Na semana mundial de conscientização sobre o uso de antibióticos, que acontece de 18 a 24 de novembro, o Conselho Regional de Farmácia do Piauí (CRF-PI) alerta sobre o consumo irracional destes medicamentos, que administrados de forma incorreta ou excessiva, podem trazer sérios riscos à saúde da população como intoxicação, resistência bacteriana, alergias e outros.

conselho

Os riscos que os antibióticos pode oferecer é um assunto que há muito tempo se discute, mas os casos de intoxicação e o desenvolvimento de superbactérias em pacientes continuam altos. Até 2050, segundo informe da Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgado em 2019, a resistência microbiana (doenças resistentes a antibióticos) poderá estar associada a 10 milhões de mortes anuais, sendo que atualmente, acredita-se que pelo menos 700 mil pessoas morrem por ano devido à essa resistência microbiana.

O presidente do CRF-PI, Luiz Júnior, destaca que o maior risco do uso inadequado desses fármacos é o fato das bactérias desenvolverem resistência, criando as chamadas superbactérias. "São aquelas que, por alguma mutação, conseguem sobreviver ao princípio ativo dos bactericidas, repassando essa capacidade a seus descendentes e sendo assim, os antibióticos perdem a sua eficácia, resultando em um número muito grande de bactérias que não são combatidas pelos medicamentos existentes, levando inúmeras pessoas à morte", explica Júnior.

"Precisamos alertar à população que o uso de qualquer antibiótico precisa ter prescrição de um médico e orientação de um farmacêutico, pois muitas infecções que também podem ser causadas por vírus, como a maioria das doenças respiratórias, são tratadas por medicamentos inadequados, principalmente por serem automedicados pelos próprios pacientes", revela o farmacêutico.
 
O presidente do Conselho de Farmácia afirma também, que é importante orientar sobre a necessidade de seguir o tratamento corretamente. "O uso do medicamento não deve ser descontinuado quando os sintomas desaparecerem. É preciso respeitar os horários das tomadas, entre outras recomendações específicas, de acordo com cada tipo de antibiótico e prescrição médica", alerta Júnior.

Mais doenças graves, tratamentos prolongados, hospitalizações mais frequentes e por maior período, mais visitas ao médico e respectivamente, tratamentos mais caros, são algumas ocorrências que podem acontecer pelo uso excessivo ou sem necessidade de antibióticos, descreve o farmacêutico.

"O CRF promove campanhas fixas anuais sobre os riscos do uso irracional de medicamentos, além de recomendar aos profissionais que fiquem atentos aos pacientes que obtém antibióticos, sejam comprados nas farmácias ou em postos de saúde e hospitais, evitando males ainda piores", completa Luiz Júnior.

 Comunicação CRF-PI