O primeiro dia do Exame Nacional do Ensino Médio - ENEM, já está chegando e, como todos sabem, o ano de 2020 foi desafiador para estudantes e professores envolvidos no processo de realizaram o Enem.

No entanto, em relação ao ENEM, a Secretaria de Educação e a Prefeitura Municipal de Barão de Grajaú, hoje administrada pela frefeita Claudimê Lima, preparam um aulão para os estudantes do município que irão participar do Exame Nacional do Ensino Médio nos proximos dois domingos, 17 e 24.

As aulas acontecerão dia 15 e 21 de Janeiro no auditório da Secretaria Municipal de Educação.

enemaa

Com informações da SECOM

 

O exame costuma cobrar dos estudantes conhecimentos interdisciplinares

enemhistoriaNo próximo domingo (17), estudantes de todo o Brasil realizarão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a recomendação dos professores é que nesta reta final, os participantes se dediquem às revisões. Diante da pouca falta de tempo para rever todo o conteúdo, é estratégico prestar atenção aos assuntos mais recorrentes no exame.

O Enem costuma cobrar dos estudantes conhecimentos interdisciplinares. Na disciplina de História, por exemplo, o professor Murilo Mello destaca que existem três assuntos que são mais cobrados nas provas do Enem e, por isso, merecem a atenção do estudante.

“Nas últimas provas o que mais caiu em História foi História do Brasil. Segundo Reinado e Ditadura Militar, respectivamente. Se a gente somar todas as provas, os assuntos mais cobrados seriam Segundo Reinado, em primeiro, e Era Vargas, em segundo”, explica o professor que leciona nos colégios Módulo, Integral, Bom Pastor e Bernoulli.

O professor pontua, ainda, a importância de contextualizar os assuntos e não ficar limitado aos fatos de cada um. Também é interessante que o aluno visualize o passado ao qual está estudando para facilitar sua compreensão acerca do tema e contexto histórico.

Tão importante quanto seguir as dicas acima é resolver questões de exames anteriores para entender qual é a dificuldade das questões e como o assunto é cobrado no Enem.

E-book Enem Check

Para auxiliar em todas as disciplinas cobradas no exame mais esperado pelos estudantes, o Enem, o e-book Enem Check traz um cronograma gratuito de estudos para todas as áreas do conhecimento abordadas nas provas.

Dentre o conteúdo abordado, o material indica filmes, séries e livros que contribuem para complementar os conhecimentos de forma mais espontânea.

O e-book também ajuda a descobrir quais são os assuntos mais cobrados no Enem em todas as disciplinas. 

Enem 2020

Ao todo, cerca de 5,8 milhões de estudantes estão inscritos no exame, segundo dados do Ministério da Educação (MEC). O Enem 2020, que foi adiado para este ano por causa da pandemia do novo coronavírus, terá uma versão impressa a ser realizada nos dias 17 e 24 de janeiro, e uma digital, realizada de forma piloto para 96 mil candidatos nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Até o momento não há previsão de novo adiamento das provas, conforme anúncio do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes.

Para tanto, serão adotadas medidas de segurança em todos os dias de aplicação do exame, tanto para a avaliação impressa quanto digital. Dentre as medidas anunciadas pelo Inep estão: redução de estudantes por sala, para garantir o distanciamento entre os participantes; uso obrigatório de máscaras de proteção da forma correta, tapando o nariz e a boca, sob pena de eliminação do exame e disponibilização de álcool em gel em todos os locais de aplicação.

Quem for diagnosticado com Covid-19 ou apresentar sintomas dessa ou de outras doenças infectocontagiosas até a data do exame não deverá comparecer ao local de prova e precisará entrar em contato com o Inep pela Página do Participante, ou pelo telefone 0800-616161, para pedir reaplicação do exame.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

A Justiça Federal de São Paulo negou o adiamento das provas e manteve as datas do Enem 2020 (Exame Nacional do Ensino Médio). Juíza acatou os argumentos da AGU (Advocacia Geral da União) de que nova alteração de datas causaria prejuízos financeiros e também prejudicaria a formação dos estudantes, uma vez que o exame é a principal porta de entrada para as universidades federais.

Pela decisão da Justiça Federal, as provas impressas devem ocorrer nos dias 17 e 14 de janeiro e a versão digital será realizada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.
A juíza Marisa Cláudia Gonçalves Cucio afirmou, na decisão, que o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas), responsável pela aplicação do exame, oferece todas as medidas necessárias: "há informações suficientes sobre as medidas de biossegurança para a realização da edição 2020 do Enem."

Ela também reforçou em seu texto que medidas e cuidadas individuais deverão ser tomados: "sem deixar de confiar na responsabilidade do cuidado individual de cada participante".

As provas colocarão em circulação mais de 5 milhões de estudantes em todo o país. Segundo a decisão da Justiça Federal, nas regiões em que os números de casos de covid-19 esteja elevado e o risco de contágio seja alto, caberá às autoridades locais o cancelamento do exame e ao Inep a reaplicação das provas.

O Enem deveria ser aplicado originalmente no mês de novembro, mas após forte mobilização social devido à pandemia de coronavírus, as provas foram remarcadas para o mês de janeiro.

Na semana passada, a Defensoria Pública da União entrou na Justiça pedindo um novo adiamento do Enem diante do aumento de casos da covid em todo o país. A ação foi realizada em conjunto com entidades estudantis como a UNE (União Nacional dos Estudantes) e a Ubes (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas).

Antes da ação na Justiça, estudantes já se mobilizavam com a #adiaenem nas redes sociais pedindo a revisão do calendário de provas.

A AGU (Advocacia Geral da União) argumentou que uma nova mudança de data implicaria em prejuízos financeiros e também prejudicaria a formação dos estudantes.

De acordo com nota, os integrantes da AGU "entendem que todas as medidas de segurança sanitária estão sendo tomadas para a realização do exame neste ano." Uma força-tarefa foi montada para garantir a segurança jurídica do Enem. Até o dia 7 de fevereiro, data da última prova, pelo menos 75 procuradores federais irão monitorar os processos judiciais em regime de plantão, 24 horas por dia.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, informou que todas as medidas de segurança estão sendo tomadas para a realização do exame e que as medidas foram pensadas em um contexto de pandemia.

 

R7