O isolamento e suspensão das aulas presenciais impulsionam o ensino a distância

adistanciaEm uma projeção da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), em 2023, mais alunos se matricularão em cursos da modalidade de Educação a Distância do que nos presenciais. O aumento na procura por EAD é crescente, como aponta o Censo da Educação Superior, realizado pelo Inep/MEC. Segundo a pesquisa, em 2018 houve, pela primeira vez na série histórica, mais vagas ofertadas a distância (7,1 milhões) do que em cursos presenciais (6,3 milhões).

A tendência dessa procura pelo ensino a distância pode ser mais fortalecida por conta do momento de pandemia que o País enfrenta, com instituições de ensino e estudantes precisando se adaptar, às pressas, à Educação A Distância (EAD), desde que a portaria excepcional do Ministério da Educação (MEC) permitiu o ensino virtual, para não comprometer o cronograma escolar no período de isolamento social e quarentena do coronavírus.

No último dia 18 de março, o MEC publicou a Portaria nº 343, que autoriza “em caráter excepcional” a substituição de aulas presenciais por aulas do modelo educação a distância (EAD). Por isso, mesmo as instituições mais tradicionais e resistentes a EAD aderiram à modalidade para garantir o cumprimento dos duzentos dias letivos exigidos em lei.

Pelo computador ou dispositivo móvel, alunos têm acesso a vídeos, apresentações explicativas de slides, respostas de dúvidas por e-mail e até aula on-line ao vivo. Essa novidade reforça a importância da Educação A Distância, modalidade que também é escolha daqueles que almejam se qualificar no período de isolamento.

A mestre em Educação e Contemporaneidade, pela Universidade do Estado da Bahia (Uneb), Cíntia Dantas, 31, está no 4º semestre de Pedagogia EAD, na Uninassau, e destaca que um dos maiores desafios de quem estuda por EAD é manter a disciplina. “É preciso ficar atento ao comportamento pessoal para não cair na armadilha de se atrapalhar com os estudos. Tem que ter muita disciplina porque o fato de ter o tempo que quiser para fazer as atividades, às vezes, atrapalha porque você vai deixando para a última hora”, alerta.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Com o final de mais um período letivo, os alunos da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) avaliam o rendimento dos professores através do AlunoOnline. Esse processo, que é acompanhado de perto pela Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD) serve para o professor está ciente do que pode ser melhorado em sala de aula.

Além da supervisão da Avaliação do Estágio Probatório, a Comissão atua no afastamento do professor para qualificação a nível de mestrado; doutorado e pós-doutorado; assim como alteração de regime de trabalho; licença sabática e prêmio, progressão funcional e pontuação.

Segundo um dos docentes membros da Comissão, Pedro Bispo de Miranda Filho, apesar de ser uma avaliação subjetiva, o Estágio Probatório serve para o docente fazer uma análise sobre seu processo didático pedagógico.

“A CPPD funciona como orientadora de todos aqueles que nos procura e, principalmente, aos docentes que desejam organizar as atividades desenvolvidas no âmbito da UESPI, especialmente nos projetos de extensão e pesquisa”, finalizou o docente de Química, Pedro Bispo de Miranda Filho.

 

Uespi

 

 

A Universidade Federal do Piauí (UFPI), por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Inovação (PROPESQI), realiza o chamamento a toda a comunidade acadêmica da universidade, em caráter de URGÊNCIA, para contribuir com a produção de projeções e propostas científicas para questões relativas à pandemia do Covid-19, até 10 de abril de 2020, com o objetivo de colaborar com conhecimento acadêmico para qualificação das políticas públicas de contenção do vírus, que estão sendo adotadas no Brasil, segundo manifestação da Procuradoria da República no Município de Campinas, relatada no Ofício Circular nº 1/2020.

Eventuais dúvidas poderão ser encaminhadas ao e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou ao celular (19) 98103-0415 (WhatsApp).

 

Ufpi

ginasio

A Administração Superior da UFPI e o Comitê Gestor de Crise (CGC), após visita do prefeito de Teresina Firmino Filho e da equipe técnica da Fundação Municipal de Saúde às instalações do Ginásio de Badminton nesta sexta (27), irá oficializar a cessão do espaço para ser utilizado como Hospital de Campanha. A proposta é colaborar com o reforço da rede emergencial de atendimento que a Prefeitura de Teresina está implantando para tratar pacientes diagnosticados com a Covid-19.


Na visita do Prefeito e da FMS ao Ginásio, estiveram presentes os pró-reitores de Planejamento, Prof. André Macedo; e de Administração, Lucas Lopes; o coordenador de Esporte e Cultura da PREXC, Prof. Sérgio Galan e a Prefeita Universitária, Gabriela Celso.


Ainda esta semana, a Universidade irá preparar o termo de cessão de uso gratuito para formalizar a disponibilização do Ginásio por tempo indefinido, enquanto durar a situação emergencial por leitos, para acolher pacientes da Covid-19 na capital. Já a partir deste sábado (28), a Prefeitura de Teresina inicia a limpeza do entorno e a abertura dos acessos ao Complexo, que fica localizado no Setor de Esportes da UFPI. Equipes da prefeitura também ficaram responsáveis em prover a ligação externa de energia elétrica do prédio e a execução da infraestrutura externa do sistema de ar-condicionado.


Conforme o presidente da Fundação de Saúde (FMS), Manoel Moura Neto, o uso da Ginásio tornaria possível a instalação de cerca de 80 leitos para atender casos de baixa e média complexidade decorrentes da Covid-19. Outros possíveis locais para serem usados com Hospital de Campanha também estão sendo visitados pelo Prefeito Firmino Filho e equipes da FMS. “Esta é mais uma medida para estruturar a rede. A experiência com outros países e os números nos mostram que pode haver um aumento de casos e devemos estar preparados”, disse Neto.O Prefeito de Teresina disse durante a visita que contar com apoio de instituições parceiras é importante para fortalecer as estratégicas de combate à pandemia na capital. “Esse local sedia os treinos do esporte que tem destacado o Piauí no mundo e tem uma estrutura nova, moderna, para que possamos montar o Hospital de Campanha e enfrentar essa crise do Coronavírus. Essa ação, proposta pelo reitor José Arimatéia Dantas, é um gesto solidário. As condições estruturais são ideais. A FMS está estudando qual é a melhor alternativa”, declarou .

O pró-reitor de Planejamento da UFPI, Prof. André Macedo, ressaltou que o comitê gestor de crise da Universidade já havia decidido ceder a estrutura para o combate à Covid-19. “Há ainda a possibilidade de ajudarmos com uma ambulância da UFPI e com outros equipamentos necessários. A Universidade também é solidária no combate a essa pandemia”.

A expectativa é que até quinta-feira (02/04) o espaço do Ginásio de Badminton esteja completamente liberado para receber as equipes da Prefeitura.
Reitor da UFPI, Prof. José Arimatéia Dantas Lopes - Foto: Arquivo CSC/UFPI

“Esta é mais uma ação importante, de impacto, da Universidade Federal do Piauí, no sentido de colaborar com as instituições públicas de saúde e com os governos Municipal e Estadual, no enfrentamento dessa crise provocada pela disseminação da COVID-19. É a UFPI se unindo à sociedade piauiense nessa corrente solidária em defesa da VIDA!”, finalizou o Reitor da UFPI, Prof. Dr. José Arimatéia Dantas, em entrevista por telefone.

 

ufpi