• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

Campeã da Série B do Campeonato Brasileiro de 2011, a Portuguesa mostrou que não diminuirá o ritmo em 2012. Nessa quarta-feira, 18, em jogo no Estádio do Pacaembu, a equipe do técnico Jorginho derrotou o Corinthians por 1 a 0 e conquistou o simbólico Troféu Sócrates, oferecido pela equipe rival como forma de homenagear o ex-jogador - morto no último dia 4 de dezembro - para o confronto amistoso.

A vitória no "duelo dos campeões nacionais", uma vez que o Corinthians é o atual campeão da Série A, ampliou ainda mais uma impressionante série invicta da equipe rubro-verde: desde 16 de agosto, quando caiu diante do Vila Nova por 1 a 0 na Série B, a Portuguesa não é derrotada. São 23 jogos de invencibilidade, sendo 21 em 2011 e dois em 2012 - o time empatou em amistoso com o Audax-SP por 1 a 1.


Para o Corinthians, o começo do ano mostra alguma falta de ritmo, em especial para os reservas. Depois de empatar por 2 a 2 com o Flamengo em Londrina (PR), em jogo no qual abriu 2 a 0 no primeiro tempo, o time alvinegro sofre a derrota em casa. Nas duas partidas, o técnico Tite testou jogadores e sacou todos os seus titulares no intervalo.


Apesar de favorito, o Corinthians levou pressão da Portuguesa ao longo do primeiro tempo. Aos 15min, Luis Ricardo cruzou a bola na área pela direita para Boquita, que tentou arrumar de cabeça na pequena área; antes que Edno chegasse, Júlio César antecipou e ficou com a bola. Na resposta, aos 16min, Emerson escapou pela esquerda de Luis Ricardo e bateu, parando no goleiro Wéverton.


A equipe rubro-verde teve outra boa chance aos 29min, em disparada de Vandinho que Júlio César defendeu bem. Dois minutos depois, em nova arrancada do time de Jorginho, Rodriguinho recebeu na entrada da área e sofreu a falta do goleiro do Corinthians. Muita reclamação da Portuguesa, que viu o camisa 1 levar apenas um amarelo e a falta ser marcada fora da área. Na cobrança, Edno manda para fora.


O Corinthians teve nova boa chance aos 35min, e também em bola parada - Emerson chutou forte, mandando à esquerda do gol de Wéverton.No fim da etapa inicial, o atacante corintiano sofreu falta de Marcelo Cordeiro pela direita, mas Renato conseguiu o corte pelo alto na cobrança e afastou o perigo.


Para o segundo tempo, os dois times trocaram todos os jogadores. Em com 22 nomes novos em campo, a primeira chance de perigo foi também da Portuguesa: aos 8min, após escanteio pela esquerda, Gustavo pegou o rebote no susto e, de canela, mandou para fora. O Corinthians tentou responder em lançamento aos 15min, mas Bill cometeu falta de ataque sobre Ivan e desperdiçou o lance.


Mais tarde, aos 26min, o Corinthians teve sua melhor chance na partida até então: Ramón recebeu de Jorge Henrique na esquerda, escapou da marcação e bateu colocado de pé esquerdo - porém, por cima do gol de Rodrigo Calaça. Depois, aos 28min, Bill cobrou a falta sofrida por Jorge Henrique e mandou sem sustos para o goleiro reserva da Portuguesa.


Porém, quem chegou ao gol foi a Portuguesa. Aos 29min, Wilson Júnior avançou pela direita e cruzou; a bola sobrou na esquerda para Rafael Oliveira, que aproveitou Danilo Fernandes batido e apenas empurrou. Festa da torcida rubro-verde, que quase teve que se silenciar aos 31min: Vitor Júnior recebeu na esquerda, clareou e mandou forte, na trave.


A partir daí, Vitor Júnior passou a se destacar nas bolas paradas e nos tiros de longe - aos 35min, o chute do ex-jogador do Atlético-GO foi no ângulo, e só não entrou porque Rodrigo Calaça espalmou. Depois, aos 40min, o mesmo Vitor Júnior tocou na área para Bill, que desperdiçou a chance de empatar e bateu fraco para o gol.


Os dois times voltam a entrar em campo no fim de semana, quando estreiam pelo Campeonato Paulista. No sábado, às 17h (de Brasília), o Corinthians recebe o Mirassol no Estádio do Pacaembu, enquanto a Portuguesa hospeda o Paulista de Jundiaí no mesmo horário, no Estádio do Canindé.

 

Fonte: Terra


Dar acesso ao esporte a mais de 50 mil pessoas com deficiência em todo o Piauí. Este é a meta do projeto de implantação dos Centros Sócios Esportivos em 11 regiões do Estado. O projeto foi entregue nesta quarta-feira, 18, pelo secretário estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Helder Jacobina, ao presidente da Fundação de Esportes do Piauí (Fundespi), Marco Aurélio Sampaio.


A realização da I Primeira Paraolimpíada em 2011 e o bom desempenho de paraatletas piauienses e brasileiros em competições nacionais e internacionais foram algumas das razões que levaram aos técnicos da Seid a elaborar o projeto para a implantação dos centros sócios esportivos.


O objetivo é dar incentivo ao paradesporto preparando locais onde as pessoas com deficiência possam praticar esportes. “As Paraolimpíadas no Piauí são uma realidade e a implantação destes centros nas principais regiões do Piauí é uma forma de inclusão através do esporte e quem sabe descobrir talentos para os jogos paraolímpicos de 2016”, frisou Helder Jacobina.

O projeto tem como base a captação de R$ 1,1 milhão junto ao Ministério dos Esportes. Os recursos serão aplicados para dar acessibilidade e condições estruturais para a prática do esporte. Segundo o projeto, a estimativa é que cada centro sócio esportivo atenda uma média de 4,5 mil pessoas com deficiência.

Marco Aurélio Sampaio  ressaltou a importância da iniciativa e frisou que a Fundespi será parceira da Seid nesta ação. A implantação dos centros será apresentada pela Seid na reunião de metas do Governo.

 

Fonte:governodopiaui

A indisciplina de Ronaldinho acabou gerando uma punição por parte do departamento jurídico do Flamengo. Assim que soube do técnico Vanderlei Luxemburgo sobre a situação, Patricia Amorim, presidente do clube, mandou o vice-jurídico Rafael De Piro ir a Londrina conversar e analisar o vídeo no qual o camisa 10 circula em horário inapropriado no hotel em que a delegação estava hospedada, em Londrina (PR). O dirigente não quis revelar qual foi a punição, mas confirmou que o jogador foi penalizado.


- A presidente Patricia Amorim me pediu para ir a Londrina examinar o assunto. Entendemos que a atitude dele passou da conta. Por isso tomamos as medidas cabíveis. Conversei com o atleta, que entendeu a nossa posição. O que compromete no vídeo é que a hora imprópria que ele estava transitando no hotel. Não há nenhuma pessoa na gravação em sua companhia - explicou Rafael de Piro.


Insatisfeito com a atitude de Ronaldinho, Vanderlei Luxemburgo teria pedido a demissão do jogador para os dirigentes. O técnico demonstrou que estava irritado após o empate do Flamengo  no amistoso contra o Corinthians, no domingo passado, e garantiu que quando voltasse da Bolívia, iria conversar com a cúpula de futebol do Rubro-Negro. De Piro minimizou o ocorrido:

- Não temos motivos para rescindir o contrato do Ronaldo. Só vimos uma conduta inadequada do mesmo e o assunto já foi resolvido internamente - encerrou.

 

Fonte:Lancenet

Adriano precisará voltar a ser o Imperador que brilhou no passado para continuar no Corinthians no segundo semestre. Apesar do empenho do atacante no início da pré-temporada, a falta ao treino de terça-feira à tarde, no CT Joaquim Grava, acabou com a paciência da diretoria. Somente uma grande recuperação física e um desempenho muito bom em campo serão capazes de convencer a direção a prorrogar o vínculo da maior contratação do clube desde Ronaldo.

– Temos de analisar o jogador dentro de campo e, lógico, somando com as atitudes nos treinamentos. A falta é um indício de que o jogador, aparentemente, não está com muita vontade de trabalhar conosco para que se renove o contrato – disse o presidente em exercício Roberto de Andrade.

Mesmo não cumprindo a carga de treinamentos que recebeu nas férias, Adriano vinha animando a comissão técnica com a dedicação para recuperar a forma e salvar a carreira. O baixo desempenho nos 45 minutos que atuou contra o Flamengo, em Londrina, foi visto como natural por Tite. Diretores, treinador e comissão, porém, sentiram o golpe com a ausência do jogador no treino. O centroavante seria titular contra a Portuguesa, nesta quarta-feira, mas não compareceu à última atividade e irritou a todos.
– O Corinthians não perde e, sim, se engrandece. Temos 30 e tantos jogadores, e um chegou atrasado. Se alguém sai perdendo é o atleta – disse Andrade.

A tolerância do Timão foi diminuindo gradativamente. O clube relevou as primeiras faltas a sessões de fisioterapia e só tornou público o primeiro atraso em setembro, quando o multou em 10% dos salários como forma de aviso contra novos problemas. Em outubro, ele voltou a não se apresentar, desta vez alegando uma indisposição estomacal. O crédito, agora, acabou.

Conselheiros próximos à direção são favoráveis até a dispensar Adriano. Eles entendem que o jogador é um mau exemplo ao elenco campeão brasileiro e, com tantos deslizes, poderia estragar o ambiente. A cúpula, no entanto, descarta liberá-lo, principalmente por precisar pagar os salários até o fim do contrato (30 de junho) – ele recebe cerca de R$ 380 mil mensais, valor que chegaria a R$ 500 mil se atuasse frequentemente.

O departamento de futebol não esconde a preocupação, tanto que inchou o ataque com os também centroavantes Elton, ex-Vasco, e Bill, que estava emprestado ao Coritiba. Liedson, com um problema crônico no joelho esquerdo e recorrentes dores musculares, será poupado de partidas menos importantes e abrirá espaço a outros jogadores.

Adriano tem na Taça Libertadores, eterno sonho corintiano, a grande chance de inverter o quadro para permanecer. Boas atuações e gols o colocariam nos braços da torcida, como aconteceu quando foi o salvador alvinegro na vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-MG, na reta final do Campeonato Brasileiro. O tempo é curto. Segundo o preparador físico Fábio Mahseredjian, ele só estará em boas condições físicas entre março e abril, período que coincide com a primeira fase do torneio sul-americano.

O Imperador chegou ao Corinthians em março do ano passado durante a recuperação de uma cirurgia no ombro direito. Pouco tempo depois, lesionou o tendão do pé esquerdo durante um treino de saltos e só estreou em 9 de outubro, ainda muito acima do peso. Neste período, foram apenas cinco jogos oficiais e um gol marcado.

– Não conseguimos concluir uma avaliação pelo fato de o Adriano ter jogado muito pouco em 2011. Essa conclusão toda vamos fazer no primeiro semestre, no Paulista e na Libertadores. O fator determinante para a renovação é o próprio Adriano querer. Ele é quem vai mostrar até o fim do contrato se vai renovar ou não – completou o presidente em exercício.

 

globoesporte.com