• Governo
  • Vamol
  • Roma
produtorO Governo do Estado do Piauí solicitou ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) a antecipação da liberação do Seguro Safra aos agricultores piauienses atingidos pela seca. A iniciativa visa atender a população que sofrerá os efeitos da estiagem deste ano que deve ser a maior em décadas a atingir o Piauí.


O secretário do Desenvolvimento Rural, Rubem Martins, informou que a antecipação já foi solicitada e que 159 municípios estão cadastrados no programa. "Os prefeitos destas cidades precisam quitar os débitos para que o recurso seja liberado", afirma.


“Após o pagamento do débito a prefeitura deverá comunicar ao MDA a quitação para que o técnico possa fazer o levantamento da situação. O técnico confronta os dados da prefeitura com o do IBGE e do Instituto de Meteorologia e coloca no sistema para a liberação do seguro”, explica Pedro Calixto, superintendente do MDA.


De acordo com o secretário, o Governo do Estado, prevendo a gravidade da seca, quer antecipar para junho o Seguro Safra, que tinha previsão para ser liberado a partir de dezembro. "É um pleito do próprio governador Wilson Martins e há uma grande probabilidade de dar certo.



Governo do Estado

Durante mais de duas horas, o presidente da Eletrobrás Distribuidora do Piauí, Marcos Madureira, debateu com os deputados as ações do programa Luz para Todos no Estado. Os deputados que fizeram perguntas foram os seguintes: Antônio Uchoa, Evaldo Gomes, Rejane Dias, Fábio Novo, Odival Andrade, Flora Izabel, Belê Medeiros, João de Deus e Lisiê Coelho. João de Deus foi o autor do requerimento solicitando a audiência.

 

Uma das questões mais polêmicas foi o cancelamento de contratos com empresas que trabalham para o programa e a abertura de novas licitações. Na visão da maioria dos deputados, isso concorre para atrasar o programa. A qualidade da energia, a construção de novas barragens no rio Parnaíba, a demora na substituição de transformadores que se queimam no interior e o atraso das obras na região de Piripiri foram outras questões de destaque.

 


Situações como a existência de postes de madeira, no município de Luzilândia e poste de concreto no centro de uma praça, deixando vazar corrente, sujeito a matar crianças, também foram levantadas. Sobre a demora na substituição dos transformadores, o presidente da Eletrobrás Distribuidora no Piauí disse que só tinha a pedir desculpas, pois não há justificativa.


Ele afirmou ainda que haja dificuldades em obter transformadores, mas que está chegando boa quantidade solicitada de Manaus. Informou que no tocante à qualidade da energia, tudo depende da natureza da demanda. No caso das indústrias que pretendem se instalar no Piauí é necessário que elas informem a previsão de consumo.


Uma pergunta específica foi sobre a Suzano, fábrica de celulose que se instala no Piauí. O presidente da Eletrobrás informou que a mesma vai depender de energia da Eletrobrás apenas no início, pois ela mesma será geradora de energia. Essa questão foi levantada por mais de um deputado, assim como a situação das gambiarras.


O presidente disse que o programa das gambiarras está em andamento, num convênio com o governo do Estado. Sobre os débitos dos grandes consumidores, como a Agespisa e outros, questão levantada pela deputada Flora Izabel, o presidente da Eletrobrás informou que houve negociação com a Agespisa e o pagamento está em dia. O débito antigo está dependendo de decisão judicial. Sobre negociações, ele disse que foi a melhor saída encontrada pela Eletrobrás, pois havia muitos devedores que entravam com ações na Justiça, só para protelar a quitação.


Os deputados foram unânimes em agradecer a presteza do presidente da Eletrobrás, que respondeu satisfatoriamente a todas as indagações. Ele disse esperar que todas as etapas do Luz Para Todos no Piauí sejam concluída antes do prazo estabelecido pelo governo federal (2014).

 

Uma curiosidade nas respostas do presidente da Eletrobrás: O Piauí não está necessitando de novas barragens para no rio Parnaíba para gerar energia, pois o que está sendo gerado é suficiente, sem contar com as usinas eólicas, que deverão se estender do litoral para a região central.



Alepi

O governador Wilson Martins esteve reunido nesta quinta-feira (19) com prefeitos da região de São Raimundo Nonato, gestores de órgãos estaduais e federais que executam ações de convivência com o semiárido, além de parlamentares para tratar sobre ações de contenção dos efeitos da seca na região. Ações de curto e médio prazo estão sendo tomadas para garantir água para consumo humano e animal.  No Piauí, mais de 80 municípios já decretaram situação de emergência em função da estiagem. Estima-se que os prejuízos alcancem outras 70 cidades.
 


“Estive na segunda-feira na região de São Raimundo Nonato e fiquei bastante preocupado com os relatos que ouvi e a situação que vi. Por conta disso, quero convocar prefeitos, parlamentares e os órgãos estaduais e federais a agirem com celeridade para que possamos reduzir prejuízos”, disse Wilson Martins.
 


O secretário estadual de Defesa Civil, Ubiraci Carvalho, destacou ações de curto prazo que estão sendo executadas, como envio de carros-pipa e o plano no valor de R$ 15 milhões aprovado pelo Ministério da Integração Nacional, que prevê também a aquisição de cestas básicas, ração animal e gás de cozinha. Já o secretário de Desenvolvimento Rural, Rubem Martins, falou aos prefeitos sobre o plano de médio prazo, que prevê a construção de barragens de acumulação, poços e cisternas.
 
 

“Nesses 14 anos que frequento o Karnak, essa é a mais importante reunião. Pelo assunto e pelos atores envolvidos. Passamos pela pior seca talvez de todos os tempos e precisamos agir com celeridade. Por mais que estejam sendo enviados carros-pipa, ainda não é o suficiente para atender a demanda”, disse o prefeito de São Raimundo Nonato, Herculano Negreiros. Participaram também da reunião os prefeitos de Alagoinha, Francisco Macedo, Caracol, Várzea Branca, Picos, Caridade do Piauí.
 
 

A principal preocupação dos prefeitos está relacionada ao abastecimento de água para consumo humano, mas também preocupa a falta de água e de alimento para os animais. “A nossa orientação é de que os prefeitos procurem a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) para a compra de milho a preços módicos. Os prefeitos devem fazer uma lista dos criadores prejudicados e procurar a Conab.Os galpões de Picos e Floriano, por exemplo, estão abastecidos”, afirmou Rubem Martins.
 
 

O governador Wilson Martins disse ainda que solicitou ao Ministério do Desenvolvimento Agrário a antecipação do pagamento do seguro safra aos produtores que tiveram perdas. Segundo Pedro Calixto, delegado do MDA no Piauí, o pleito deve ser atendido e a primeira parcela paga até o dia 15 de junho.


Piaui.pi
A Prefeitura de Floriano vai realizar nesta sexta-feira (20/04) a segunda etapa do sorteio de localização das casas do conjunto José Pereira da Silva,no bairro Meladão.
casaspopularesflo

O sorteio vai ser realizado no Ginásio Poliesportivo Defala Attem, às 9 horas, com a presença de autoridades municipais e representantes da Caixa Econômica Federal.
 
 

Serão sorteadas a localização de 122 casas, cujos contemplados, que tinham pendências de documentos junto à Caixa Econômica Federal, já estão com a situação regularizada.
 
 

Para tanto a Prefeitura e a Caixa Econômica Federal convocam essas pessoas a comparecerem nesta sexta-feira, no local e horário acima mencionados.
 
 
 
SECOM

Subcategorias

A informação sobre como deve funcionar as empresas nessa quinta é da presidente da Classe Comerciária a líder Jocilena Falcão.  Ela recebeu o repórter Ivan Nunes, do Piauí Notícias, para externar sobre como será o funcionamento das empresas no Dia de Corpus Christi.

jocinala

Na entrevista, Jocilana informa que algumas empresas consideradas essências estarão em funcionamento, mas cumprindo o que determina a Lei e o acordo firmado entre as classes de patrôes e empregados do comércio local.

O Sindicato, ainda de acordo com ela, deve agir no caso de algum empreendedor descumprir o acordo. Veja a entrevista com a lider Jocilane Falcão. 

Da redação