laeciotraficanteUma denúncia anônima levou policiais do Rondas Ostensivas de Naturezas Especiais (RONE) a prender, na tarde dessa quinta-feira, 22, mais um acusado de tráfico de entorpecentes. Laércio Brito da Paz, de 26 anos, foi preso no Loteamento Monte Verde, região da Santa Maria da Codipi, na zona Norte de Teresina e encaminhado para o 1° Distrito Policial de Timon (MA). 

 


Segundo relatório disponibilizado pela polícia,  Laércio é filho do policial militar Lucas da Silva Paz, lotado atualmente na sede do 11º. BPM de Timon. A acusação que pesa sobre o jovem é de tráfico de drogas, associação para o tráfico, trafico de entorpecentes. Ele tinha mandado de prisão, expedido no último dia 10 de março, quando foi deflagrada a “Operação Anúbis”, desencadeada por policiais do 1º DP de Timon.


Conforme apurado nas investigações da polícia do Maranhão e depoimentos de testemunhas, o acusado teria adquirido vários veículos e imóveis, inclusive um estabelecimento comercial, com o  dinheiro oriundo do tráfico de drogas, os quais foram transferidos em favor de sua mãe.


Para o delegado Michel Sampaio, o acusado é 12º membro da quadrilha a ser preso, sendo um dos poucos foragidos na operação. 


“Essa prisão foi importante, pois ele era o segundo no comando em hierarquia da quadrilha”, informou o delegado, lembrando que o acusado comandar a organização criminosa, Carlos Augusto Soares de Moura - vulgo “Carlão” - foi morto no início deste mês, em circunstâncias ainda não esclarecidas pela polícia.


De acordo com o relato do delegado, no momento da ação da polícia, Laércio não portava drogas, mas tinha uma balança, além de bastante dinheiro em seu poder. Ele foi encaminhado para o presídio Jorge Vieira, em Timon, juntamente com outros presos durante a presente operação.


Portal AZ

usuariodedrograsUm suposto usuário de drogas se envolveu em uma confusão no condomínio em que reside no Centro de Teresina. Segundo o síndico, que teve sua identidade preservada a pedido, o viciado já ameaçou de morte pelo menos 5 vizinhos e já tentou agredir um senhor. "Cheguei até a buscar um novo local para ele morar e as ameaças continuaram. A situação está insustentável", desabafou.


De acordo com o síndico, os crimes começaram logo após o homem começar a usar drogas - 1 mês.


O dependente químico ainda discutiu com policiais após ser informado de que precisaria ser levado até a Central de Flagrantes.


O acusado negou que tenha agredido ou ameaçado algum morador do condomínio.
Bom dia meio norte
A polícia conseguiu prender dois homem e apreender quatro adolescentes envolvidos em uma troca de tiros na região da Prainha, bairro São Pedro, zona Sul de Teresina. A prisão aconteceu por volta de 5:30h.


No tiroteio, os acusados teriam como alvo o suposto traficante, conhecido apenas como Romário, que já possui passagens pela polícia e seria um desafeto.


A disputa estaria acontecendo por disputa de território de vendas de drogas, no chamado quartel general da gangue “Esporão de Arraia”. A polícia conseguiu apreender muita munição, mas as armas os indivíduos conseguiram dispersar no matagal.


Equipes das Rondas Ostensivas de Naturezas Especiais (RONE) Ronda Cidadão e Militares da 2º Companhia do 1º BPM.



180 graus

A Justiça decretou a prisão de Ernandes Alves de Souza, vigilante acusado de matar a tiros um fiscal de segurança na Universidade Federal do Piauí - UFPI. O vigilante foi preso hoje, às 08:52h na casa da sua mãe no bairro Porto Alegre, zona Sul de Teresina. 


Segundo o delegado Ademar Canabrava, titular do 12º DP (Ininga), Ernandes Alves de Souza não reagiu à prisão e se diz arrependido do crime. "Foi uma prisão tranquila e ele está pronto a pagar pelo crime que cometeu", destacou.

 

O crime aconteceu no dia 26 de janeiro. A decisão foi tomada nessa quarta-feira, 21, pela juíza da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Maria Zilnar Coutinho Leal, após ter negado no início das investigações o mandado de prisão.

 

Em fevereiro, a mesma juíza havia negado o pedido de prisão feito pelo delegado Canabrava, alegando que o acusado não ofereceria risco à sociedade.

 

O fiscal de segurança Carlos Alberto Gomes, 31 anos, foi morto com quatro tiros em frente à biblioteca do campus da Ininga, na zona Leste de Teresina. Ele seria chefe de Ernandes, 32 anos, em uma empresa terceirizada prestadora na época de serviços para a universidade. O acusado já teria sido advertido pelo fiscal por questões relacionadas ao trabalho.



Cidade Verde