isacUm dos destaques no Enem 2019, o estudante Isac Marques, do Centro de Ensino de Tempo Integral Professor Antônio Tarciso, no bairro Vale Quem Tem, Zona Leste de Teresina, fez 980 pontos na Redação. O resultado foi divulgado nesta sexta-feira,  17.

Isac tem 18 anos e participou das revisões realizadas pela Secretaria Estadual de Educação em Teresina, além de acompanhar as aulas pelo Canal Educação.

A professora de Redação Patrícia Lima, não escondeu a felicidade com o resultado do aluno. Segundo ela, o estudante era atuante nas ações do Pré-Enem Seduc e não faltou a nenhuma das revisões que foram realizadas em Teresina.

Isac já havia feito o Enem como treineiro e em 2019 foi a primeira vez que fez já como participante. Ele pretende fazer Medicina e se especializar em Oncologia, que para ele seria um sonho.

"Primeiro lugar é uma grande alegria tirar essa nota, vejo que foi o fruto do trabalho de um ano todo. Atingir essa nota é difícil, mas não é impossível", disse ele ao 180.

"Eu fazia duas redações por semana, levava para ser corrigida, via onde tinha errado e podia melhorar, e reescrevia, isso me ajudou muito. As revisões da Seduc me ajudaram muito, lá tem os melhores professores, que dão dicas muito importantes", concluiu o estudante.

 

180 graus

Está chegando a hora de conferir as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga nesta sexta-feira, 17 de janeiro, os resultados da última edição do exame. Para saber o resultado final, porém, não basta apenas somar o número de questões acertadas.

O Inep adota a Teoria de Resposta ao Item (TRI) para chegar à nota final. Esta, em cada uma das quatro áreas de conhecimento, é calculada a partir de uma escala, que é como uma régua que mede o nível de conhecimento do participante.

O desempenho médio dos candidatos encontra-se no meio dessa régua, os 500 pontos. Dessa forma, as questões da prova ocupam uma posição diferente, de acordo com o nível de dificuldade. Nesse sentido, as perguntas situadas abaixo de 500 têm um nível de dificuldade menor para a maioria dos estudantes; as acima de 500, maior.

O método busca priorizar a coerência no desempenho dos estudantes. Se alguém acerta as questões mais difíceis, mas erra aquelas consideradas fáceis, provavelmente "chutou" as respostas. Por isso, terá uma nota inferior à de um estudante que acertou o mesmo número de questões consideradas mais fáceis, mas errou as mais complexas. Assim, duas pessoas que fizeram a mesma edição do Enem e tiveram número igual de acertos podem ter notas diferentes.

A aplicação da TRI é frequente nas avaliações que utilizam testes de múltipla escolha aplicados em diversos países. No Brasil, a TRI é usada desde 1995 nas provas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), que mede o desempenho de estudantes do ensino fundamental e médio e a própria educação básica, e desde 2009 é utilizada no Enem, com o objetivo de garantir a comparação das notas do exame em diferentes aplicações.

Redação – A nota da redação não é calculada pelo TRI. Os textos são corrigidos um a um por mais de 5 mil avaliadores. Destes, cada um recebe até 200 redações por dia, com o compromisso de analisar mais de 150 textos a cada três dias. A cada 50 redações, o corretor recebe duas já avaliadas por uma equipe de especialistas, que serão usadas para analisar o desempenho do corretor.

Todas as redações são avaliadas por dois professores em plataforma online, com texto sem identificação. Cada um desconhece a nota atribuída pelo outro. Se a discrepância das notas for superior a 100 pontos, no total, ou 80 pontos em uma das cinco competências avaliadas, um terceiro professor fará a correção. A nota final da redação é a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximam.

A redação do Enem 2019 avalia cinco competências:

domínio da escrita formal;
desenvolvimento do tema em estilo dissertativo-argumentativo;
relacionar, organizar e interpretar informações e argumentos em defesa de uma opinião;
conhecimento de mecanismos linguísticos para construir a argumentação;
elaboração de proposta de intervenção para o problema proposto, com respeito aos direitos humanos.
A nota máxima prevista é 1.000. Textos com até sete linhas ou que fogem ao tema estão entre os critérios para zerar a redação.

Enem – O exame é composto por quatro provas objetivas, totalizando 180 questões, e uma redação. No próximo dia 17 o participante terá acesso à nota da redação (que varia de zero a 1000) e à pontuação de cada uma das quatro áreas de conhecimento: linguagens, códigos e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias.

 

Assessoria de Comunicação Social, com informações do Inep

 

O Superintendente do Tesouro do Estado do Piauí – SUTEST, Ricjardeson Rocha Dias, assinou, nesta quarta-feira (15), o calendário anual de pagamentos das bolsas e auxílios para o ano de 2020. O documento foi assinado na sede da Secretaria de Fazenda com a presença do reitor em exercício, professor Evandro Alberto de Sousa e da Pró-reitora adjunta de Planejamento e Finanças, professora Joseane de Carvalho Leão.
Uma das reivindicações dos estudantes e da comunidade acadêmica é a regularidade dos pagamentos das bolsas e auxílios. O compromisso firmado entre a Universidade e a Secretaria Estadual da Fazenda tranquiliza os acadêmicos que dependem dos recursos da assistência estudantil para permanecerem na universidade, estudando, pesquisando, fazendo extensão e desenvolvendo outras atividades.

“Sabemos da importância dessas bolsas para os alunos que a utilizam, por isso esse calendário traz certa tranquilidade para todos nós. No final do ano passado, nós já estávamos com um calendário e, agora, já conseguimos fechar para todo o ano. Qualquer mudança, alteração, nós vamos avisar, mas estamos confiantes que vamos manter todas as datas”, afirmou a Pró-reitora.

O calendário apresenta uma tabela e o tipo de benefício com o período de pagamento a ser realizado no ano de 2020. De acordo com o documento, a previsão dos pagamentos são para o auxílio moradia e bolsa trabalho (capital e interior), bolsas Pibic, Pibeu, estagiários, teatro, corpo de dança, apoio pedagógico, bolsa mestrado, monitoria (capital e interior) e o coral da instituição.

O Superintendente do Tesouro do Estado do Piauí, Ricjardeson Rocha Dias, informou que o pagamento seguirá rigorosamente o cronograma estabelecido e assinado pela Superintendência com o apoio do Secretário Rafael Fonteles. Os valores serão pagãos conforme foi escalonado na tabela anual de pagamento das bolsas e auxílios da UESPI segundo explicou o Superintendente.

O reitor em exercício da Uespi, professor Evandro Alberto, disse que o calendário anual de pagamento atende ao desejo da comunidade acadêmica. Mas também representa uma conquista para os estudantes e a garantia dos direitos de todos os beneficiários que agora poderão se programar com vista ao período fixo de pagamento das bolsas.

“O bolsista ou beneficiário do auxílio precisa saber a data que o recurso vai estar disponível para ele sacar. Esse recurso faz muita diferença na vida dos nossos estudantes, é esse dinheiro que ajuda a mantê-los na universidade e tem importância social muito grande, pois são pessoas que contribuem para o funcionamento de nossa IES. Estamos contentes em apresentar uma programação do pagamento de bolsas e auxílios, pois sabemos que essa ação leva tranquilidade para a comunidade acadêmica que usufrui desse tipo de custeio”, concluiu Evandro Alberto, reitor em exercício.

Confira o CALENDARIO DE BOLSAS 2020

 

Uespi

enemConfiante, o Tawan Lopes, 19, pretende usar a nota para cursar Direito

Os resultados individuais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ainda nem foram publicados, mas o assunto já é motivo de burburinho nas redes sociais. A previsão do Ministério da Educação (MEC) é que a divulgação seja realizada amanhã, dia 17.

A nota do exame é fundamental para o ingresso no ensino superior público e privado por meio de programas do governo como o Sisu e o Prouni, cujas inscrições estão programadas para a semana que vem.

Tawan Lopes, de 19 anos, é uma das 3,7 milhões de pessoas que fizeram a prova nos dias 3 e 10 de novembro do ano passado e espera ansioso pelas notas. Para o jovem, o resultado do Enem definirá os seus próximos passos em relação ao futuro nos estudos. Segundo ano em que participa do Enem, Tawan espera desta vez ser estudante do curso de Direito ou Psicologia, sua segunda opção de graduação, da Universidade Federal da Bahia (UFBA). 

Ainda sem os resultados em mãos, ele confia no seu desempenho na avaliação. “Achei a prova bem equilibrada e neutra com relação a temas polêmicos, bem conteudista e elaborada. Acredito ter feito uma boa prova mais tranquila e consciente, pois me preparei nos últimos cinco meses que antecederam a prova”, afirma.

As notas do Enem poderão ser conferidas na Página do Participante ou no Aplicativo do Enem, organizadas por área de conhecimento: matemática e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias; linguagens, códigos e suas tecnologias e ciências da natureza e suas tecnologias. Além da nota da redação, que vai de 0 a 1000 pontos.

Independentemente dos resultados, o fundamental é manter os estudos em dia. Seja para encarar a futura graduação ou se preparar mais um ano para o Enem. É como pensa Tawan que não quer deixar de lado o foco de estudar em uma universidade pública.

“Se eu não conseguir nesse semestre, pretendo mais uma vez fazer cursinho pré-vestibular e intensificar minha preparação para concretizar meu sonho de estudar numa universidade pública que seja referência no país”, conclui o estudante.

 

Saiba como é calculada a nota do Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio (Inep), responsável pela avaliação, utiliza os critérios da Teoria de Resposta ao Item (TRI). Diferente de uma prova comum, onde 5+5=10, essa metodologia não apresenta o resultado a partir da proporção de acertos dos candidatos na prova.

Por isso, participantes que responderam corretamente um mesmo número de questões podem ter notas finais diferentes. A TRI leva em conta a dificuldade das questões acertadas. Por exemplo, se um candidato errou muitas questões consideradas fáceis e acertou as mais difíceis pode-se supor que tenha havido chute nas respostas, o que contribui para o peso da questão. A nota da redação do Enem segue critérios tradicionais de correção.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil