Grande parte dos condutores de veículos automotores em Floriano não está atendendo as mudanças no trânsito que foram implantadas no centro e bairros da cidade.

Muitas das vias ganharam investimentos na área da infraestrutura com várias ruas recebendo a pavimentação asfáltica, contudo, mesmo com as placas indicativas de mão e contramão, conversões a esquerda e à direita, paradas para estacionamento proibidas a maior parte dos condutores de veículos automotores insiste em desrespeitar a Legislação.

Os flagrantes são muitos e ocorrerem a qualquer momento, seja durante o dia ou mesmo noite.

Outra infração que vem se tornando comum é o não uso do capacete. Alguns condutores de motocicletas e as pessoas que estão nas garupas mostram que não tem medo das penalidades contidas na Legislação e estão andando pelas ruas e avenidas do centro sem o uso desse acessório e com excesso de passageiros.

Hoje, o piauinoticias conseguiu imagens de câmeras que mostram  alguns flagrantes numa das vias (Rua Assad Kalume) que se tornou mão única e, mesmo apesar das placas indicando as proibições muitos insistem em desrespeitar a Legislação de Trânsito.

Mas um comunicado feito pela Sutran (Superintendência de Trânsito e Transportes) e lançado nas redes sociais pode acabar com essa farra de irregularidades.

No comunicado, a SUTRAN  confirma que a partir da próxima segunda, 22, após um período de adaptação, os infratores do trânsito serão penalizados, inclusive com multas. 

Nas imagens seguintes registradas por câmeras observem que a maioria dos veículos está no sentido correto, mas três motociclistas são flagrados trafegando na contramão e, em dois dos três casos, algumas pessoas estão sem o uso do capacete.

O Flagrante foi num trecho da Rua Assad Kalume, centro, onde os veículos só podem trafegar no sentido Praça Cel. Borges ao Colégio Estadual Osvaldo da Costa e Silva.

homem2

 homem0

homem1

Veja o comunicado: sutran

Da redação

Em Brasília, economistas e cientistas políticos discutirão os programas de governo dos candidatos que estarão na disputa do segundo turno

Com os contornos do cenário político-econômico do país para 2019 mais definidos, após as eleições do dia 7 de outubro, as instituições públicas e privadas brasileiras poderão iniciar um debate mais assertivo acerca dos planos e orientações para a retomada do crescimento e o desenvolvimento do Brasil. Neste sentido, a Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE) realizará, no dia 17 de outubro, em Brasília, o Fórum de Desenvolvimento, com a participação de economistas e cientistas políticos que debaterão os programas de governo dos candidatos que estarão na disputa do segundo turno.

Entre as presenças confirmadas, estão a dos economistas Paulo Nogueira Batista Jr. e Carlos Alexandre Da Costa, para o debate econômico, e o sociólogo José Mauricio Domingues, para uma leitura do cenário político. Nogueira é economista, atuou como vice-presidente do Novo Banco de Desenvolvimento, pelos BRICS em Xangai, e foi diretor-executivo no FMI pelo Brasil e outros dez países. Ex-diretor de Planejamento, Crédito e Tecnologia do BNDES, Carlos Alexandre Da Costa também contribuirá com o debate a partir de sua experiência junto ao SNF.

Com inúmeros livros e artigos publicados, sobre Brasil e América Latina, José Mauricio Domingues foi o primeiro brasileiro a receber, da Alemanha, o Prêmio Humboldt, por sua trajetória acadêmica, na área de sociologia, sendo doutor e mestre, com formação pela London School of Economics and Political Science (LSE). Atualmente, é professor e pesquisador no Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IESP-UERJ).

Aberto ao público e à imprensa, o evento da Associação pretende contribuir com o diálogo entre os setores econômicos e a sociedade para a construção de políticas e ações que envolvam as instituições de fomento e desenvolvimento, que compõem o Sistema Nacional de Fomentos (SNF).

Dividida em três mesas, a programação contará com uma abertura institucional, seguida das duas discussões em âmbito econômico e político abordando, ainda, o relacionamento entre os Poderes da República e o desenvolvimento econômico do Brasil.

MANIFESTO - Em agosto, a ABDE encaminhou a todos os candidatos à Presidência da República, um documento em que alerta para a necessidade de mudanças no regime tributário e na regulação, para que as instituições de fomento possam contribuir, por meio do financiamento de longo prazo, para a ampliação dos investimentos e, consequente, aumento da produtividade. De acordo com o manifesto, que pautará o debate, o fortalecimento do Sistema, por meio de várias ações, tornaria possível o aumento da taxa de investimento dos atuais 15% para, pelo menos, 25% do PIB. Com o apoio das diferentes esferas públicas, o SNF ampliaria o alcance a todas as regiões do país, gerando condições para a distribuição de renda e a melhoria de qualidade de vida da população.

PRÊMIO ABDE 2018 – No dia 17, também serão entregues as premiações para os seis vencedores da 5ª Edição do Prêmio ABDE. Promovido em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), neste ano, foram produzidos trabalhos inéditos sobre os temas: “Desenvolvimento em Debate”, “Parcerias Público-Privadas: Desafios e Soluções” e “Desenvolvimento e cooperativismo de crédito”.

Serviço:

Fórum de Desenvolvimento e Entrega do Prêmio ABDE-BID 2018

Dia 17 de outubro

9h às 17h
Sede do Sebrae – Brasília /DF

Programação: http://abde.org.br/inscricoes-abertas/


ASSESSORIA DE IMPRENSA

O candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, entrou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com pedido de direito de resposta contra o presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, em torno da divulgação do suposto 'kit gay', que, segundo a campanha do petista, é conteúdo falso propagado pelo oponente na disputa presidencial. A defesa ainda pede que o TSE determine a retirada de postagens que teriam mensagens inverídicas no Facebook, Twitter e YouTube.

BBOnYaL

Os advogados do PT afirmam que, em entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo, no dia 28 de agosto, Bolsonaro mentiu e difundiu a falsa ideia de que o livro "Aparelho Sexual e Cia" seria distribuído em escolas públicas. "E que, segundo vídeo que circula em redes sociais, seria inadequado para crianças e jovens brasileiros", afirmam.

Segundo a defesa de Haddad, o livro "não fez parte de qualquer kit escolar", nem do material que o candidato do PSL chama de 'kit gay', "que, por sua vez, era parte de um programa do governo chamado 'Escola Sem Homofobia', e que nunca chegou a ser posto em prática".

Na ação, que está sob relatoria do ministro Carlos Horbach, a defesa do petista ressalta que a informação foi desmentida pela editora do material e pelo Ministério da Educação.

"O candidato vem proferindo esta grave mentira há mais de anos. A informação de que o livro seria distribuído em escolas públicas começou a ser difundida por Bolsonaro no dia 10 de janeiro de 2016 através de um vídeo que publicou no Facebook", observam.

São apontadas também postagens de Bolsonaro e de seus filhos, Eduardo Bolsonaro e Flávio Bolsonaro, que falaram sobre o material nas redes sociais.

"As manifestações das representadas atacam Fernando Haddad com informações inverídicas, difamatórias e injuriantes, sem qualquer legitimidade ou fundamento, constituindo-se em um verdadeiro manifesto político que agride o partido representante, sem qualquer possibilidade de contraditório, contraponto ou debate", assinala a defesa.

 

msn

Erivan Lopes , presidente do Tribunal de Justiça do Piauí, se reúner nesta segunda-feira (15) com o governador Wellington Dias (PT) para negociar o orçamento da justiça estadual para 2019.

O TJ solicitou um reajuste de 13% no orçamento do próximo ano. O governo não aceitou e reapresentou uma contraproposta de aumento de 2%. "Vamos conversar com o governador para chegar a um consenso sobre a proposta de reajuste no orçamento. Vamos ver a receita líquida do estado e negociar como fazemos todo ano", disse Erivan Lopes

Como o reajuste de 13%, o orçamento do TJ ficou em R$ 600 milhões. O aumento é para cobrir a folha de pagamento do Tribunal. Segundo Erivan Lopes, o TJ terá impacto com a decisão do presidente Michel Temer que conceder o reajuste de 16,38% para o Judiciário de todo o País. Com a decisão, os rendimentos dos ministros do Supremo passará de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil a partir de 2019.

Os poderes estão pedindo aumento no orçamento, mas o governador está pessoalmente conversando com os presidentes de cada instituição.

 

cidadeverde

sdsdsdsds