O prazo para aderir ao programa Saúde na Escola (PSE), que terminaria hoje (15), foi prorrogado até o dia 28 deste mês. Até o momento, segundo o Ministério da Saúde, 4.520 cidades indicaram escolas públicas que realizarão, por dois anos, atividades de educação em saúde. 

O credenciamento é feito no site e-Gestor Atenção Básica com o CPF e senha do perfil cadastrado como “gestor municipal” vinculado ao “módulo PSE”. Caso o gestor não seja habilitado ou não tenha perfil no módulo PSE, é o CNPJ e a senha do Fundo Municipal de Saúde que devem gerenciar o cadastro.

Pelo programa, os municípios recebem incentivos financeiros do governo federal para realizar ações de prevenção de doenças e promoção da saúde com estudantes. A partir deste ano, para participar, os gestores municipais devem indicar especificamente as escolas beneficiadas. Pelo menos 50% das escolas prioritárias - escolas quilombolas, indígenas, rurais e com a maioria dos estudantes beneficiários do Bolsa Família - devem ser pactuadas.

Cada município recebe, no mínimo, R$ 5.676 após aderir ao programa para levá-lo a até 600 estudantes. A cada acréscimo entre um e 800 alunos é adicionado R$ 1 mil ao valor total.

Saúde na Escola

O Programa Saúde na Escola foi instituído em 2007 com o objetivo de levar às escolas públicas ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, para enfrentar vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens. 

Segundo a última Pesquisa Nacional do Escolar (PENSE), realizada em 2015, a prevalência do consumo de bebida alcoólica e uso de cigarro e drogas ilícitas foi menor entre os estudantes que faziam parte de unidades participantes do PSE.

Outro indicador que demonstra resultado do trabalho das equipes de saúde e educação foi a menor prevalência do consumo de refrigerantes e guloseimas. Além disso, 48,8% dos estudantes de unidades que aderiram ao programa estudam em ambientes livres de bullying.

 

Agência Brasil

Com o período de volta as aulas, os pais devem se preocupar não somente com materiais escolares dos filhos, mas também com possíveis infecções transmitidas pelo número maior de crianças reunidas em um único lugar. Nesse período, as doenças mais comuns são aquelas que podem ser transmitidas pelo ar, como conjuntivite, gripe e resfriado.

educar

Nessa época do ano, é comum que essas infecções estejam em maior evidência. Por conta do calor, a proliferação das bactérias é feita em maior quantidade e em consequência ocorre a baixa imunidade das crianças. Muitas vezes, o tratamento pode ser realizado em casa, sem a necessidade de uma consulta médica. Mas existem casos em que a infecção se torna tão severa que é indispensável a visita ao médico, para que o tratamento seja prescrito para a infecção em questão.

A pediatraLuciana Nunes Silva, alerta para a importância da vacinação em dia dos pequenos. “É aconselhável manter a caderneta de vacinação em dia, visitar o pediatra com frequência e seguir suas orientações, mantendo uma boa alimentação e hidratação”, sugere a especialista.

Para Silva, além dos cuidados dos pais com a saúde dos filhos em casa, os educadores têm papel fundamental para o convívio sadio das crianças no grupo escolar. “Evitar compartilhamento excessivo dos brinquedos, higienizá-los diariamente, orientar e estimular que as crianças sempre lavem as mãos antes e após as refeições e utilização do banheiro”, acrescenta.

A alimentação equilibrada é fundamental para a melhora da imunidade dos pequenos. Alimentos que são higienizados e armazenados de forma correta evitam a proliferação das bactérias.

Veja dicas de como fortalecer a imunidade do seu filho nesse período:

Hidratação: garantir que as crianças estão ingerindo a quantidade de água necessária para que se mantenham sempre hidratadas. Lembrando que, mesmo que outros líquidos sejam ingeridos no dia a dia, a água é indispensável para um bom funcionamento do organismo das crianças.

Boa alimentação: frutas, legumes e verduras devem fazer parte da dieta da criança. Uma dieta balanceada é fundamental. Os pais precisam conhecer a dieta escolar de seus filhos. Em casos de crianças que são intolerantes a lactose ou a glúten, até mesmo para as que não são, vale levar o lanche de casa.

Dormir bem: uma boa noite de sono ajuda no fortalecimento de sistema imunológico da criança. Na infância, há um intenso desenvolvimento do corpo e da mente. Por conta disso, o sono tem um papel importante no desenvolvimento infantil.

Vacinação em dia: a caderneta de vacinação deve estar atualizada e as vacinas que ainda não foram tomadas devem ser aplicadas, antes da criança retornar para escola. A melhor maneira de proteger os pequenos é atentar-se a caderneta de vacinação e colocá-la em dia.

Visitar o Pediatra: é de suma importância que as crianças sejam avaliadas pelo pediatra periodicamente. Esse especialista é indispensável para assegurar o processo de desenvolvimento e crescimento de uma criança saudável.

Larissa Mesquita – Agência Educa Mais Brasil

O apresentador de TV e ainda repórter Nilson Ferreira, de Floriano-PI, como citado pela professora Ariete Ferreira, é um dos profissionais da comunicação local que, de todas as formas, tem feito esforços para que o município florianense, através da Universidade Estadual do Piauí, Campus Dra. Josefina Demes, tenha o curso de Jornalismo.

A cidade tem vários profissionais em rádio, tv, jornais impressos e portais de noticias e, muitos almejam aprimorar os seus conhecimentos na área com aulas teóricas e prática.

nilsonfer

Hoje, ao ser procurado pelo Piauí Notícias sobre a questão, ele responder, “vamos retomar o assunto este ano. Em 2018 tivemos umas duas reuniões com a direção da Uespi local, Ariete Ferreira e com o reitor da instituição, Nouga Cardoso Batista, junto com o Doutor em Jornalismo Orlando Berti. A ideia é fazer alguns eventos relacionados a área de jornalismo, também estarei fazendo em breve uma nova visita ao reitor em Teresina, a combinar com a diretora Ariete, para retomar este assunto. Depois do curso de rádio e tv que conseguimos trazer, quando formamos mais de 50 profissionais de rádio, o assunto Curso de Jornalismo em Floriano voltou com força total”.

Matéria relacionada

Curso de Jornalismo continua em pauta nas ações da direção da UESPI/FLO

 

Da redação

O curso de Jornalismo para a Universidade Estadual do Piauí, Campus Dra Josefina Demes, em Floriano-PI, ainda é um sonho de muitos.

ariete

Há pessoas em Floriano que vem fazendo esforços para que esse sonho e se torne uma realidade o quanto antes.

A diretora da UESPI, Campus de Floriano, professora Aríete Ferreira há pouco, por telefone, disse que tem cobrado das autoridades em educação em nível de Estado esse projeto para o município que, sendo colocado em prática vai beneficiar os profissionais locais e da região.

“Ainda no passado tratamos sobre isso. Fizemos a solicitação e estamos lutando por esse curso, pois vai acabar o curso de Biologia e vamos tentar trazer de volta o curso de Psicologia e o de Jornalismo, que inclusive tem o Nilsinho (Nilson Ferreira) que tem feito todos os esforços para que o curso de Jornalismo seja implantado no nosso Campus”, disse a professora Ariete afirmando que a mudança de governo tem provocado algumas dificuldades e, com isso, há um certo atraso na execução de alguns projetos.

Ariete diz que algumas alegações, em relação ao Jornalismo, são feitas pelo fato de não se ter alguns professores efetivos para área, mas lembra que ano que no ano passado - 2018, o Campus local recebeu 28 novos professores, sendo que a maioria é multi doutor.

 

Da redação