×

Observação

There is no category chosen or category doesn't contain any items

O suicídio que é um fenômeno complexo e multifatorial que pode afetar indivíduos de diferentes origens, faixas etárias, condições socioeconômicas, orientações sexuais e identidades de gênero foi o tema de um encontro de alunos e professores no Campus Amilcar Ferreira Sobral, em Floriano.

Houve muitas presenças e muitos depoimentos foram externados pelos participantes, alguns chocantes. 

suicidio

Intitulado de "Setembro Amarelo", o encontro ocorreu na noite dessa quarta-feira, dia 11 de setembro, e  teve como organizadores a Profa. Bruna Cavalcante e o Prof. José Claudio Lira, ambos ligados ao Curso de Enfermagem do Campus.

Aguarde mais informações

Da redação

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI), por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Assuntos
Estudantis e Comunitários (PREX) torna pública reabertura de prazo para cadastro no Programa Institucional de Bolsas em Extensão Universitária (PIBEU), em conformidade à Resolução CEPEX no 029/2011.


O Comitê Local do Programa, Edital PREX/PIBEU 014/2019, será composto por docentes
do quadro efetivo de todas as áreas do conhecimento com a titulação mínima de mestre, que tenham
interesse em prestar assessoria e emitir parecer acerca das propostas de ações extensionistas submetidas ao Edital PIBEU, e posteriormente, sobre os memoriais parcial e final das ações extensionistas aprovadas na seleção.


As inscrições serão recebidas no período de 12 a 27/09/2019, com o preenchimento e envio
da ficha de cadastro.


A confirmação da seleção será via e-mail e constará das orientações para acesso e utilização do SIGPREX.
O avaliador fará jus a uma declaração emitida pela PREX-UESPI. Para atuar como avaliador
da PREX-UESPI, o docente deverá seguir as regras, critérios, sigilo e prioridades que envolvem o
processo de avaliação, de maneira a garantir a credibilidade e uniformidade no exercício de suas
atividades.

Confira:

Chamada Pública PREX-PIBEU 001-2019 Reabertura de prazo de inscrição

 

Uespi

 

Tendo em vista a necessidade de aproximação permanente entre a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários - PRAEC da Universidade Federal do Piauí – UFPI e os Núcleos de Assistência Estudantil – NAEs dos campi fora de sede, ocorreu mais uma etapa da PRAEC ITINERANTE nos campi Senador Hevídio Nunes de Barros (CSHNB) – Picos, dias 02 e 03 de setembro de 2019, e Amílcar Ferreira Sobral (CAFS) – Floriano, nos dias 05 e 06 de setembro de 2019.

O objetivo desta atividade é promover um diálogo sobre as atividades da assistência estudantil na UFPI, levantando demandas, construindo conjuntamente possibilidades, bem como partilhando ideias para o aprimoramento dos trabalhos. A programação contou com a participação da Pró-Reitora da PRAEC, Professora Dra. Adriana de Azevedo Paiva, do Coordenador em exercício da CACOM, Pedagogo Dr. Junior Ferreira, da Coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da UFPI, Assistente Social Me. Rafaela Santiago, da chefe de Divisão de Gestão e Avaliação, Assistente Social Justina Cutrim, além de Diretores e servidores da Assistência estudantil dos campi envolvidos. Na ocasião, foram apresentadas as ações de todos os serviços, apontados desafios para o desenvolvimento das atividades, realizadas visitas aos setores da assistência estudantil e promovidas reuniões com coordenadores de curso e alunos.

Para a Pró-Reitora da PRAEC, Professora Adriana Paiva, as visitas técnicas da PRAEC aos campus fora da sede são uma importante ação para o fortalecimento da assistência estudantil em toda a UFPI, para conhecer as demandas in loco, avaliar os serviços, delinear os desafios e as prioridades, desenhar proposições e contribuir para integrar as equipes da AE, e dela com a comunidade universitária. Assim, as visitas ao CSHNB e CAFS tiveram claramente suas metas atendidas. Foram momentos proveitosos com os técnicos, docentes e discentes. Embora o cenário seja de crise, estamos conseguindo manter essa importante ação.

O Coordenador em exercício da CACOM, Pedagogo Junior Ferreira, por sua vez, afirma que estes encontros técnicos de trabalho, além de aprimorar as atividades, reforçam o sentimento de cooperação e parceria entre os servidores, contribuindo para o desenvolvimento da assistência estudantil.

 

Ufpi

Filho de uma professora e de um profissional de logística, Jadir Loiola tem como lema superação e gratidão que leva consigo para sempre, junto com o sonhado diploma de Educação Física.  Ele recorda com alegria da infância. Era um menino feliz, cheio de sonhos e com uma família bem estruturada. Até a separação dos seus pais, quando tudo mudou. “Meu pai saiu de casa e eu, minha mãe e meus dois irmãos ficamos sem renda. Minha mãe largou tudo. Deixou o trabalho como professora de Sociologiae foi cuidar da gente, sem a ajuda financeira do meu pai que. Ficamos quase sem nada”, desabafa.

aaaaaaa

Com essa realidade, o educador físicoe seu irmão mais velho precisaram ser transferidos para um colégio público. “A minha irmã foi a única que se manteve em uma escola particular com a ajuda do padrinho”, pontua. Segundo Jadir, a única coisa que não mudou depois da separação, foi a garra da sua mãe e o incentivo dado pela mesma para os estudos e educação dos filhos.

O sonho da graduação estava distante, apesar do incentivo da mãe até que, através de um primo, Jadir conheceu o Educa Mais Brasil, programa de bolsas de estudo para várias modalidades de ensino, inclusive para a graduação. “Meu primo viu um anúncio no jornal e, como ele sabia que eu queria muito estudar mas minha família não tinha condições, me falou da oportunidade”, conta.

Jadir não pensou duas vezes. Foi na casa do primo, fez sua inscrição e conquistou uma bolsa de 50%. “Apresentei o valor da mensalidade para minha mãe e depois mostramos para a família. Graças a eles, consegui me formar”. Foi em 2009, depois de muita luta, que Jadir concluiu a graduação.

Um estudo recente divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Brasil está entre os cinco países com piores taxas de pessoas com ensino superior entre as 45 nações analisadas em um estudo. Segundo o estudo, apenas 21% dos brasileiros de 25 a 34 anos têm diploma de ensino superior.

Jair tem 35 anos, e felizmente por pouco não se encaixou nas estáticas, mas nem todos têm a mesma oportunidade dele, ele tem convicção disso.“Hoje, tenho tudo que sempre quis, apartamento próprio, carro. Mas o mais importante é a família linda que construí ao lado da minha esposa e da minha filha” comemora. Ele diz não ter palavras para agradecer à família e ao Educa Mais Brasil. “Minha família me ensinou o que é vencer na vida. Sem eles e a bolsa de estudo nunca conseguiria me formar”, conclui.

 aaaaassssssssss

Fonte: Agência Educa Mais Brasil