colisaoNa noite dessa quinta-feira, 02, duas pessoas que andavam de moto sofreram  um acidente ao colidir com uma vaca, na localidade Belém, município de Cocal dos Alves.

O condutor da moto Francisco Rodrigues de Brito, 25 anos, e a garupa da moto, a adolescente D. S., de 17 anos, foram transferidos para o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), em Parnaíba.

As duas pessoas deram entrada no HEDA por volta das 22:45h, dessa quinta-feira , 02. Francisco Rodrigues encontra-se na UTI.

 

 

Blog do Yuri Gomes

mercadinhoparaisUm comércio foi vítima de assalto nas imediações do Conjunto Paraíso, em  Floriano. Dois homens usando uma motocicleta e com armas em punho invadiram as dependências do estabelecimento anunciaram o crime, dominaram as pessoas que estavam no local e em seguida levaram cerca de R$ 400.00.

 


Policiais Militares após serem acionados foram até ao Mercadinho Paraíso, tiveram informações sobre os criminosos, fizeram algumas rondas na área, mas não tiveram êxito na ação.



O crime foi por volta das 16:15h dessa quarta-feira, 1º de fevereiro, e os dois  homens estavam sem o uso do capacete. Até o momento eles não foram identificados.

 

 

Da redação

IMAGEM: piauinoticias.com

A dona de casa Zélia Brasilina da Costa, 45 anos, natural de Pajeú, município de Flores, interior do Piauí, faleceu nessa noite de quarta-feira, 1º de fevereiro, no Hospital Regional Tibério Nunes em Floriano, após uma parada  cardíaca. A mãe de três filhos tinha passado por uma cirurgia de histerectomia - uma operação cirúrgica da área ginecológica que consiste na retirada do útero.


A histerectomia pode ser total, quando se retira o corpo e o colo do útero, ou subtotal, quando só o corpo é retirado. Às vezes esta cirurgia é acompanhada da retirada dos ovários e trompas (histerectomia total com anexectomia bilateral ou histerectomia radical. No Hospital Regional de Floriano, procedimentos na referida paciente foram realizados pelo médico identificado por Genival.


O esposo da paciente, o agricultor Antonio Riachão de Sousa, acredita que a morte da esposa não tenha sido em decorrência da cirurgia, mas reclama que o processo cirúrgico foi feito sem uma lavagem. - A lavagem gástrica é um procedimento terapêutico, ao longo do qual se introduz uma sonda no interior do estômago, para se irrigar e aspirar o seu conteúdo. Apesar de este procedimento ser utilizado como preparação para a cirurgia gástrica e para alguns exames auxiliares de diagnóstico, é utilizado essencialmente no tratamento de intoxicações por via digestiva. Deve-se referir que, perante uma intoxicação, o procedimento apenas é eficaz se for efetuado nas quatro horas seguintes à ingestão do tóxico, embora se encontre contra-indicado quando a substância responsável pela intoxicação é de natureza cáustica ou o paciente evidencie convulsões.


A própria paciente, a dona de casa e agricultora Zélia Brasilina, teria reclamado após ter tido alta da cirurgia que não tinha passado por uma lavagem, antes do processo cirúrgico.  


A paciente quando teve alta, foi para cada de familiares do marido no bairro Viazul, mas teve que ser internado às presas e chegou a ficar na UTI, onde foi atendida e passou um determinado período em observação, mas foi reritada em colocada num dos leitos do órgão em saúde. Ontem, ela pediu para ir ao banheiro onde se sentiu mal e morreu. O médico Abdias que estava na Unidade de Terapia Intensiva com ajuda de profissionais do Hospital ainda tentou no momento da parada cardíaca reanimar a paciente, mas foi em vão. O corpo de Zélia Brasilina foi levado para o município de Flores do Piauí na madrugada dessa quinta-feira, 2, onde está sendo velado por familiares que em seguida farão o sepultamento.

 

Da redação



 

futebolmortesDe acordo com a rede americana CNN, o número de mortos após a briga entre torcidas do Al-Masry e o Al-Ahly nessa quarta-feira, no Egito, subiu para 79 pessoas, segundo autoridades locais.

 


Com a tragédia sob investigação do Conselho Supremo das Forças Armadas, que governa o país após a saída do ex-presidente Hosni Mubarak em 2011, centenas de pessoas foram até a Praça Tahrir, no Cairo, condenando a Junta Militar pelo episódio. Muito deles usavam camisas do Al-Ahly, que teve a grande maioria das vítimas em Port Said, local da partida, válida pelo Campeonato Egípcio.

 


No confronto que se seguiu, torcedores do Al-Masry invadiram o campo e tentaram acuar jogadores e torcedores em seu estádio. Segundo Ahmed Saeed, funcionário do gabinete do governador de Port Said, muitos dos mortos teriam caído das arquibancadas do próprio estádio.

 


Porém, torcedores do Al-Ahly relatam que a polícia local deixou a proteção que separava as duas torcidas vulneráveis propositalmente, permitindo a invasão da torcida local, em maior número, munida de pedras, garrafas, facas, espadas e armas de fogo contra os visitantes e os atletas dentro de campo, que tiveram que se abrigar nos vestiários. Além disso, os portões de saída do local não foram abertos pelas autoridades, o que contribuiu o aumento do número de vítimas.

 


Porém, segundo o Ministro do Interior do Egito, Mustapha Marwan, a autoria da incitação à violência foi causada por grupos políticos organizados, garantindo que os policiais tentaram contê-los e prendendo 47 suspeitos logo pouco depois do tumulto consumado.

 

 

 

Terra