Na manhã de hoje, 04, a Polícia Civil do Piauí prendeu os indivíduos Francisco Alberto, Marcos Vinicius e Caio Vinicius, acusados de envolvimento na morte do subtenente da Policia Militar de Alagoas, João Wellington Bezerra Lins, que foi assassinado durante uma troca de tiros no dia 6 de março deste ano, no bairro Poti Velho, na zona norte de Teresina.

acusados

As prisões foram realizadas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa – DHPP, que contou com o apoio do Grupo de Repressão ao Crime Organizado – GRECO e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais – CORE. Os acusados foram presos nas cidades de Teresina e Cabeceiras-PI.

Os policiais descobriram durante a investigação que a vítima estava na frente da casa de um dos suspeitos, quando foi surpreendida pelos disparos de arma de fogo. Durante o cumprimento dos mandados, os policiais ainda apreenderam com os investigados: 02 (duas) espingardas cal. .20, 01 (um) rifle cal. .22, 01 (um) rifle cal. .44, 01 (uma) pistola cal. .380, dinheiro, farda da PMPI e mais de 50 (cinquenta) munições de calibres diversos.

Após a comprovação da autoria do crime e da materialidade delitiva, foi realizada a representação das prisões preventivas dos investigados, tendo sido decretadas pela autoridade judiciária e cumpridas nesta manhã pelas equipes policiais.

Relembre o caso

Um subtenente da Polícia Militar de Alagoas, identificado João Wellington Bezerra Lins, morreu durante uma troca de tiros registrada no dia 06 de março no bairro Poti Velho, zona norte de Teresina. Ele chegou a ser socorrido ao HUT, mas não resistiu aos ferimentos.

Em entrevista ao GP1, o comandante do 1º Batalhão da Polícia Militar do Piauí, tenente-coronel Maurício de Lacerda, afirmou que a suspeita é que o subtenente, acompanhado de outros dois policiais militares de Alagoas e mais três pessoas, vieram a Teresina cobrar uma dívida e ao chegarem no bairro Poti Velho, no local marcado com um homem ainda não identificado, foram recebidos a tiros. Eles andavam em dois carros, um modelo Linea, e uma caminhonete Nissan Frontier.

 

GP1

Foto: divulgação PC-PI