• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

O torcedor que gostaria de ver o Palmeiras com Aníbal Moreno, Zé Rafael, Richard Ríos e Raphael Veiga juntos teve essa oportunidade na vitória sem sustos por 2 a 0 sobre o Ituano, quinta, na Arena Barueri. O desempenho, porém, não foi aquele que se imaginou com o quarteto.

Com dificuldades para montar o ataque neste início de temporada, Abel testou o time com Raphael Veiga quase como um segundo atacante, atrás de Flaco López, Zé Rafael na meia esquerda, Richard na direita, e Aníbal um pouco mais atrás deles.

A opção parece promissora, mas não encaixou com os três zagueiros, mantidos em Barueri. Ao escalar jogadores mais técnicos no meio, esperava-se o Palmeiras tentando dominar tendo a bola, e não foi o que aconteceu nos primeiros minutos.

Com dificuldades para sair da defesa ao ataque, o Verdão tinha Piquerez e Marcos Rocha como os "pontas" nos momentos com bola. O time sentiu falta de velocistas pelos lados quando os zagueiros tentavam sair com bola longa.

A situação começou a melhorar a partir do momento que Zé se aproximou de Piquerez, e Ríos, de Rocha. Foi com o camisa 8 bem aberto que veio o cruzamento preciso para López abrir o placar.

Um gol importante para o argentino na busca por uma sequência, já que ele havia perdido uma grande chance minutos antes e ainda não inspira total confiança na torcida.

Com o jogo controlado durante praticamente todo o tempo, Abel começou a fazer trocas no segundo tempo e viu Rony entrar bem, incomodando a defesa do Ituano desde seu primeiro lance. O camisa 10 fechou o placar em um chute colocado.

As finalizações mostram que o Palmeiras sofreu pouco: concluiu 18 vezes e sofreu apenas cinco tentativas da equipe de Itu (SP). Weverton não fez nenhuma defesa difícil.

Dos meio-campistas escalados, Veiga foi quem teve desempenho abaixo. Já Aníbal Moreno deu mais uma demonstração de que se encaixou como uma luva. Foi o líder em passes certos no Verdão (52) e o líder em desarmes (5). Além de combativo, o camisa 5 acelera bem o jogo.

A vitória acabou sendo protocolar, mas importante para evitar o aumento da ressaca pelo vice-campeonato da Supercopa Rei.

Ainda que a exibição não tenha sido exuberante, a ideia de usar os quatro meio-campistas juntos não deve ser descartada. Mas talvez seja melhor usá-la com dois zagueiros, e não três, como Abel escolheu em Barueri.

GE