• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma
sesapiO relatório do Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA) realizado pela Vigilância Sanitária do Piauí apontou a alface como líder dos produtos mais agrotóxicos do Piauí, com índice 100% insatisfatório. Em seguida, aparece o pimentão, com 83,3%, e o tomate, com 66,7%. O pepino e a cenoura tiveram 50% de índice insatisfatório.

 

O programa avaliou a coleta de 18 tipos de alimentos, dentre arroz, abacaxi, mamão, morango e pepino, totalizando 120 amostras.  Os únicos produtos que tiveram índice satisfatório foram banana, manga, cebola e beterraba, que não apresentaram nenhum tipo de agrotóxico.
 

O relatório completo foi apresentado na manhã dessa quarta-feira, 14, pela diretora da Unidade Estadual de Vigilância Sanitária, Tatiana Chaves, durante a 160ª reunião ordinária do Conselho Estadual de Saúde. De acordo com a diretora, o fato ocorre pela pouca adesão de empresas junto à Divisão. “De acordo com a ANVISA, das 966 empresas cadastradas na ANVISA, apenas 242 tem registro no Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGP), o que dificulta o controle e a inspeção da maioria”, explica.
 

Em relação ao ano de 2010 houve um crescimento na quantidade de empresas que se regularizaram junto à Agência (364) e de empresas com o SNGPC (119). A Vigilância coordena, supervisiona, controla e executa atividades relacionadas ao registro, informação, inspeção, controle de riscos e estabelecimento. Em conjunto com as vigilâncias municipais, no ano de 2011, foram realizadas 176 inspeções em indústrias de alimentos e serviços de alimentação.
 

Além disso, durante todo o ano de 2011, a divisão realizou buscas em hospitais públicos e privados, com o objetivo de divulgar o serviço e acompanhar os agravos relacionados às intoxicações em humanos. Para isso, a Coordenação Estadual de Infecção Hospitalar realizou monitoramento na notificação de infecções de corrente sanguínea, além de implementar ações de medidas de prevenção de infecções por causa de bactérias multirresistentes a antibióticos, em hospitais públicos e privados do Estado. Toda a atividade da Divisa no ano de 2011 foi apresentada e aprovada pelos conselheiros durante a 160ª reunião.


Comissões


Durante a reunião do conselho foram formadas algumas comissões para acompanhamento de participação dos usuários como órgão fiscalizador. Dentre as que foram montadas, destacam-se a Comissão de Ética em Pesquisa e Comissão Permanente de Acompanhamento, Avaliação e Controle do Planejamento e Execução das Políticas e das Ações de Saúde dentro do Hospital Getúlio Vargas. Essa comissão será composta por cinco membros, sendo um titular e quatro suplentes. 



Sesapi