Pelo terceiro ano seguido como melhor equipe da fase de grupos da Copa Libertadores, o desempenho palestrino lhe garantiu a vantagem do mando de campo no jogo de volta do mata-matas da Libertadores.

Por conta do regulamento em vigor desde 2019, com a final em jogo único, o Palmeiras não fará a decisão no Allianz Parque e sim em campo neutro, no Maracanã. Caso o regulamento antigo ainda estivesse em vigor, a equipe de Abel Ferreira iria repetir os feitos de 1961, 1999 e 2000, decidindo a final em seus domínios.

Já em 1968, o Palmeiras fez o segundo confronto em casa, mas o duelo precisou de uma terceira partida, decidida em campo neutro, no Estádio Centenário, em Montevideo.

O confronto entre Palmeiras e Santos também terá outra curiosidade: Desde 2000, ano no qual a Libertadores passou a ter oito grupos com quatro equipes e a presença do defensor do título na fase de pontos corridos, nunca as duas melhores campanhas da primeira fase se encontraram na final.

O mais perto disso ocorreu em 2013, quando Atlético Mineiro (1º) e Olimpia (3º) protagonizaram a final. A final entre Palmeiras e Santos acontece no próximo dia 30, às 17h.

 

Lançe