Um consumidor fez uma grave denúncia contra um posto de combustíveis situado no bairro Cidade Nova, zona sul de Teresina.

Ele diz ter observado que, em algumas ocasiões, a contagem da bomba de combustível não é zerada entre um cliente e outro, ou seja, alguns consumidores estariam sendo vítimas de um golpe, pagando por uma quantidade de combustível superior à que efetivamente é colocada no tanque.

O cliente que faz a denúncia relata um fato que teria ocorrido recentemente.

"Quando eu cheguei no posto para abastecer, tinha um Fiat Uno abastecendo na minha frente, e eu vi que quando esse Fiat Uno saiu o frentista não colocou a pistola do combustível no local certo. Ele colocou no local onde fica a mangueira, e a bomba continuou ligada [...] Quando ele fosse começar o abastecimento do meu carro ia começar de R$ 15, que foi o valor pago pelo motorista anterior. Eu notei que ele ficou na frente da bomba, para eu não ver, só que eu já tinha observado, e já desci com o celular filmando a bomba", afirma.

Inconformado com a suspeita de fraude, o cliente confrontou o frentista e pediu para falar com o gerente do posto. O funcionário, por sua vez, alegou que já ia colocar a bomba no lugar certo e disse que o gerente não estava no momento.

O homem que faz a denúncia suspeita ter sido vítima deste golpe em outra ocasião, no mesmo estabelecimento. "Eu lembrei que eu já tinha abastecido nesse posto. Coloquei R$ 30, se não me engano, e quando saí do posto o ponteiro do carro não subiu. Eu vi que não tinha subido, mas como eu não tinha prova, não voltei [até o local, para reclamar]. Mas dessa vez eu vi que o frentista não colocou a pistola no local, porque se ele coloca no local certo, a bomba desliga automaticamente, e quando for ligar novamente ela zera", observa o consumidor que fez a denúncia.

portalodia

sdsdsdsds