A Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei 10.332/18 que prevê a privatização de seis distribuidoras de energia da Eletrobras. O projeto tem como objetivo solucionar as pendências financeiras e jurídicas adquiridas pelas gestões durante os anos. O deputado federal Fábio Abreu (PR) foi um dos parlamentares que votou contra o projeto devido à falta de garantias financeiras e profissionais.

abreu

Segundo Fábio Abreu, para a privatização das distribuidoras é importante levar em consideração importantes aspectos. “Ressalto aqui à nossa posição contrária, pois devemos levar em consideração a situação dos funcionários, as dívidas que as distribuidoras possuem com o próprio estado do Piauí, além é claro do valor de R$ 50 mil que é bastante irrisório para venda da companhia”, concluiu.

No total, seis distribuidoras estão inclusas no leilão, são elas Companhia de Energia do Piauí (Cepisa), Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre); Amazonas Energia; Boa Vista Energia, do Estado de Roraima, Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron), e Companhia Energética de Alagoas (Ceal);

A proposta agora segue para ser votada no Senado e caso seja aprovada as distribuidores devem ser leiloadas no próximo dia 26 de julho. Segundo o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), as companhias juntas atendem cerca de 13 milhões de pessoas.

“Tivemos a oportunidade de votar contra a privatização da Eletrobras, mas infelizmente a proposta foi aprovada pela maioria dos parlamentares. Em relação a tarifa social votei à favor e a partir de agora as pessoas que consomem até 70 kwh passarão a ser isentas de pagamento. Tal medida é importante principalmente para as famílias do Nordeste que possuem dificuldade financeiras e consomem uma baixa quantidade de energia elétrica”, disse Fábio Abreu.

 

FONTE: Ascom

sdsdsdsds