• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

hgv coraçao“A doação de órgãos é o maior gesto de solidariedade e de humanidade que uma pessoa pode demonstrar a outra. Hoje agradeço aos médicos do HGV e em especial meu primo que me deu uma nova vida”.  A declaração é do comerciante de 64 anos, Inácio Batista dos Santos, um dos pacientes transplantados que esteve presente no lançamento da Campanha estadual de Doação de Órgãos, na manhã desta quinta, 27, no auditório do Hospital Getulio Vargas (HGV).

 

Para diminuir o sofrimento de cerca de 600 pacientes que, assim como seu Inácio, dependem de um órgão para sobreviver, a secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), juntamente com a Central de Transplantes, do Hospital Getulio Vargas, estão investindo para que novos procedimentos sejam realizados no Piauí.

 

“Somos sensíveis a luta pela vida e por isso queremos montar toda a estrutura necessária para aquelas pessoas que buscam um órgão. Além de descentralizar os centros de doações, queremos em breve trazer para os pacientes do nosso Estado o “Aero-Médico”, uma viatura aérea exclusiva que facilitará o translado de órgãos, tudo isso visando a melhoria do atendimento a nossos pacientes”, enfatizou Telmo Mesquita, diretor de urgência e emergência da Sesapi, que no evento esteve representando o secretario estadual de saúde, Ernani Maia.

 

A abertura da campanha contou com servidores do HGV, membros do Centro de Convivência da Terceira Idade, médicos e diretores da Central de Transplantes do Piauí. A diretora da Central de Transplantes, Patrícia Figueiredo, anunciou que, até o final deste ano, o Piauí voltará a fazer transplantes de coração, através do HGV. “Após cinco anos sem fazer transplante de coração, nossa equipe está totalmente preparada para fazer este tipo de cirurgia. Aguardamos agora apenas a vistoria do Ministério da Saúde. Hoje temos material humano e de ponta prontamente para atendermos todo o Estado”, garantiu a diretora.

 

Segundo o diretor técnico do Hospital Getúlio Vargas, Sebastião Martins, o serviço de cardiologia do HGV está se estruturando para começar a realizar o procedimento. O HGV já realiza transplante de córnea e rim. Nos últimos 10 anos, o Piauí realizou 1.410 transplantes. Em 2011, foram 130 transplantes de córneas e 29 renais. Segundo a coordenadora da Central de Transplantes, Patrícia Figueiredo, apesar dos avanços nos últimos anos, ainda existem 600 pessoas na fila de espera por um órgão no Estado, a maioria de córnea e rim. “Em 2001, trabalhávamos com uma lista de espera de seis anos, estamos avançando e estamos  com uma lista de 1 ano e meio. O nosso objetivo é zerar a fila de espera de córnea, explica Patrícia Figueiredo.

 

Sebastião Martins disse que o serviço de cirurgia cardíaca do HGV vai contar com duas salas cirúrgicas especialmente para o serviço. Além de duas UTIs, sendo uma de adulto com 10 leitos e outra infantil, com 7 leitos. “Será um orgulho para o Piauí, ter o primeiro serviço de cirurgia cardíaca público funcionando. Daí será um passo para iniciarmos o serviço de transplantes de coração", explica.

 

Estavam presentes também na solenidade de abertura, o coordenador da Organização de Procura de órgão, Ricardo Cronemberger;  a coordenadora do Banco de Olhos do HGV, Namir Santos, parentes de doadores, transplantados e pessoas que estão aguardando em fila de espera.

 

Como é o caso de Emerson Alves, 24 anos, que há 5 anos aguarda a doação de um rim. Alves explica que graças aos avanços tecnológicos na área do tratamento de diálise, ele hoje vive uma vida normal, mas espera ansioso pelo dia que será presenteado com um novo órgão.  “Sinto que as pessoas têm medo de doar e a doação é um ato de amor ao próximo”, fala emocionado.

 

 

Sesapi