advogdRepresentando a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Piauí, a Comissão de Direitos Humanos, por meio do presidente Marcelo Mascarenhas e da integrante Teresa Raquel Galvão, integrou a solenidade de Assinatura de Acordo de Cooperação Técnica para formalizar a Rede de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos do Estado do Piauí (RedeDH).

 

A ação ocorreu em virtude da comemoração dos 70 anos da declaração Universal de Direitos Humanos, e 16 instituições assinaram o acordo. Além disso, a RedeDH é fruto de uma articulação da OAB-PI e do Ministério Público Estadual, em uma iniciativa pioneira no Brasil, que tem o desafio de dar passos significativos na efetivação dos direitos fundamentais em nosso Estado.

 

A representante do Conselho Estadual de Direitos Humanos do Piauí, Mayra Brandt, também esteve na solenidade, prestigiando a ação.

 

OABPI

A graduação é um passo importante para quem deseja construir uma carreira de sucesso. Com o intuito de complementar a sua formação, alguns estudantes sonham em realizar duas graduações ao mesmo tempo. “Em 1996, passei em Urbanismo. No ano seguinte, decidi também cursar Arquitetura pela complementariedade dos cursos. A dupla graduação me deu uma maior abertura para o mercado e mais opções de áreas de trabalho”, avalia a analista de eficiência energética Nara Marambaia.

gradua

Essa opção torna o currículo mais competitivo e otimizaria o período necessário a uma qualificação mais completa. A escolha, no entanto, exige sacrifício também em dose dupla. “A rotina acadêmica foi pesada. Tinha aula das 7h às 20h e virava muitas noites para fazer trabalhos e estudar”, lembra citando como o mais difícil conciliar estágio com as duas graduações. “Foi difícil, mas valeu a pena”, conclui.

Apesar de ser uma escolha interessante, cursar duas faculdades requer organização, planejamento e dedicação. Além disso, há algumas ressalvas para quem deseja seguir esse percurso. Confira algumas dúvidas comuns: 

Posso fazer duas faculdades públicas ao mesmo tempo? 

De acordo com a Lei 12.089 de 2009, o estudante não pode ocupar duas vagas simultaneamente em uma instituição pública. Ou seja, não é possível fazer dois cursos de graduação na mesma universidade ou em instituições públicas distintas. 

A situação se repete para os interessados em fazer duas faculdades ao mesmo tempo pelo Prouni.Isso porque o Governo estabelece que só é permitido cursar a graduação em seus programas educacionais do ensino superior, como o Sisu e Prouni, caso o estudante não esteja matriculado em outro curso superior.

O aluno pode realizar a matrícula e pleitear uma bolsa do Prouni mesmo estando matriculado em uma faculdade pública, mas, sendo aceito, deverá optar entre um dos cursos. Quem já está matriculado em uma faculdade particular pode concorrer ao Programa Universidade para Todos para conseguir uma bolsa parcial ou integral das mensalidades. No entanto, formados pelo Prouni não podem pleitear uma nova vaga pelo programa. 

Como fazer duas faculdades ao mesmo tempo?

Ingressar em um programa de dupla formação é uma opção para quem deseja realizar as duas graduações simultaneamente. O projeto foi criado em 2004 com o intuito de acelerar a formação dos estudantes que sonham em cursar as duas graduações. A dupla diplomação permite estudar as disciplinas comuns às duas áreas ao longo dos primeiros semestres para em seguida cursar as disciplinas específicas de cada uma das formações. O projeto, no entanto, é destinado à áreas que são consideradas complementares e possuem alguma relação entre si, como Administração e Contabilidade, Engenharia Civil e Arquitetura, Administração e Economia, entre outras.

Se você já cursa uma faculdade pública, ou até mesmo uma particular, pode optar pela segunda graduação através de uma bolsa de estudo do Educa Mais Brasil, maior programa de inclusão educacional do país. Para isso, basta realizar a sua inscrição no site www.educamaisbrasil.com.br para ter descontos de até 70% nas mensalidades. 

Agência Educa Mais Brasil

A Universidade Estadual do Piauí participou nesta segunda-feira (10), no Palácio de Karnak, da solenidade de assinatura do acordo de cooperação técnica entre diversos órgãos públicos e entidades piauienses para a formação da Rede de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos (Rede DH-Piauí) no âmbito estadual. Na ocasião, também foram empossados os novos membros do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos para o biênio 2019-2020.

O acordo de cooperação técnica tem 60 meses de prazo de execução e objetiva fomentar a educação em direitos humanos na sociedade piauiense, bem como articular órgãos públicos e entidades do Estado do Piauí para a defesa desses direitos. “Cada uma das áreas tem obrigação em relação aos direitos humanos. Estamos falando aqui de direito à educação, saúde, alimentação, ao meio ambiente e a própria vida. Se fizermos isso juntos, as chances de dar certo são maiores. Hoje estamos dando um grande passo e vamos trabalhar para que cada um faça a sua parte”, afirmou o governador Wellington Dias.

A data para a assinatura do acordo foi escolhida com o intuito de comemorar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), documento internacional elaborado em 10 de dezembro de 1948, pela Organização das Nações Unidas (ONU), que lista os principais direitos dos seres humanos, dentre eles, o direito à vida e a liberdade.
“Sabemos que todo órgão público tem por finalidade atender à população naquilo que ela demanda para a melhoria da qualidade de vida e isso significa proporcionar ao ser humano a possibilidade de viver com dignidade. Temos como construir uma agenda cooperativa em que cada um, dentro da sua missão institucional, realize um trabalho bem feito e o conjunto possa ofertar as condições de viver o direito humano, aquele preconizado na constituição e nos direitos universais da pessoa humana”, pontuou o reitor Nouga Cardoso.

Representando o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos, Marinalva Santana, do grupo Matizes, assinou o termo de posse dos novos membros. “Temos uma missão árdua, mas que certamente daremos o nosso melhor. Os conselheiros já firmaram o compromisso de estar presentes nas reuniões para debater o tema e fazemos um apelo para que os gestores tirem os planos do papel e efetivem os projetos tão necessários para que mulheres, negros, LGBTs, pessoas com deficiência e todas as demais minorias não precisem conviver com o preconceito, com o desrespeito”, disse Marinalva.

Assinaram o acordo de cooperação técnica os órgãos:

– Ministério Público do Estado do Piauí (MP-PI)
– Secretaria Estadual da Educação (Seduc-PI)
– Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seccional Piauí
– Secretaria da Segurança Pública do Estado do Piauí (SSP-PI)
– Secretaria de Estado da Justiça (Sejus-PI)
– Secretaria da Assistência Social e Cidadania (Sasc-PI)
– Universidade Federal do Piauí (UFPI)
– Universidade Estadual do Piauí (Uespi)
– Instituto Federal de Educação (IFPI)
– Defensoria Pública do Estado do Piauí (DPE-PI)
– Defensoria Pública da União (DPU)
– Secretaria Estadual para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid)
– Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres (CEPM-PI)
– Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI)
-Conselho Regional de Psicologia (CRP-PI)
– Conselho Regional de Serviço Social (Cress-PI)

Outros órgãos públicos ou entidades poderão aderir ao acordo mediante a formalização de termo aditivo firmado pelos participantes.

 

Uespi

Na última quarta-feira, dia 05 de dezembro, a Universidade Federal do Piauí – campus Amílcar Ferreira Sobral (CAFS), em Floriano, realizou o I Sarau Cant’Arte do Liberte. O evento contou com a participação de estudantes dos cinco cursos de graduação do campus e com a colaboração de convidados da comunidade externa para apresentações culturais. A programação do Sarau se deu em torno de apresentações musicais, recitais de poesias, dança, videoclipes e exposições de desenhos.

Grande parte das apresentações foi oriunda das oficinas de música promovidas pelo Laboratório Interdisciplinar de Ensino, Arte e Educação, ministradas pelo professor da UFPI e colaborador do projeto, Saulo Albuquerque Gomes, bem como também com declamações de poesias produzidas durante as mesmas.

O evento também contou com apresentações de textos autorais do aluno Lucão; apresentações do grupo de dança Corpo em Cena do Colégio Técnico de Floriano – CTF; exposição das obras de Iara Regina, caricaturista e discente do curso de Enfermagem do CAFS; apresentação musical de Nilton Veloso, cantor Florianense; apresentações do Grupo de Música do LIBERTE; e por fim, o Coral composto pelos alunos da turma de Arte e Educação do 6º período do curso de Pedagogia, juntamente com participação instrumental de Vicaur Jucá, saxofonista.

A promoção de tal atividade se deu sob a organização da professora Ma. Rosa Maria de Jesus Brito, docente do curso de Pedagogia do CAFS e coordenadora do Projeto LIBERTE e do Laboratório Interdisciplinar de Ensino, Arte e Educação, em parceria com o professor Me. Saulo Albuquerque Gomes professor, docente do curso de Licenciatura e Educação no campo (LEDOC) do CAFS. O Projeto está vinculado à PRAEC pelo programa BIASE (Bolsa de Incentivo às Atividades Socioculturais e Esportivas) e busca, entre outros objetivos, promover oficinas artísticas que visam aproximar os acadêmicos de experiências significativas e aprendizados através da arte, possibilitando-lhes a ampliação de seu capital cultural. Este projeto prevê um trabalho direcionado para atender os cursos de Pedagogia, Enfermagem, Biologia, Administração e Educação do Campo do Campus Amílcar Ferreira Sobral do município de Floriano- PI, garantindo acesso à cultura de forma geral.

O Sarau faz parte da culminância de uma das etapas deste projeto, que se iniciou em maio de 2018 e se findará em maio de 2019.

 

Ufpi

sdsdsdsds