faculdade seja qualificado e que se adeque ao processo de ensino-aprendizado. 

Outra dica importante é buscar conhecer o ambiente virtual de aprendizagem (AVA) das faculdades, já que é essa plataforma que vai gerenciar a rotina do aluno no caminho até o diploma. O que se espera é que o AVA seja funcional e incentive os alunos ao estudo.

 

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

O Ministério da Educação tornou sem efeito a Portaria nº 545/2020, publicada no último dia 18, que revogava a Portaria nº 13/2016, que estabelecia a necessidade de criação, naquele ano, de políticas afirmativas nos cursos de pós-graduação. A Portaria nº 559/2020 , que torna sem efeito o ato da semana passada, foi publicada hoje (23) no Diário Oficial da União.

A portaria de 2016 estabelecia, que, em um prazo de 90 dias, as instituições federais de ensino superior deveriam apresentar propostas sobre inclusão de negros, indígenas e pessoas com deficiência em seus programas de pós-graduação (mestrado, mestrado profissional e doutorado), como políticas de ações afirmativas.

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Ministério Público Federal (MPF), no Rio de Janeiro, estava apurando a legalidade da revogação da medida. Com o ato de hoje, a portaria volta a vigorar.

Questionado, o Ministério da Educação informou que a Portaria nº 13/2016 “foi revogada com base no Artigo 8º, do Decreto nº 10.139/2019”, que obriga a anulação de normas “cujos efeitos tenham se exaurido no tempo”. Em nota, a pasta acrescentou que a Lei nº 12.711/2012, em vigor, prevê a concessão de cotas e ações afirmativas exclusivamente para cursos de graduação.

Agência Brasil