Banner
Banner
Banner
Alzheimer: a causa pode estar no seu prato e você nem imagina! PDF Imprimir E-mail
Sex, 17 de Março de 2017 16:49

Você certamente já sabe que uma dieta saudável e balanceada é capaz de tratar muitas doenças graves. Por outro lado, uma alimentação pobre e industrializada tem efeitos contrários.

 

Muitos estudos comprovaram, por exemplo, que o tipo de comida que consumimos pode tanto previnir, como causar a doença de Alzheimer. Como se trata de um assunto muito sério, resolvemos compartilhar com você, que alimentos devem ser evitados.

 

O açúcar, que já é de se esperar, já foi provado que potencializa a doença, tanto é que o Alzheimer é classificado como sendo diabetes tipo 3. A novidade é que há grandes chances da carne de animais confinados também ser responsável pelo desenvolvimento desse mal.

 

Essa informação não é novidade.

Ela foi publicada em 2005, pelo Journal Medical Hypotheses. Foram feitas autópsias em 349 cérebros de pacientes diagnosticados com Alzheimer.

 

O resultado foi impressionante: 200 deles estavam com níveis anormais de uma proteína chamada TDP-43, e eram justamente os que apresentavam problemas de memória dez vezes maiores do que os demais.

 

Essa proteína também está relacionada a outras doenças, tanto em pessoas, como em animais. Alguns exemplos delas são: esclerose lateral amiotrófica, doença da “Vaca Louca” e a doença debilitante crônica (doença neurológica transmissível em cervos e alces).

 

Acredita-se que as terapias antioxidantes podem ser úteis na prevenção de Alzheimer. Se queremos um ponto em comum entra a doença da “vaca louca” e a doença debilitante crônica, o cientistas apontam: confinamento de animais.

 

Entenda: quando um animal herbívoro é confinado, ele é obrigado a se alimentar de  subprodutos feito com a carne animal. Ao consumir uma proteína estranha, o corpo do herbívoro logo responde com uma inflamação.

 

Bingo!

É aí que entram as doenças degenerativas, como Alzheirmer, que são causadas por inflamações crônicas. A única diferença da “vaca louca” para o Alzheimer é o tempo dos sintomas e o tempo em que a vítima leva para morrer.

 

Para você ter ideia, acredita-se que 13% das vítimas de Alzheimer tenham a infecção da doença da “vaca louca”.

 

Isso não é um absurdo?

Os pobres animais confinados também consomem grãos transgênicos, alimentos que produzem proteínas que nunca existiriam se, é claro, o homem não a tivesse introduzido na cadeia alimentar.

 

Portanto, carnes como frango, porco ou vaca nos expõem a proteínas estranhas e a TDO-43 é um exemplo disso. Ah, também vale lembrar uma coisa importante: os sintomas provocados por essa proteína não aparecem de uma hora para outra.

 

Ele se manifesta aos poucos, com a perda de memória, atordoamento, distúrbio visual e demência. Nossa dica é: procure consumir carne animal criado com pastagem natural, como deve ser.

 

Além de ser uma alternativa mais segura para a sua saída, estará, também, respeitando, de certa forma, os animais.

 

curapelanatureza

Última atualização em Sex, 17 de Março de 2017 17:01
 
Banner
Banner
Banner

DEPARTAMENTO COMERCIAL

(89)9930-9050

                                                                                                                whatsapp-6in3 copy(89)9401-8521

REDAÇÃO

 

(89)3521-1241

 

 

 

REPORTAGEM

(89)9922-6983

(89)9909-2133

(89)9434-4620


EMAIL

piauinoticias@hotmail.com

:: PIAUÍ NOTÍCIAS ::
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
É permitido a reprodução com autorização ou citação de fonte
linksoft