ciroO senador Ciro Nogueira (PP-PI), presidente nacional do Progressistas, usou nesta quinta-feira (26) as suas redes sociais para postar vídeos de aliados criticando a operação da Polícia Federal (PF) que fez buscas no seu gabinete e na sua casa, na terça-feira (24). A suspeita dos investigadores é a de que Ciro Nogueira tenha comprado o silêncio de uma testemunha que vem colaborando com a Justiça.

O senador usou a sua conta no Instagram para publicar vídeos de prefeitos aliados no Piauí, sua base eleitoral, criticando a operação.

Em um dos vídeos, o prefeito Gilson Filho, de Caracol, diz que o trabalho de Ciro tem "causado muita inveja" e que ele não está só contra "as mentiras dos invejosos".

Em outro, o prefeito de Floriano, Joel Rodrigues, diz que "naturalmente, um homem de destaque" como Ciro, será alvo de "coisas dessa natureza" para "tentar atrapalhar a sua missão". E presta solidariedade ao senador, "neste momento de tempestade".

Ciro postou também um vídeo do prefeito de Miguel Leão, Roberto Leão, prestando solidariedade ao senador "neste momento turbulento".

Além das buscas nesta semana, o empresário Joesley Batista, do grupo J&F, prestou no último dia 6 novo depoimento à Polícia Federal, em Brasília, sobre a suposta entrega de uma mala com R$ 500 mil ao senador Ciro Nogueira.

Segundo Joesley, a mala foi entregue por Ricardo Saud, ex-executivo do grupo J&F, para o senador na garagem da casa do empresário, em São Paulo.

 

Globo.com

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

drpessoaUsando o tempo destinado aos pequenos avisos, o deputado estadual Dr. Pessoa (SD) confirmou oficialmente a sua pré-candidatura à uma vaga no Senado Federal. O parlamentar também era indicado como possível candidato à Governador do Estado.

“Eu sou pré-candidato a Senador da República pelo Estado do Piauí. Eu estou reafirmando e confirmando isso. Portanto, quero falar aos meus correligionários e ao povo do Piauí que admira o meu trabalho, a minha história e a minha lisura com a coisa pública. Nesse novo passo que estou dando, vocês não vão se arrepender de confiar em mim”, disse Dr. Pessoa.

Segundo o parlamentar, a decisão de sua candidatura tem o aval da direção nacional do partido.

Em março desse ano, Dr. Pessoa trocou o Partido Social Democrático (PSD) pelo Solidariedade (SD) na janela partidária.

Janela partidária

A janela partidária é um período de 30 dias em que os políticos podem mudar de partido sem o risco de perder o mandato por infidelidade partidária.

 

Alepi

lulamoroUm dia após o STF (Supremo Tribunal Federal) retirar das mãos do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba (PR), trechos da delação da Odebrecht sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, procuradores da força-tarefa da Lava Jato no Paraná defenderam que o processo do sítio de Atibaia continue a ser julgado por Moro.

"Apesar do lamentável tumulto processual gerado pela remessa de depoimentos a uma jurisdição diversa da definida nas vias ordinárias, ignorando realidade conhecida. A decisão majoritária da 2ª Turma do STF não tem qualquer repercussão sobre a competência desse douto Juízo para promover e processar a presente ação penal", escreveram os procuradores em documento anexado no processo.

Na última terça-feira, por 3 votos a 2, a 2ª Turma do STF acatou pedido da defesa do petista e decidiu que os trechos das colaborações serão enviados à Justiça Federal de São Paulo. Os advogados alegam que os fatos relatados nas delações não dizem respeito a crimes relativos à Petrobras.

Votaram nesse sentido os ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes. A decisão contrariou entendimento dos ministros Celso de Mello e Edson Fachin que, em abril de 2017, encaminharam as declarações dos empreiteiros para Curitiba. O colegiado já havia negado pedido similar da defesa de Lula. A PGR (Procuradoria-Geral da República) avalia recorrer da decisão da 2ª Turma.

Advogado de Lula, Cristiano Zanin afirmou que as ações não devem ser julgadas por Moro. "Não há qualquer elemento concreto que possa justificar a competência da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba nos processos envolvendo o ex-presidente. Entendemos que essa decisão da Suprema Corte faz cessar de uma vez por todas o juízo de exceção criado para Lula em Curitiba, impondo a remessa das ações que lá tramitam para São Paulo", afirmou, em nota.

Preso desde 7 de abril, Lula foi condenado por Moro por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Na 2ª instância, o TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) aumentou a pena para 12 anos e 1 mês. A defesa nega as acusações e sustenta que o petista é vítima de perseguição.

Com a decisão do STF, os advogados podem questionar a condenação por corrupção, já que o entendimento da 2ª turma da corte foi de que não há relação entre os supostos favores concedidos pela Odebrecht e os contratos da empreiteira na Petrobras.

Sítio de Atibaia

As delações da Odebrecht são base de ações penais contra o petista na Justiça Federal Paraná que envolvem o sítio de Atibaia e o Instituto Lula. Com a decisão do STF, Moro não poderá usar as informações dos empreiteiros nesses processos.

O Ministério Público Federal no Paraná, contudo, poderá pedir o compartilhamento das delações à Justiça Federal de São Paulo.

No caso de Atibaia, que está na fase de tomada de depoimentos de testemunhas de defesa, Lula é investigado por receber R$ 1,1 milhão em vantagens indevidas por meio de reformas no Sítio Santa Bárbara, no interior de São Paulo. O dinheiro teria sido pago pela Odebrecht, OAS e Schabin.

Em outra ação com base nas delações, que está na fase das alegações finais, o ex-presidente é acusado de receber R$ 12,5 milhões da Odebrecht, referente a um terreno para abrigar a sede do Instituto Lula na zona sul de São Paulo.

No mesmo processo, o Ministério Público afirma que a Odebrecht se comprometeu a adquirir uma cobertura vizinha a de Lula em São Bernardo do Campo (SP) para doá-lo e usou como laranja Glauco da Costa Marques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente.

 

HuffPost Brasil

Foto: Getty images

gustaOs aprovados no concurso para Gestor Governamental e Analista de Planejamento e Orçamento do Estado tiveram a garantia de que serão nomeados pelo Governo com a aprovação hoje(25) pela Assembleia Legislativa do Projeto de Lei 17/2018 do Poder Executivo que altera a Lei 6.299/2013 que trata sobre a realização do certame. As nomeações poderão ser feitas agora após o próximo dia 2 de maio quando se encerraria o prazo para que fossem realizadas.

O Projeto de Lei foi aprovado em primeira e segunda votações na Ordem do Dia da sessão plenária, bem como outras cinco matérias, incluindo o Projeto de Lei 117/17 do deputado Rubem Martins (PSB) que cria a Campanha Permanente de Conscientização e Combate ao Assédio Sexual no Transporte Público no Estado do Piauí que será executada pela Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres.

Os Projetos de Lei 18/2018 e 22/2018 dos deputados Dr. Hélio Oliveira (PR) e Severo Eulálio, líder do MDB, que reconhecem de utilidade pública a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais de José de Freitas e a Fundação da Hotelaria e Gastronomia do Piauí foram aprovados pelos deputados.

O plenário aprovou ainda o Projeto de Lei 19/2018 do deputado João de Deus (PT) que denomina de Antônio Makassar a ponte sobre o Rio Riachão em Lagoa Alegre e a redação final do Proposta de Emenda Constitucional 01/18 do deputado Rubem Martins (PSB) que dispõe sobre licença maternidade de 180 dias para servidoras estaduais.

 

Alepi

Casa da Vóvo
Planeta Baterias
Tem contabilidade
Luan Gás
Otica Visão - Ache Floriano
Primeiro de Maio  - Ache Floriano
Dr Kelmar - Ache Floriano
Tatiana Gás
Store Shoes
sdsdsdsds