• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, admite caixa dois nas campanhas eleitorais de 2012 e 2014 e fecha acordo com a PGR, baseado na Lei Anticrime, para encerrar investigações, mas o STF manda o processo de Onyx para Justiça Eleitoral do RS.  

Lamentavelmente, o país é vítima de políticos inescrupulosos, que mancham a honradez que deveria ter a política nacional. Parece até que apenas elementos de princípios não Republicanos procuram a política para exercer suas atividades.   

Dos políticos nacionais exigimos probidade e reputação ilibada como predicado mínimo para representar o povo no Parlamento.  julioacr

É inquestionável que existem políticos sóbrios e incorruptíveis em exercício de mandatos, mas são poucos. E estes, sozinhos, não reúnem forças para mudar o panorama negativo de nossa combalida política.  

Onyx Lorenzoni, hoje,  ministro no atual governo, que sempre se apresentou como político de ilibada conduta, mas que na realidade foge desse padrão de moralidade, não é o único a se valer da indecorosa prática de caixa dois dos partidos.  O senador José Serra, por exemplo,  é suspeito de estar no topo de um esquema de doações via caixa dois que teria beneficiado sua campanha com cerca de R$ 7 milhões em 2014.  

O grupo JBS, em delação premiada, disse ter financiado (R$ 600 milhões) quase 2.000 candidatos de vários partidos nas eleições de 2014. Uma vergonha.  

No momento em que um político admite o cometimento de uma irregularidade ou é condenado por tribunal, a punição deveria estabelecer também a perda dos direitos políticos para sempre. O político deve ter comportamento exemplar incorruptível. 

O que se pode dizer do político Onyx Lorenzoni? Apenas que se trata de mais um sacripanta, não merecedor de nosso respeito. Beneficiou-se de caixa dois na maior cara de pau, usando dinheiro ilícito para as suas despesas pessoais. E se não fosse denunciado, jamais teria a hombridade de devolver o que se apropriou.  

Ora, de acordo com o Dicio, Dicionário Online de Português, quem se comporta de forma desonesta é corrupto e normalmente se refere aos que estão em cargos públicos e prejudicam a nação, o povo.  

Acordo de não persecução penal de que trata a Lei Anticrime, sancionado ano passado, não deveria ser aplicado para os crimes de caixa dois, pois credibiliza o político corrupto a manter o status de ilibada conduta, mascarando irregularidade em sua vida pregressa diante da comunidade eleitoral. 

A sociedade tem que estar atenta para reprochar os políticos indecorosos que usam a esperteza de agir e denigrem a imagem parlamentar.  

Esses políticos velhacos, travestidos de figuras impolutas, respeitadas algumas exceções, vão para vida pública apenas para obter vantagens. E as vantagens são tão compensadoras que os vivaldinos não querem mais largar a mamata.  

 

Júlio César Cardoso

Servidor federal aposentado

Balneário Camboriú-SC

teresabritoA Assembleia Legislativa aprovou, na sessão plenária virtual de quarta-feira (19), requerimento da deputada Teresa Britto (PV) propondo a realização de uma audiência pública para discutir a problemática das queimadas e os mecanismos de controle existentes e os que necessitam ser implantados no Piauí.

A data da audiência não está definida, mas serão convidados representantes da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e das brigadas civis, do Ministério Público do Estado e de estudiosos que analisam e avaliam os eventos.

Com o período chuvoso encerrado no Piauí, as atenções das autoridades voltam-se para a intensificação das queimadas. No Pantanal do Mato Grosso, por exemplo, o fogo já destruiu milhares de hectares, numa área equivalente a onze vezes a extensão territorial do município de São Paulo. Em Teresina, até mesmo residências já foram destruídas.

Por conta das queimadas, os técnicos estão dando início aos trabalhos de orientação sobre os riscos provocados pelos incêndios e o monitoramento dos lugares que foram focos nos anos anteriores. O trabalho preventivo está sendo feito para conscientizar a população de que os incêndios podem trazer problemas respiratórios, ocasionando uma superlotação nos hospitais e postos de saúde.

No ano passado, até agosto o Corpo de Bombeiros já estava atendendo três vezes mais casos de incêndios e queimadas do que em média nos meses anteriores. O tempo quente e seco, e a queimada do mato para limpeza de terrenos, favoreceram o aumento dos casos, o que tende a se repetir neste e nos próximos meses. Naquela época, o Piauí já era o segundo do Nordeste em focos de incêndio, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Em 2018, o Piauí alcançou o índice de maior número de queimadas monitoradas no Brasil.

As autoridades alertam que a queima de resíduo é proibida por lei e pode gerar multas. É importante que a população faça a sua parte e denuncie aos órgãos de segurança aqueles que insistem em provocar incêndios.

 

Alepi

As instalações da ADAPI estavam cobertas pelo mato há vários dias. Uma denúncia da situação foi feita há cerca de 20 dias no Piauí Noticias e, após um apelo dos servidores do órgão com imagens gravadas pelo Carlos Iran, que é colaborador do PN,uma capina foi feita no local. 

adapi

Veja as novas imagens da situação.

Da redação

Informações confirmam que o agroempreendedor Mikhail Laginski, de 36 anos, faleceu nas primeiras horas da manhã desde sábado (15) em um hospital particular de Teresina, vítima da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

Mikhael era casado com Lorena Sampaio Laginski, filha do presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, o deputado Themístocles Filho.

mikhail

 Laginski era diretor de produção na empresa Laginski Agronegócios e era formado em administração pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Ele deixou a esposa e uma filha de 1 ano.

Com informações do GP1