flamngApós meses de expectativas não alcançadas, partidas frustrantes e eliminações (Copa do Brasil e Conmebol Libertadores), o Flamengo encaixou um bom jogo, foi envolvente e intenso e passou com moral contra o Palmeiras, no Estádio Mané Garrincha, na noite da última quinta-feira (21), pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2020. Com o 2 a 0 e o bom desempenho, o Rubro-Negro chegou aos 55 pontos e se colocou mais uma vez na briga pelo Brasileirão.

E tudo isso após mudanças e reflexões de Rogério Ceni. Com Willian Arão improvisado na zaga – o que causou certo espanto, mas funcionou – e Diego e Gerson no meio de campo, o Mais Querido conseguiu trabalhar melhor a bola, não correu tantos riscos como em outras partidas e teve qualidade para rodar a bola da defesa ao ataque. Além disso, Gabigol, Bruno Henrique e Arrascaeta também foram bem e participaram constantemente da criação e finalização das jogadas.

Os demais atletas do Flamengo não comprometeram. E, no todo, foram bem. O único que não conseguiu subir de nível foi Everton Ribeiro. O meio-campista segue em baixa e tem falhado mais do que o normal... Uma situação para Rogério Ceni ficar de olho.


Em si, o Flamengo fez sua melhor partida em muito tempo, sobretudo no recorte da primeira etapa, e não deu muitas chances ao finalista da Copa do Brasil e da Conmebol Libertadores. Com esse desempenho, o Mais Querido se colocou na briga pelo bicampeonato nacional, no entanto, para manter sua coroa, vai ter que continuar ‘brigando’, se esforçando além do limite, disputando e competindo no mais alto nível. Todo jogo agora é decisão.

“O time entendeu que, além do talento, é preciso se esforçar mais. O mais importante é que esse espírito permaneça até o fim do campeonato. Hoje, jogamos com outra rotação, outra intensidade”, declarou Rogério Ceni, em entrevista coletiva, após o triunfo em Brasília.

 

90min

Foto: Getty Imagens