Faleceu na tarde desse domingo, 27, por volta das 14:00h a mãe do líder religioso pastor Manoel Antonio de Freitas, que comanda a Igreja Batista. A dona  Maria Alves de Almeida (dona Mocinha), nascida em 14 de maio,  tinha 88 anos. O corpo foi velado na casa dos familiares, centro de Floriano-PI.

 
 
Após homenagens e a realização de um culto houve sepultamento do corpo no cemitério São Pedro de Alcântara, bairro Manguinha, já nessa manhã de segunda-feira.
 
 

Dona Mocinha tinha 14 filhos, entre os quais o pastor Freitas, Lindolfo e Pedro. O sepultamento estava confirmado para as 9:00 desta manhã.
 
 
 
Da redação
 
A jornalista Jaquelina Nascimento está no estado de São Paulo e enviou alguns dos momentos que passou com amigos e familiares.  De acordo com ela,  o objetiuvo da viagem é buscar novos conhecimentos para  que esses sejam colocados em prática, já que a mesma tem pretensões políticas no municipio florianense. jaquelinasaopaulo0
 
Veja o que ela escreveu:
 
 
"Amigos, tive no aniversário de meus sobrinhos aqui em São Paulo, isso depois de algumas agendas básicas de trabalho.  A festa foi maravilhosa, pois estava com a família e amigos. Tive a oportunidade de conversar com vários profissionais de  diversas áreas e sempre pensando em minha amada cidade Floriano, estado do Piauí. Analisei alguns detalhes de cada pessoa que conversei para colocar em prática no Piauí, graças a Deus"!
 jaquelinasaopaulo1
 
 
 
Da redação

jalinson1Com a efervescência da década de 1980 e a necessidade de ajudar na abertura política, um grupo de jovens florianenses de diversas formações acadêmicas decidiu editar, publicar um programa de rádio que contribuísse para a consolidação da democracia e a prática da subversão estética na música, na poesia e em todas as formas de comunicação artística e, também, na política : assim surgiu o Programa Quintal Aberto, que foi transmitido pela, então, Rádio Irapuá, nos anos de 1985 até 1989, sempre aos sábados com uma hora de programação, a partir das 20:00 horas.
 

Era junho de 1985, eu estava presente com o ator Marcos Vinicius Fonseca, o poeta Elio Ferreira, advogado Edvan Almeida, a poetisa Katia Carnib, o agrônomo Antonio Carlos Soares, o professor Chico Coelho, o  poeta Joselito Alves de Sousa, o arquiteto Nilson Coelho quando foi apresentada a primeira edição do Programa Quintal Aberto, um espaço no rádio para manifestar as nossas inquietações com as discussões políticas daquela época. Naquele momento não faltava assunto para nossa disposição em contestar a ordem ou desordem estabelecida. Uma característica desse programa radiofônico foi garantir a participação de quem procurasse espaço. Assim, muitas pessoas contribuíram nas inúmeras edições. Como tornou-se um foco de universitários, aconteceu uma multiplicidade de troca de idéias e informações. A maioria dos integrantes possuíam uma nova vivencia para intercambiar, pois estavam em constantes contatos com Recife, Fortaleza, Campina Grande, Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, São Luiz, Belém, Teresina e outros lugares.
 

A idéia primordial do Programa Quintal Aberto era apresentar uma revista bem magazine, onde seriam tratados todos os assuntos contemporâneos e polêmicos, que apontassem para o avanço na qualidade de vida dos florianenses. Então, colocamos o programa no ar e a elaboração das edições aconteciam em reuniões nas residências dos amadores radialistas ou em locais como a Sede da Associação Cultural de Floriano, no centro da cidade, no beco do fotografo Epaminondas.
 

O Programa Quintal Aberto marcou época por que foi um espaço com vida inteligente naquele período de transição da nossa existência política e social. Constaram da linha editorial as discussões sobre a eleição da Assembléia Constituinte em 1986, elaboração da Constituição de 1988, sindicalismo, meio ambiente, relatos históricos, literatura universal (com declamações ao vivo), agressão aos direitos humanos, reforma agrária, negritude, patrimônio arquitetônico, reforma universitária, corrupção e autoritarismos políticos de toda ordem. Além de uma seleção musical com ênfase na MPB, produção alternativa e vanguardista.
 
 

Esta reminiscência resgata um momento importante do nosso município, pois não foi simples assumir realizar uma atividade que batia de frente com as práticas conservadoras da pacata cidade. Fomos criticados, perseguido e algumas vezes o programa foi retirado do ar, sob recomendação do prefeito da época e proprietário da Rádio Irapuá, médico Adelmar Pereira. Esta foi a nossa revolução armada de palavras. "Quem não se movimenta, não sente as correntes que o prendem", Rosa Luxemburgo.


Jalinson Rodrigues – jornalista.
 
 
 
Da redação
O rock picoense da banda Metraton foi o destaque do dia,  23 (quarta-feira), no Boca da Noite realizado semanalmente. O  projeto divulga a música regional com shows todas as quartas no Espaço Osório Júnior - Clube dos Diários sempre a partir das 19h. O Boca da Noite é realizado pelo Governo do Estado através da Fundação Cultural – Fundac.metraton
 
 

Surgida na cidade de Picos, em 1998, a Metraton deu seu pontapé inicial em um evento chamado Rock Point. Daí em diante, a banda vem se firmando cada vez mais no cenário rock’n´roll piauiense. Em 2002, a Metraton lançou um demonstrativo intitulado como “Enlouqueça”, com sete faixas que lhe rendeu muitas críticas construtivas e muitos shows inclusive na capital Teresina.
 

A Metraton, bem mais amadurecida e com uma nova roupagem, gravou recentemente o seu 1º CD oficial com 10 faixas, intitulado “Amanhecer”.  As músicas já estão tocando nas rádios do Piauí, Ceará e Minas Gerais.
 

O nome da banda significa “Anjo Mensageiro”, e ela é formada por Edmar (guitarras e vocais), Mark Neiva (guitarra solo), Zinha Soares (baixo e backing vocal), Nilvan Neiva (bateria).
 
 
 
 
FUNDAC
sdsdsdsds