robertoaslvimO secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, foi exonerado do cargo, segundo confirmou a assessoria da pasta na manhã desta sexta-feira. Ele provocou uma onda de indignação após copiar frases de um discurso nazista em um pronunciamento oficial da pasta. A exoneração de Alvim já havia sido antecipada pela colunista Miriam Leitão e foi publicada no Diário Oficial em edição extra na tarde desta sexta.

A polêmica surgiu após um vídeo ser divulgado para anunciar o Prêmio Nacional das Artes, projeto no valor total de mais de R$ 20 milhões. Na gravação, Alvim copiou uma citação do ministro de propaganda da Alemanha nazista, Joseph Goebbels. Além disso, o anúncio traz como fundo musical a ópera "Lohengrin", de Richard Wagner, compositor alemão celebrado pelo nazismo. A semelhança entre o discurso de Alvim e do ministro nazista foi identificada primeiro pelo portal "Jornalistas Livres".

Cruzada conservadora:Relembre as crises de Roberto Alvim, secretário da Cultura que parafraseou Goebbels

O presidente Jair Bolsonaro comunicou também, por meio de nota, a demissão de Roberto Alvim da Secretaria Especial de Cultura. De acordo com Bolsonaro, o "pronunciamento infeliz" tornou a permanência de Alvim no governo "insustentável", por mais que ele tenha se desculpado.
Bolsonaro disse repudiar as "ideologias totalitárias e genocidas" e "qualquer tipo de ilação às mesma". Além disso, manifestou "total e irrestrito apoio à comunidade judaica". Mais cedo, o Palácio do Planalto havia informado que não iria comentar a declaração de Alvim, alegando que o então secretário já havia se manifestado.

O vídeo e as referências ao nazismo incomodaram até mesmo o mentor de Roberto Alvim, o ideólogo Olavo de Carvalho. "É cedo para julgar, mas o Roberto Alvim talvez não esteja muito bem da cabeça. Veremos", publicou Carvalho. Em entrevista à "Rádio Gaúcha" na manhã desta sexta-feira, ele lamentou a declaração do guru.

 

O Globo

Foto: divulgação

 

bolsonaroO presidente Jair Bolsonaro criticou, nesta terça-feira, 14, a indicação do documentário Democracia em Vertigem ao Oscar, mas admitiu não ter assistido ao longa-metragem. Na avaliação de Bolsonaro, a produção é uma “ficção”. “Para quem gosta do que urubu come, é um bom filme”, afirmou.

A declaração do presidente foi dada na saída do Palácio da Alvorada, na manhã desta terça-feira. Questionado se assistiu ao documentário, Bolsonaro afirmou que não vai “perder tempo com uma porcaria dessas”.

A indicação de Democracia em Vertigem ao Oscar tem repercutido nas redes sociais nas últimas horas. A hashtag #TheEdgeOfDemocracyFAKE amanheceu na lista de assuntos mais comentados do Twitter. Além de Bolsonaro, outros integrantes de seu governo também comentaram a presença do longa-metragem sobre o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff entre os indicados. A maior crítica da ala bolsonarista é a de que a produção da diretora Petra Costa retrata apenas a perspectiva do PT.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, afirmou, em tom de ironia, ter “orgulho” de ver um filme brasileiro sendo indicado ao Oscar em três categorias: “Terror, comédia e ficção”. “A estrela da farsa [Dilma Rousseff] levou o Brasil, em cinco anos, ao fundo do poço. Deu uma aula de gestão desastrosa, incompetência e insolvência financeira”, escreveu em sua conta no Twitter.
O deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, disse nas redes sociais que as indicações ao Oscar “não são a toa (sic)”. “Se fosse um documentário mostrando a maior manifestação de rua da história do Brasil (contra o PT do lulopetismo) jamais seriam (sic) indicados”, afirmou.


O assessor especial do presidente Jair Bolsonaro, Arthur Weintraub, irmão do ministro da Educação, Abraham Weintraub, também ironizou a nomeação. “Sobre o documentário do ‘golpe’ que foi indicado ao oscar. O correto é gópi”, afirmou.

O Movimento Brasil Livre (MBL), responsável por organizar as manifestações contra Dilma durante o processo de impeachment, aproveitou a indicação para divulgar o próprio documentário sobre o período e não deixou de criticar Democracia em Vertigem. “Uma farsa gigantesca que ignora milhões de brasileiros que foram às ruas contra o maior escândalo de corrupção da história”, definiu.

 

Outros políticos bolsonaristas como Marco Feliciano, Bia Kicis e Carla Zambelli já haviam criticado a indicação, dizendo que ela é uma “afronta à população brasileira”. O PSDB, por sua vez, ironizou a notícia, parabenizando a diretora pela “indicação de melhor ficção e fantasia”.

 

Veja

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Uma descarga elétrica teria provocado um princípio de incêndio numa oficina de lanternagem que fica num trecho da Avenida Santos Drumond, em Floriano.

Alex de Sousa, funcionário da referida empresa, narra quanto ao que houve. Ele afirma que houve uma descarga elétrica por volta das 10:30h e que atingiu o medidor de energia.

elergia

No momento houve um susto no dono e colabodores da empresa, mas tudo logo se controlou.

medidor

 Curto-circuito de energia provoca danos numa empresa de lanternagem em FLO

Da redação

 

 

 

Centenas de crianças, de ambos os sexos, se aglomeraram no final da tarde desse domingo, 21, nas imediações da Prefeitura de São José do Peixe-PI para receberem presentes. 

O momento chamado de "Natal das Crianças" contou com as presenças de alguns pais e outros familiares.

crian

O prefeito Valdemar Santos, o vice-prefeito Lindon Átila, alguns vereadores e secretários estavam presentes e se interagiram com os menores na entrega de carrinhos, bonecas e outros presentes.

"É uma ação que envolve o social e pode ser uma atividade simples, mas de grande importância para essas crianças. Vimos no semblante delas a felicidade estampada," disse o prefeito Valdemar.

 prese

presen

present

Da redação