• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

sulamericanosub912013O Campeonato Sul-Americano sub-20, começa a ser disputado nesta quarta-feira, no que deve ser uma verdadeira "caça" à seleção brasileira, detentora dos últimos três troféus de campeã da competição. Além disso, é claro, as dez seleções que entrarão em campo na Argentina buscam garantir uma das quatro vagas para o Campeonato Mundial da categoria, que será disputado ainda neste ano, na Turquia.

 

Além do Brasil, a anfitriã Argentina aparece como favorita ao título. As duas pintam como "barbadas", entre as seleções classificadas para o Mundial. O Uruguai, vice-campeão do último Sul-Americano, também aparece entre as mais cotadas do torneio.

 

Esta é a 26ª edição da competição, que foi realizada pela primeira vez em 1954, com o nome de "Juventud da América". O torneio foi realizado na Venezuela e teve o Uruguai como campeão. A seleção brasileira acabou na segunda colocação, em competição que ainda contou com Chile, Colômbia, Equador, Panamá, Paraguai, Peru e a seleção anfitriã.

 

Esta é a terceira fez que o Sul-Americano é disputado na Argentina. Antes, a competição foi realizada no país em 1988 e 1999. Apenas na segunda edição, os donos da casa se sagraram campeões. Onze anos antes, quem levantou a taça foi o Brasil.

 

Aliás, a seleção brasileira aparece como a grande campeã da competição, com 11 troféus levantados: 1983, 1985, 1988, 1991, 1992, 1995, 2001, 2007, 2009 e 2011. Os três títulos recentes fizeram que a vantagem para a segunda seleção mais vencedora, a do Uruguai, aumentasse para quatro.

 

O Campeonato Sul-Americano sub-20, costumeiramente, é um grande desfile de craques, fazendo o torneio ser observado por todo o mundo do futebol. Entre os grandes nomes que já brilharam no torneio estão Romário, Ronaldo, Kaká, Maradona, Messi, Francescoli, Falcao García, René Higuita, só para ficar nas quatro seleções mais vezes campeãs.

 

O último artilheiro da competição foi Neymar, com seus nove gols marcados em 2011. Seis anos antes, o colombiano Hugo Rodallega estabeleceu o recorde em uma única edição, fazendo 11, em campeonato que teve nada mais, nada menos, que Lionel Messi como vice-artilheiro, com "apenas" seis.

 

O Campeonato Sul-Americano sub-20 começa nesta quarta-feira com duas partidas, ambas válidas pelo grupo A da competição. No Estádio Malvinas Argentinas, em Mendoza, Paraguai e Colômbia rolam a bola na abertura do torneio. Logo depois, os argentinos encaram a seleção chilena. A chave ainda tem a Bolívia, que folga na rodada.

 

No dia seguinte, é a vez da primeira rodada do grupo B, que será realizada no Estádio San Juan del Bicentenario, em San Juan. O primeiro jogo coloca frente a frente Brasil e Equador. Logo depois duelam Uruguai e Peru. A folga da rodada é da seleção venezuelana.

 

Após cinco rodadas, os três primeiros colocados de cada chave se classificam para disputar o hexagonal final. As seis seleções que avançarem à esta fase se enfrentam em turno único e as quatro melhores garantem um lugar no Mundial da Turquia.

 

Apostando na "genética" e no conjunto, Brasil busca o tetra na Argentina

 

Campeã dos últimos três Campeonatos Sul-Americanos sub-20, a seleção brasileira vai tentar manter a hegemonia na edição deste ano do torneio, que começa nesta quarta-feira, na Argentina, repetindo feito obtido entre 1988 e 1995, quando foi tetracampeã continental.

 

O time deste ano, diferente do campeão de 2011, que tinha um astro absoluto, Neymar, apresenta elenco com vários jogadores que no último ano começaram a ganhar espaço em seus clubes, além de dois filhos de campeões da Copa do Mundo de 1994: Rafinha e Mattheus, herdeiros do talento de Mazinho e Bebeto.

 

O técnico da seleção brasileira é Émerson Ávila, que assim como seu antecessor, Ney Franco, teve destaque nas divisões de base do Cruzeiro, clube que chegou a comandar como interino. Além disso, passou por Ipatinga, Grêmio Barueri, Boavista e Nacional de Nova Serrana, além da equipe nacional sub-17.

 

 

Sede do Campeonato Sul-Americano sub-20, que começa neste mês, a Argentina entra na disputa da competição se sentindo obrigada a conquistar uma das quatro vagas no Campeonato Mundial, que será disputado na Turquia.

 

A pressão já começa pelo técnico Marcelo Trobbiani, que afirmou não haver "desculpas" caso o objetivo não seja conquistado. Segundo o comandante dos jovens argentinos, o país levará para o torneio "uma grande equipe".

 

Neste ano, a competição volta ao país após 14 anos. Em 1999, a seleção argentina não decepcionou e liderada por Pablo Aimar e Luciano Galletti, levantou a taça. Quatro anos depois, no Uruguai, o país conquistou seu quarto e último título.

 

Os comandados de Trobbiani, campeão mundial como jogador em 1986, no México, estão no grupo A da competição, que tem como sede Mendoza, junto a Chile, rival da estreia, Paraguai, Bolívia e Colômbia.

 

Mais uma vez, o grande nome da seleção argentina é Juan Manuel Iturbe, meia-atacante que foi o principal destaque da equipe no Sul-Americano de 2011, no Peru. Poucos meses após a competição, deixou o Cerro Porteño, do Paraguai, rumo ao Porto, de Portugal.

 

 

Outro nome conhecido é o meia Manuel Lanzini, que em 2012 passou pelo Fluminense, emprestado pelo River Plate. No segundo semestre, o jogador voltou a clube de origem, disputando a primeira competição após a volta dos 'Millonarios' à elite argentina.

 

Iturbe e Lanzini devem ser titulares e terão como companhia no setor ofensivo Ricardo Centurión e o centroavante Luciano Vietto, ambos do Racing, grandes destaques da equipe de Avellaneda na melhor campanha do clube nos últimos anos, com o quinto lugar do Torneio Inicial do Campeonato Argentino. Outro nome de deste setor ofensivo é Alan Ruiz, titular do San Lorenzo.

 

ESPN