As cervejas nacionais e importadas vendidas no Brasil terão, em seus rótulos, especificações mais claras sobre os ingredientes utilizados em sua fabricação. A medida está prevista em instrução normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), publicada no Diário Oficial da União de hoje (16).

As empresas terão prazo de um ano dias para se adequar às novas regras previstas na instrução do Mapa. A instrução estabelece a “obrigatoriedade de constar, de modo claro, preciso e ostensivo, na rotulagem de cervejas, as informações que indiquem os ingredientes que compõem o produto, substituindo as expressões genéricas ‘cereais não malteados ou maltados’ pela especificação dos nomes dos cereais e matérias-primas efetivamente utilizados como adjunto cervejeiro”.

Além disso, a portaria prevê que os açúcares utilizados na fabricação da cerveja deverão ter a denominação acrescida do nome da espécie vegetal de origem – caso, por exemplo, do açúcar de cana.

Fonte; Agência Brasil

cerveja artesanal

Na manhã desta quarta-feira (14) foi realizada no Centro Administrativo Municipal a definição da atração que se apresenta na edição extra do projeto “Fim de tarde”, que acontece no dia 24 de novembro, no Cais da Beira-rio. Com a intenção de contemplar o Pagode, enquanto segmento musical, o secretário de Administração, Júlio César Ferreira, confirmou a apresentação da banda inscrita "Samba Brother".

pagode

 A abertura do projeto aconteceu no último sábado (10) com a apresentação da banda Retrohard Classic, que levou sucessos do rock internacional ao Cais da Beira-rio. As próximas apresentações acontecem no dia 15 dezembro, com a animação por conta de Denis Moura (Forró e Sertanejo) e no dia 22 de dezembro a atração será Dinho Rose (Rock), além do dia 24 de novembro com "Samba Brother", sempre a partir das 18h.

 

secom

Todos os dias dezenas de processos chegam à comarca de Floriano.
Uma das mais movimentadas é a criminal comandada pelo juiz Noé Pacheco.
Em entrevista ao portal piauinoticias o magistrado fez uma avaliação dos serviços realizados até agora e destacou o empenho e agilidade dos servidores no andamento dos processos.

“O nosso trabalho tem sido muito intenso, nós temos uma secretaria muito bem aparelhada, uma assessoria composta por pessoas experientes e preparadas, o volume de despachos e decisões que foram proferidas até agora apresenta um recorde..., falou”

Apesar de todo esforço dos servidores, o magistrado revela que a falta de estrutura e a necessidade de mais servidores ainda são um problema. Mas diz que mesmo com dificuldades a situação de Floriano é melhor que a de outras comarcas no estado.

“A nossa produtividade, eu diria que esta acima da média no Piauí, e nós estamos fazendo o máximo que podemos para atender a demanda. Se for para comparar a situação de Floriano com comarcas de porte semelhante como Picos, Campo Maior e outras, a nossa situação esta relativamente melhor, apesar da nossa grande deficiência de pessoal e estrutura” completou o juiz.

Sobre o cancelamento de audiências e a demora no julgamento de réus presos, o juiz Noé Pacheco aponta outro problema, a insuficiência de defensores públicos que atendem na região, além de Floriano, outras comarcas também tem dificuldades com a falta de defensores.

“Esse é um dos problemas que tem dificultado o nosso trabalho, a população carcerária brasileira, e aqui eu falo na condição de responsável pela Vara Criminal de Floriano, é composta, basicamente, por pessoas pobres, de modo que, quase a totalidade dessas ações penais em tramitação é direcionada a defensoria pública. E nós, não temos em Floriano uma estrutura suficiente na defensoria pra atender toda essa demanda,” relatou.

no

Ela relatou ainda que, às vezes os defensores públicos são deslocados para outras comarcas e o serviço em Floriano para, “de vez em quando, os defensores são deslocados para comarcas vizinhas pra prestar serviços em mutirão ou até mesmo pra suprir férias de outros colegas, e não tem sido raro, aliás, tem sido muito frequente nós deixarmos de realizar audiências com réus presos por falta de defensor público..., é muito comum as audiências serem desmarcadas várias vezes porque não temos a figura indispensável do defensor público presente. E quando isso ocorre acaba sendo perdido o trabalho do juiz, do promotor, dos servidores... e naquele horário ou naquele dia que deveríamos estar reunidos para julgar o processo, ficamos parados, proferindo despachos e marcando o ato para uma nova data, e isso causa um prejuízo enorme,” falou Noé Pacheco, juiz.

O magistrado relatou que pretende procurar o Tribunal de Justiça do Piauí e a Corregedoria de Justiça do Estado para pedir que mantenham um diálogo com a Defensoria Pública Estadual para que veja a situação de Floriano e demais comarcas de porte semelhante.

Durante a entrevista o Juiz Noé Pacheco falou sobre o projeto de construção do novo Fórum de Floriano, “Eu já estive reunido com o desembargador Sebastião, o novo presidente do Tribunal de Justiça do Piauí eleito para os próximos dois anos, e ele se comprometeu a dar atenção a Floriano, e tratar desse assunto.”

Dr. Noé Pacheco afirmou que o projeto de construção do novo Fórum de Floriano esta pronto, faltando apenas, à licitação para inicio das obras.

 

Morreu por volta das 4:00h da manhã de hoje, 14, o comerciante Daniel Martildes Lima, 68 anos. O dono de bar que por muito anos comandou o bar em frente ao Comércio Esporte Clube, centro de Floriano, está sendo levado para a sua terra natal.

ANTONIO

Daniel deixa uma filha. O falecimento foi por morte natural. O corpo está sendo levado para a comunidade Jacaré, zona rural de São Francisco do Piauí.

O sepultado deve ocorrer na tarde de hoje, as 17:00h. As informações são do irmão Antônio Lima (camisa azul).

 

Da redação

sdsdsdsds