• Hospital Clinicor
  • Vamol
  • Roma

O Governo do Estado vai construir 10,8 mil cisternas na região do Semiárido piauiense, com recursos no valor de R$ 26 milhões, já liberados pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Serão beneficiados 45 municípios de sete territórios de desenvolvimento, beneficiando diretamente cerca de 54 mil pessoas.

 


Segundo o projeto, a ser executado pela Diretoria de Convivência com a Seca do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Emater), serão construídas 3,8 mil cisternas de placas com capacidade para 52 mil litros de água e 7 mil com capacidade para 16 mil litros.

 


A proposta do Governo é garantir água de qualidade para o consumo humano e também para a produção de alimentos e criação de pequenos animais numa região de baixa pluviometria e que no momento enfrenta uma das piores secas de todos os tempos.


Serão atendidas 10,8 mil famílias, cerca de 54 mil pessoas, de baixa renda que não dispõem de acesso à fonte de água adequada ao consumo humano, com renda per capita familiar de até meio salário mínimo.


O projeto será implantado nos territórios Vale do Guaribas, Vale do Canindé, Vale do Itaueira, Vale do Piauí, Vale do Sambito, Carnaubais, Chapada das Mangabeiras e Cocais.


A cisterna de placas é um tipo de reservatório d’água cilíndrico, coberto e semienterrado, que permite a captação e o armazenamento de água das chuvas, aproveitadas a partir de seu escoamento nos telhados das casas, através de calhas de zinco ou PVC. A água armazenada fica protegida da evaporação e das contaminações causadas por animais e dejetos trazidos pelas enxurradas.


O tamanho da cisterna varia de acordo com o número de pessoas da casa e do tamanho do telhado. A experiência tem provado que ela pode garantir água portável para a família beber e cozinhar durante oito meses.



Ccom