• Jorge Batista Promocional

carroprefNa noite dessa quinta-feira, 16, dois homens foram presos , com o carro utilizado no assassinato do prefeito de Granjeiro, Gregório Neto, de 54 anos, no Ceará. Durante a ação da polícia, o primeiro homem preso atirou contra os policiais e, por isso, foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio. A apreensão do veículo foi divulgada pelo secretário de segurança pública, André Costa.

De acordo com o delegado Matheus Zanatta, titular da Gerência de Polícia Especializada (GPE), o primeiro homem foi preso no bairro Gurupi, Zona Sudeste de Teresina, e é suspeito de repassar o veículo para um empresário que, em seguida, guardou o carro em uma garagem na Avenida Barão de Gurguéia, Zona Sul da capital piauiense.

O empresário relatou à polícia que o homem apenas pediu para que ele guardasse o carro na garagem e não deu mais detalhes. Os dois suspeitos foram conduzidos para a Central de Flagrantes de Teresina, onde o primeiro preso foi autuado por tentativa de homicídio e o segundo por receptação.

O crime

O prefeito da cidade de Granjeiro, no Ceará, João Gregório Neto, foi morto a tiros enquanto caminhava próximo à parede do Açude Junco, na manhã de terça-feira (24). A vítima foi atingida pelas costas.

Segundo moradores da cidade, um carro com suspeitos foi visto se aproximando do gestor municipal. Logo depois, foram ouvidos pelo menos três disparos. Moradores tentaram socorrer o prefeito, mas quando chegaram próximo ao local ele já estava morto. A autoria e a motivação da morte ainda não foram confirmadas pela polícia. De acordo com uma fonte da polícia, o carro utilizado pelos criminosos foi flagrado por uma câmera de segurança.

A Polícia Civil cumpriu, no início do mês de janeiro, mandados de prisão e busca e apreensão sobre o assassinato do gestor da cidade. Após investigações, o atual prefeito de Granjeiro, no Ceará, Ticiano Tomé, e o pai dele, Vicente Félix de Souza, de 60 anos, são suspeitos de envolvimento no assassinato de João Gregório Neto, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

O político Vicente Félix de Souza já começou a ser monitorado por tornozeleira eletrônica. A Polícia Civil solicitou a prisão de Vicente no dia 9 deste mês, mas o pedido foi negado pela Justiça Estadual, que determinou o uso do aparelho.

 

G1 PI

Foto: divulgação/André Costa